Bethy Lagardère

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bethy Lagardère
Nome completo Elizabeth Pimenta Lucas[nota 1]
Nascimento 20 de março de 1949 (66 anos)
Belo Horizonte
 Minas Gerais
Nacionalidade  Brasil
 França
Ocupação Empresária

Bethy Lagardère (Belo Horizonte, 29 de março de 1949), é uma socialite[1] e ex-modelo brasileira radicada na França.[2] Nascida em Minas Gerais, Bethy fez carreira nas passarelas internacionais na década de 1970, e casou-se com o empresário francês Jean-Luc Lagardère — a quem conheceu após um desfile —, que foi um dos homens mais ricos da França (falecido em 2003). Após sua morte, ela tornou-se herdeira de um império empresarial,[3] que inclui a montadora Matra e a editora Hachette, que publica, entre seus títulos, a Elle e a Marie Claire.[4] Bethy está casada desde 2011 com o ator brasileiro Waldyr Gozzi, com quem vive entre Rio de Janeiro e Paris.

Colecionadora de vestidos de alta costura,[5] ela já fez parte da lista das mulheres mais chiques do mundo, elaborada pela revista Harper's Bazaar. Tendo sido a favorita do estilista Emanuel Ungaro, o mais festejado dos anos 1970. Bethy era tão famosa no circuito de moda francês quanto Gisele Bündchen é hoje mundo afora.[6] Como empresária lançou uma cachaça que leva o seu nome.[7]

Notas

  1. Nome de batismo.

Referências

  1. Leonardo Attuch (2003). Bethy, a brasileira mais poderosa da Europa Isto é Dinheiro. Visitado em 20 de outubro de 2013.
  2. Paulo Borges. Dama de ferro Terra. Visitado em 20 de outubro de 2013.
  3. Flávia Varella (2004). Uma viúva poderosa Veja on-line. Visitado em 20 de novembro de 2013.
  4. Estadão, Bethy Lagardère: uma amostra da alta-costura que ela veste, página visitada em 20 de novembro de 2013.
  5. Maria Carolina Garcia Geraldi (2006). Orientalismo nos grandes magazines: algumas imagens do Brasil além-mar Coloquiomoda.com.br. Visitado em 20 de outubro de 2013.
  6. ISTO É Dinheiro, página visitada em 20 de novembro de 2013.
  7. Joana Dominguez Gonzalez Boueres Beleza (2012). O lugar do livro na cultura contemporânea: cultura material, consumo e identidade coneco.uff.br p. 8. Visitado em 20 de novembro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) modelo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.