Benção apostólica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde julho de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A bênção apostólica é uma declaração da bênção de Deus sobre a vida daqueles que crêm n'Ele e que se manifesta através da Trindade (Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo).

História[editar | editar código-fonte]

Essa bênção é ministrada pelos Sacerdotes a aqueles que estão sob seu pastoreio. Está registrada na Bíblia no livro de 2 Coríntios, capítulo 13, versículo 13 que diz: "A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós". Esta é a passagem mais antiga em que aparece uma bênção em nome de Deus (Pai), de Jesus Cristo e do Espírito Santo. A comunhão do Espírito Santo também pode traduzir-se por "a solidariedade" (ou participação) que o Espírito Santo produz. Em diversos manuscritos aparece no final do versículo: "Amém" (Assim seja).

Católicos[editar | editar código-fonte]

A Bênção Apostólica pode-se referir, no Catolicismo, à tradicional bênção que o Santo Padre, o papa, invoca sobre todos os que a recebem. Pois ele sendo o Sucessor de Pedro e Vigário de Cristo, tem essa dignidade, segundo a visão da Igreja Católica Apostólica Romana. Pode ser dada, também, em via extraordinária, para outros prelados:

O bispo, na própria diocese, por três vezes ao ano nas festas à sua escolha, mesmo que ele só assistisse à missa.

Os outros altos prelados, mesmo se não fossem bispos, podem desde o começo do seu ministério, dar a benção apostólica com a indulgência, três vezes por ano nos territórios onde exercem seu ministerio, em festas à sua escolha.

A benção è dada no fim das missas em lugar da benção ordinária. À ela refere-se o ato penitencial no começo da celebração eucarística.
Benedizionale, 1955

Protestantes[editar | editar código-fonte]

Na Igreja Protestante, a bênção apostólica é proferida pelo Pastor ou líder espiritual da Igreja nos finais dos cultos, dentre essas igrejas estão: Presbiteriana do Brasil e Presbiteriana Independente, Congregacional, Metodista, Assembléia de Deus, Adventista da Promessa, etc . Como líderes eles são responsáveis pela oração de bênção de seu povo, apesar de que diversos teólogos concordam que ela não está expressada como obrigação na Bíblia[1] [2] .

Fórmula[editar | editar código-fonte]

Dominus vobiscum.

Et cum spiritu tuo.

Sit nomen Domini benedictum.
Ex hoc nunc et usque in sæculum.

Adiutorium nostrum in nomine Domini.
Qui fecit cælum et terram.

Benedicat vos omnipotens Deus,
Pater, et Filius, et Spiritus Sanctus.

Amen.


Referências