Bernard Williams

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Bernard Arthur Owen Williams (21 de setembro de 192910 de junho de 2003) foi um filósofo moralista inglês. Filósofo inglês. Williams nasceu no Essex, estudou no Balliol College de Oxford, e foi membro do corpo docente do All Souls e do New College. Foi professor de filosofia em Cambridge entre 1967 e 1979 e Reitor do King's College de Cambridge entre 1979 e 1987, altura em que aceitou uma cadeira em Berkeley, regressando em 1990 à cadeira de filosofia moral em Oxford. Williams é conhecido por defender uma posição subtilmente relativista em filosofia moral, rejeitando as promessas aristotélicas e kantianas segundo as quais a virtude resulta do exercício das propensões racionais da mente. Também rejeita as teorias expressivistas e projectivistas, argumentando que se, pelo contrário, a ética se basear apenas em sensações e paixões contingentes não pode ser o que parece. O seu argumento de que a ética kantiana e o utilitarismo põem uma tónica não natural nos interesses puramente impessoais, ignorando os projectos pessoais que necessariamente ocupam o horizonte próximo das vidas práticas das pessoas, tem sido bastante influente. Descartes: the Project of Pure Inquiry (1978), Ethics and the Limits of Philosophy (1985) e Shame and Necessity (1993) são algumas das suas obras principais. Problems of the Self (1973) e Moral Luck (1981) são duas das suas colectâneas de artigos.

Simon Blackburn

http://criticanarede.com/html/fil_bernardwilliams.html</references>

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia / um filósofo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.