Biblioterapia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

conceito[editar | editar código-fonte]

A biblioterapia pode ser conceituada como a prescrição de materiais de leitura com função terapêutica. A prática biblioterapêutica pode ser utilizada como um importante instrumento no restabelecimento psíquico de indivíduos com transtornos emocionais. Ela admite a possibilidade de terapia por meio da leitura, contemplando não apenas a leitura de histórias, mas também os comentários adicionais a ela, e propõe práticas de leitura que proporcionem a interpretação do texto. Se define também como o processo entre a personalidade, a realidade e os problemas do leitor, com a identificação com um personagem ou uma história. Essa identificação causa uma relação entre a literatura e o leitor, que incorpora traços dessas histórias para o seu mundo. Isso permite ao leitor, conhecer suas emoções, conhecer emoções parecidas e ajudá-lo a superar seus problemas pessoais. É um processo que começa com a análise de problema. Identificar por qual dificuldade o leitor está passando e pensar nas leituras que poderiam ajudá-los a enfrentá-los. Esse passo geralmente é realizado por médicos e psicólogos. Depois vem a escolha do livro que e tarefa para os bibliotecários. Vários fatores influenciam nessa escolha como os gostos pessoais de cada um, o gral de escolaridade, a faixa etária entre outros. Por último vem o diálogo sobre a leitura; uma conversa entre o leitor e um profissional para a interpretação o texto. Essa etapa pode ser tanto individual, como em grupo.

A biblioterapia exige o acompanhamento terapêutico, seja de um bibliotecário com formação terapêutica, ou de psicólogos, psicoterapeutas, psiquiatras, ou mesmo de um bibliotecário com apoio destes profissionais.

A leitura, através da biblioterapia, proporciona uma melhoria na qualidade de vida das pessoas. É também muita usada em hospitais, principalmente naqueles pacientes que precisam passar longos períodos internados. Nesses casos, a leitura funciona tanto como uma atividade de lazer, para aliviar a tensão do ambiente, quanto uma forma de conhecimento e atualização. O processo biblioterapêutico pode ser útil também, na reabilitação de detentos e jovens infratores; nos orfanatos ajudando crianças a superarem possíveis traumas pós-abandono, e em várias outras realidades sociais.

A fundação, no Brasil, da Sociedade Brasileira de Biblioterapia Clínica pretende formar profissionais específicos para que possam exercer a função, com conhecimento de diversas áreas ligadas ao tema. Busca também, desenvolver pesquisas e ações voltadas para este tema, agregando conceitos das áreas médicas e educacionais. [1]