Beilhique de Menteşe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Mentese (1260-1424), ou Menteşe segundo a ortografia turca, foi um beilhique do sudoeste da Anatólia. Ocupou, grosso modo, as áreas das antigas Cária e Lícia,[1] e abrangia sítios ocupados, na Antiguidade, por históricas cidades gregas, como Mileto, Halicarnasso, Cnido, Antífilos, Phoenicos, Telmessos da Lícia, e Kaunos. Embora um beilhique, gozou de alto grau de independência durante a maior parte de sua história.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

A Anatólia ocidental foi tomada pelos turcos ao Império do Oriente pela primeira vez no final do Século XI. Estes turcos, os Seljúcidas, fundaram na Anatólia o Sultanato do Rum (onde Rum era, apenas, a corruptela turca para Roma). A maior parte da Anatólia foi, contudo, rapidamente reconquistada para Bizâncio por Aleixo I Comneno (com auxílio dos Cruzados) em 1095 e por João II Comneno, sendo os seljúcidas forçados a recuar para o leste.

Após Manuel I Comneno ter sido derrotado pelo Sultão do Rum, Kilij Arslan II, na Batalha de Miriacéfalos (1176), a Lícia e a Cária voltaram a cair em mãos dos seljúcidas.

Com a decadência militar dos seljúcidas, em meados do século XIII, vários beilhique (vassalos ao Sultanato do Rum) começaram a ser estabelecidos na Anatólia, entre eles, o beilhique de Mentese.

Origem e ascensão[editar | editar código-fonte]

O beilhique foi fundado por Mentese Bey em 1260, com capital em Milas, e dotada de uma fortaleza em Beçin, não muito longe da capital. Estendia-se, originalmente, do Rio Meandro até os arredores de Antália, e por alguns anos dominou algumas ilhas do Dodecaneso, inclusive parte de Rodes (1300-1314).

Mentese chegou a desenvolver uma marinha de séria importância regional, e deixou monumentos arquitônicos como as mesquitas de Firuz Bey e Ílyas Bey.

Enfrentou guerras contra seus beilhique vizinhos, perdendo uma faixa ao norte de seu território para o beilhique de Aydinoglu (entre eles, a cidade de Güzelhisar, que se tornou capital daquele beilhique). Perdeu também regiões para Hamidali. Na segunda metade do século XIV, contudo, se aliaria a esses beilhique na resistência ao avanço Otomano.

Queda[editar | editar código-fonte]

Bayezid I, Sultão dos Otomanos, conquistou Mentese em 1390. Com a invasão da Anatólia por Tamerlão e a subsequente crise institucional do Império Otomano, Mentese recuperou sua independência, garantida pelo próprio Tamerlão em 1402, que restaurou o beilhique a seu antigo soberano Menteşeoğlu İlyas Bey.

Após a restauração do Império Otomano, por Mehmed I, Mentese tentou manter sua independência declarando-se beilhique vassalo ao Sultão Otomano; foi, todavia, invadido, anexado e suprimido por Murad II em 1424. Criou-se, no lugar, a província de Muğla.

A Riviera Turca[editar | editar código-fonte]

A Cária, por sua belezas naturais, veio a se tornar a província favorita de Murad II; aí o Sultão desfrutou dois anos de ócio contemplativo, após entregar o governo do Império ao seu filho Maomé II.

Ainda hoje as costas da Cária e da Lícia, territórios correspondentes ao antigo Mentese, são conhecidas como a Riviera Turca.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]