Bell Marques

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde outubro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Bell Marques
Bell Marques durante apresentação do Chiclete com Banana, em 2010.
Informação geral
Nome completo Washington Marques da Silva
Também conhecido(a) como Bell
Nascimento 5 de setembro de 1952 (61 anos)
Origem Salvador
País  Brasil
Gênero(s) Axé, Reggae, Samba-reggae
Instrumento(s) Voz, guitarra
Período em atividade Cantor
Gravadora(s) Sony Music
Afiliação(ões) Chiclete com Banana

Washington "Bell" Marques da Silva (Salvador, 5 de setembro de 1952) é um cantor brasileiro de axé music.

http://www.bellmarques.com/

Carreira[editar | editar código-fonte]

Iniciou a carreira musical na adolescência, ajudando o irmão, Wilson, como técnico de som na região de Salvador. Assim, Bell juntou dinheiro e comprou seu primeiro instrumento musical. Começou tocando com seu amigo Rey e o irmão Wadinho Marques, com quem formou a banda Scorpius no fim da década de 1970.

Em 1980, abraçando a idéia de Bell de tocarem em trio elétrico, foram contratados pelo Bloco Traz os Montes para tocarem no carnaval daquele ano. No ano seguinte, o engenheiro de som Wilson Marques sugeriu e pos em prática uma idéia revolucionaria de fechar toda a lateral do trio com caixas de som e usar equipamentos de potência transistorizada, passando todos os músicos a tocarem na parte superior do trio, causando assim, na época, grande diferença dos demais,

Liderando a banda, em 1982 finalmente ela muda, por razões comerciais, de nome, ganhando o título de Chiclete com Banana, tendo Bell como seu líder e vocalista.

De público restrito à capital baiana, aos poucos o ritmo baiano foi ganhando espaço na mídia do restante do país, e Bell passou a contar com uma legião de fãs.

Há alguns anos, Bell e banda tiveram problemas com o ex-integrante, portador de ataxia cerebelar, Cacik Jonne. O ex-guitarrista acusa Bell de não ajudá-lo no tratamento da doença degenerativa. Em um certo carnaval, Bell Marques chorou em cima do trio ao lembrar de Cacik Jonne.

O sucesso sempre andou lado a lado com Bell e sua banda Chiclete com Banana, que desde o lançamento dos primeiros discos teve excelentes vendagens. Até hoje são mais de 7 milhões e 800 mil cópias vendidas, somando-se 12 discos de Ouro e 10 discos de Platina, além de inúmeros troféus,

Casado há mais de vinte anos com Ana Marques, Bell tem dois filhos com ela: Rafael e Filipe (da qual formaram a banda Oito7Nove4). No ano de 2003, Bell reconheceu a paternidade de Rebeca Teixeira. Bell tem duas netas: Iris e Elis. Por ser sua marca registrada, e por temer não ser reconhecido sem a mesma, apresenta-se sempre com bandana. Outra versão para justificar o uso da bandana é o de que Bell Marques seja careca.

Bell esteve por trás de grandes revoluções na música baiana, como a gravação do primeiro CD ao Vivo em cima de um trio elétrico em 1997, e pela introdução do trio elétrico Tiranossauro Rex no carnaval do ano 2000.

Atualmente o Chiclete Com Banana canta em todos os cantos do Brasil, principalmente em micaretas e shows. Em Salvador no carnaval o Chilete Com Banana tem três blocos de rua: o Nana Banana, que sai no circuito Barra-Ondina, o Camaleão, no circuito Campo Grande, e também o Voa-Voa, que é um dos últimos blocos a sair na terça-feira de Carnaval. Hoje Bell Marques é considerado um dos maiores cantores de axé music do Brasil.

No dia 4 de março de 2011, Bell Marques tirou pela primeira vez sua barba em 30 anos de carreira, por conta de uma campanha publicitária para uma marca de lâminas de barbear, pegando sua legião de "chicleteiros" de surpresa.

Saída[editar | editar código-fonte]

Na manhã do dia 10 de setembro de 2013, após 33 anos à frente do Chiclete Com Banana, Bell Marques anunciou sua saída da banda, cumprindo agenda até o final do Carnaval de 2014 [1] , para seguir em carreira solo. Especulou-se que o motivo de sua saída fosse divergências com integrantes da banda. Sua estreia em carreira solo, com novos músicos em sua banda, se deu no mesmo carnaval de 2014, na madrugada da terça-feira de carnaval para a quarta-feira de Cinzas, algumas horas depois de sua despedida do Chiclete.

Seu primeiro show em carreira solo, foi em Fortaleza, no dia 29 de março de 2014, no Siriguella.[2]

Banda[editar | editar código-fonte]

Esta é a formação da banda que acompanha Bell Marques (voz e guitarra rítmica) em sua carreira solo.

  • Robson Nonato: teclados
  • Gustavo Caribé: baixo
  • Junior Figueiredo: guitarra solo
  • Walmar Paim: bateria
  • Tiago Nunes: percussão
  • Jaime Nascimento "Jaiminho": percussão
  • Kiko Souza: saxofone
  • Sinho Cerqueira: trompete
  • Gilmar Chaves: trombone
  • Mário Brito "Caverna": violino
  • Ricardo Erick: violoncelo

Referências

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bell Marques