Bento António Gonçalves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bento Gonçalves

Bento António Gonçalves (Fiães do Rio, Montalegre, 2 de Março de 1902Tarrafal, 11 de Setembro de 1942) foi o secretário-geral do Partido Comunista Português de 1929 a 1942.

Em 1915, após concluir a instrução primária, começa a trabalhar, em Lisboa, como torneiro de madeira. Dois anos depois, em 1917, é aprendiz de torneiro mecânico, sendo, em 1919, admitido como torneiro mecânico no Arsenal da Marinha.

Depois de desenvolver intensa actividade como sindicalista, Bento Gonçalves ingressa, em 1928, no Partido Comunista Português, participa activamente na reorganização de 1929, e é, nesse mesmo ano, eleito secretário-geral.

Preso em 1930, foi deportado para os Açores e posteriormente para Cabo Verde.

Em 1933, de novo em liberdade, passou à clandestinidade e reassumiu as suas funções de secretário-geral. Em 1935, chefiou a delegação portuguesa ao VII Congresso da Internacional Comunista em Moscovo. Pouco depois do seu regresso, foi preso juntamente com os dois outros membros do Secretariado do PCP, José de Sousa e Júlio Fogaça.

Em 1936 é enviado para o campo de concentração do Tarrafal, onde morre vítima de uma biliose.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • GONÇALVES, Bento. Palavras necessárias: a vida proletária em Portugal de 1872 a 1927. Porto, ed. de Virgínia Moura, 2.ª ed., 1973.
  • GONÇALVES, Bento. Escritos (1927-1930). Recolha, introdução e notas de António Ventura. Lisboa, Seara Nova, 1976.
  • GONÇALVES, Bento. Inéditos e testemunhos. Introdução, recolha e bibliografia de Alberto Vilaça. Lisboa, Editorial Avante!, 2003. ISBN 978-972-550-293-8.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
José Carlos Rates
Secretário-Geral do
Partido Comunista Português

1929 - 1942
Sucedido por
Vacante
Álvaro Cunhal só assume o cargo em 1961


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.