Bermudo II de Leão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bermudo II (Libro de las Estampas)

Bermudo II de Leão e da Galiza ou Vermudo II (ca. 956Villanueva del Bierzo, Leão, 999), foi rei da Galiza a partir de 982 e de Leão desde 985 e até à sua morte. Julga-se que tenha sido filho bastardo de Ordonho III de Leão (925Zamora, agosto de 956)1 . Foi cognominado o Gotoso, por sofrer de gota.

Foi feito rei da Galiza, em Santiago de Compostela, pelos nobres galego-portugueses, descontentes com as derrotas de Ramiro III de Leão frente aos muçulmanos. Reforçou o seu poder ante Ramiro ao vencê-lo na Batalha da Portela de Arenas (983); auxiliado pelas forças do Almançor, dominou o reino de Leão em 985, e expulsou os aliados muçulmanos do seu reino; em represália, o Almançor reuniu um grande exército, com o qual saqueou sucessivamente Coimbra, Leão, Zamora, Lugo e Astorga.

Bermudo III acabou por se refugiar na Galiza ante o poderoso assédio muçulmano; contudo, as forças muçulmanas continuaram a saquear o reino, tendo logrado alcançar a própria cidade de Compostela, em 997 tendo feito milhares de cativos cristãos e, de acordo com a tradição, obrigado os vencidos a transportar os sinos da sé-catedral até Córdova.

Bermudo continuou foragido na Galiza ante a desorganização geral do reino; à medida que a sua gota evoluía, deixou de poder cavalgar, e acabou por falecer em 999, vitimado por essa afecção.

Deixou o reino ao seu filho Afonso, então ainda menor.

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Foi filho de Ordonho III de Leão (925 - Zamora, agosto de 956) e de Urraca Fernandes.

Do seu primeiro casamento entre 980-981 com Velasquita Ramires teve:

  1. Cristina Bermudes, casada com Ordonho Ramirez "o Cego", filho de Ramiro III de Leão e de Sancha Gomes, filha de Gomez Diaz de Saldanha2 3 .

Casou em Novembro de 991 com Elvira Garcia (morta em Dezembro de 1017) filha de Garcia Fernandez e de Ava de Ribagorza4 , de quem teve:

  1. Afonso V de Leão e Castela (994 - 1028), rei de Leão. Casou por duas vezes, a primeira com Elvira Mendes, condessa de Portugal, filha do conde Mendo Gonçalves 5 6 e de Tutadona Moniz. O segundo casamento foi com Urraca Garcês de Pamplona.

Filhos de uma senhora cujo nome a história não regista:

  1. Ordonho Bermudes (morto em 1042) casou com Fronilde Pais, filha de Paio Rodrigues ( m. 1007) e de Gotina Fernandes de Cea).

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Costados do Duque de Bragança, Luis Amaral e Marcos Soromenho Santos, Guarda-Mór Lisboa, 2002.
  • Actas do 17º Congresso Internacional de Ciências Genealógica e Heráldica, Instituto Português de Heráldica, Lisboa, 1986, pág. 317 (Tab. I).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ordonho III de Leão.
  2. Gayo, Manuel José da Costa Felgueiras,Nobiliário de Famílias de Portugal, Carvalhos de Basto, 2ª Edição, Braga, 1989. vol. IV-pg. 237.
  3. Actas do 17º Congresso Internacional de Ciências Genealógica e Heráldica, Instituto Português de Heráldica, Lisboa, 1986. Tab. II-pg. 317.
  4. Dicionário Biográfico das Damas
  5. (em espanhol) Juan Francisco de Masdeu, Historia crítica de España y de la cultura española, Volum 15 p.172
  6. "OLIVEIRA MARQUES, A. H. de. História de Portugal. 11ª ed. Lisboa: Palas, 1983. Vol. I, p. 59."> OLIVEIRA MARQUES, A. H. de. História de Portugal. 11ª ed. Lisboa: Palas, 1983. Vol. I, p. 59.
Precedido por
---
Armas do reino da Galiza
Rei da Galiza

982 - 999
Sucedido por
---
Precedido por
Ramiro III
Armas do reino de Leão
Rei de Leão

985 - 999
Sucedido por
Afonso V
Ícone de esboço Este artigo sobre História da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.