Bessos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Maio de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Bessos ou Bessus (? — verão de 329 a.C.), foi um nobre persa e sátrapa da Báctria e Sogdiana, e mais tarde autoproclamado rei da Pérsia. Ele é mais conhecido por ter assassinado e usurpado seu rei, Dario III, depois que o exército persa foi derrotado por Alexandre, o Grande.

Na 1 de outubro de 331 a.C.,[carece de fontes?] na Batalha de Gaugamela, Bessos comandou as tropas da Báctria, da qual ele era sátrapa, sob o comando de Dario III contra o exército macedônio de Alexandre.[1] Bessos sobreviveu à derrota de Gaugamela e manteve-se ao lado de Dario III, cujas tropas iludiram Alexandre e passaram o inverno em Ecbátana. No ano seguinte Dario III tentou fugir para Báctria, no leste. Bessos, conspirando com camaradas sátrapas, depôs Dario III. Acredita-se que ele pretendesse entregar o rei ao Macedônios, mas Alexandre ordenou às suas tropas perseguir brutalmente os persas mesmo após ter recebido a promessa da prisão de Dario. Em julho de 330 a.C., perto de Hecatompilos, os conspiradores, em pânico, feriram mortalmente Dario III e o deixaram para trás, e Dario acabou sendo encontrado por um soldado macedônio, de nome Polístrato.

Bessos proclamou-se rei da Pérsia e adotou o nome de Artaxerxes V. Sua ascensão autoproclamada não foi sem precedente, pois "sátrapa da Báctria" era um título freqüentemente dado ao nobre herdeiro do trono persa. Mas como o império persa havia sido conquistado e Bessos governava apenas uma aliança de províncias renegadas, os historiadores geralmente não o consideram como um verdadeiro rei persa.

Bessos retornou a Báctria e tentou organizar a resistência entre as satrapias orientais. Alexandre foi forçado a deslocar suas forças para liquidar a rebelião em 329 a.C.. Apavorado com a aproximação dos Macedônios, o próprio povo de Bessos capturou-o e entregou-o a Alexandre.

Alexandre ordenou que se cortassem as orelhas e o nariz de Bessos, que era o costume persa reservado àqueles envolvidos em rebelião e regicídio; sabe-se que Dario I puniu o usurpador Fraortes de maneira similar. Bessos foi então crucificado no local onde Dario III foi morto.

Referências

  1. Arriano, Anabasis, 3.8 [em linha]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]