Benito Arias Montano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Benito Arias Montano.

Benito Arias Montano ou Benedictus Arias Montanus (1527 – 1598), orientalista e editor espanhol do Antwerp Polyglot, nasceu em Fregenal de la Sierra, na Estremadura, em 1527. Depois de estudar nas universidades de Sevilha e Alcalá de Henares, foi ordenado, em 1559. Tornou-se membro clerical da Military Order of St. James, e acompanhou o Bispo de Segóvia ao Concílio de Trento (1562) onde ganhou grande distinção.

Quando retornou, retirou-se para uma ermida em Aracena convocado por Philip II (1568) para supervisionar uma nova versão poliglota da Bíblia, contando com a colaboração de alguns homens instruídos. A obra foi lançada pela editora Plantin (1572, 8 volumes) sob o título Biblia sacra hebraice chaldaice, graece et latine, Philippi II regis catholici pietate et studio ad sacrosanctae Ecclesiae usum.

León de Castro, professor de línguas orientais, em Salamanca, para quem a tradução Vulgate Arias era oposta so texto hebreu original, denunciou Arias aos romanos, e mais tarde à inquisição espanhola por alterações ao texto bíblico, fazendo uso liberal dos escritos rabínicos, violando o decreto do Concílio de Trento, no que diz respeito à autenticidade da Vulgata. Depois de várias jornadas a Roma, Arias livrou-se das acusações (1580) e retornou à ermida, recusando as honras episcopais que lhe eram oferecidas pelo rei. Aceitou, contudo, o título capeleiro militar real, mas foi apenas induzido a abandonar o seu retiro a fim de superintender a biblioteca do Mosteiro e Sítio do Escorial e ensinar línguas orientais.

Deixou a vida de eremita, dividindo o seu tempo entre a oração e o estudo. Em adição às obras escritas relacionadas com a poligota, as mais célebres são Antiquitatum judaicarum libri IX (Leyden, 1593); e também: Humanae salutis monumenta (Antuérpia, 1571). Ele foi ainda considerado poeta.

Ele foi tema de um Elogio histórico, por Tomás Gonzalez Caral, nas Memorias de la Real Academia de la Historia (Madrid), vol. vii.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo incorpora texto da Encyclopædia Britannica (11ª edição), publicação em domínio público.
  • Rekers, B., Benito Arias Montano (1527-1598). Studies of the Warburg Institute, 33. London: Warburg Institute, University of London, 1972.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Benito Arias Montano