Bermudo II de Leão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bermudo II (Libro de las Estampas)

Bermudo II de Leão e da Galiza ou Vermudo II (ca. 956Villanueva del Bierzo, Leão, 999), foi rei da Galiza a partir de 982 e de Leão desde 985 e até à sua morte. Julga-se que tenha sido filho bastardo de Ordonho III de Leão (925Zamora, agosto de 956)[1] . Foi cognominado o Gotoso, por sofrer de gota.

Foi feito rei da Galiza, em Santiago de Compostela, pelos nobres galego-portugueses, descontentes com as derrotas de Ramiro III de Leão frente aos muçulmanos. Reforçou o seu poder ante Ramiro ao vencê-lo na Batalha da Portela de Arenas (983); auxiliado pelas forças do Almançor, dominou o reino de Leão em 985, e expulsou os aliados muçulmanos do seu reino; em represália, o Almançor reuniu um grande exército, com o qual saqueou sucessivamente Coimbra, Leão, Zamora, Lugo e Astorga.

Bermudo III acabou por se refugiar na Galiza ante o poderoso assédio muçulmano; contudo, as forças muçulmanas continuaram a saquear o reino, tendo logrado alcançar a própria cidade de Santiago de Compostela, em 997 tendo feito milhares de cativos cristãos e, de acordo com a tradição, obrigado os vencidos a transportar os sinos da sé-catedral até Córdova.

Bermudo continuou foragido na Galiza ante a desorganização geral do reino; à medida que a sua gota evoluía, deixou de poder cavalgar, e acabou por falecer em 999, vitimado por essa afecção.

Deixou o reino ao seu filho Afonso, então ainda menor.

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Foi filho de Ordonho III de Leão e de Urraca Fernandes.

Do seu primeiro casamento entre 980-981 com Velasquita Ramires teve:

  1. Cristina Bermudes, casada com Ordonho Ramirez "o Cego", filho de Ramiro III de Leão e de Sancha Gomes, filha de Gomez Diaz de Saldanha[2] [3] .

Casou em Novembro de 991 com Elvira Garcia (morta em Dezembro de 1017) filha de Garcia Fernandes, conde de Castela e de Ava de Ribagorza[4] , de quem teve:

Filhos de uma senhora cujo nome a história não regista:

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Costados do Duque de Bragança, Luis Amaral e Marcos Soromenho Santos, Guarda-Mór Lisboa, 2002.
  • Actas do 17º Congresso Internacional de Ciências Genealógica e Heráldica, Instituto Português de Heráldica, Lisboa, 1986, pág. 317 (Tab. I).

Referências

  1. Ordonho III de Leão.
  2. Gayo, Manuel José da Costa Felgueiras,Nobiliário de Famílias de Portugal, Carvalhos de Basto, 2ª Edição, Braga, 1989. vol. IV-pg. 237.
  3. Actas do 17º Congresso Internacional de Ciências Genealógica e Heráldica, Instituto Português de Heráldica, Lisboa, 1986. Tab. II-pg. 317.
  4. Dicionário Biográfico das Damas
  5. (em espanhol) Juan Francisco de Masdeu, Historia crítica de España y de la cultura española, Volum 15 p.172
  6. "OLIVEIRA MARQUES, A. H. de. História de Portugal. 11ª ed. Lisboa: Palas, 1983. Vol. I, p. 59."> OLIVEIRA MARQUES, A. H. de. História de Portugal. 11ª ed. Lisboa: Palas, 1983. Vol. I, p. 59.
Precedido por
---
Armas do reino da Galiza
Rei da Galiza

982 - 999
Sucedido por
---
Precedido por
Ramiro III
Armas do reino de Leão
Rei de Leão

985 - 999
Sucedido por
Afonso V
Ícone de esboço Este artigo sobre História da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bermudo II de Leão