Big Ben Bolt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Big Ben Bolt
Tira diária
Comic image missing-pt.png
País de origem  Estados Unidos
Língua de origem inglês
Editor King Features Syndicate
Género(s) Ação
Aventura
Argumento Elliot Caplin
Desenho John Cullen Murphy
Título em português Big Ben Bolt
Primeira publicação 20 de fevereiro de 1950
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Big Ben Bolt é uma tira de quadrinhos desenhada por John Cullen Murphy, escrita por Elliot Caplin e distribuída pelo King Features Syndicate sobre um personagem de mesmo nome, lutador de boxe e jornalista. No Brasil, Big Ben Bolt teve revista própria publicada pela Rio Gráfica Editora, apareceu na revista Gibi Semanal da mesma editora [1] e mais recentemente na revista Stripmania da Opera Graphica Editores[2] .

O artista Murphy se alistou no Exército dos Estados Unidos em 1940, servindo no 7º Regimento. Ele passou muitos anos no Pacífico, começando na Austrália e indo até Tóquio. Durante a Segunda Guerra Mundial, Murphy continuou com suas ilustrações, enviando trabalhos para o jornal Chicago Tribune e pintou retratos de militares. De volta aos Estados Unidos em 1946, ele retomou sua carreira de ilustrador, desenhando para revistas tais como Columbia, Liberty e Sport.

Personagens e histórico[editar | editar código-fonte]

Em 1950, o escritor Elliot Caplin (irmão do criador de Li'l Abner, Al Capp) sugeriu a Murphy que desenhasse uma tira sobre boxe que tinha em mente. A tira se basearia nas aventuras do lutador e jornalista Ben Bolt. Murphy desenhou Big Ben Bolt de 1950 até 1978. O pesquisador de quadrinhos Don Markstein escreveu:

"King Features Syndicate lançou a tira diária de Ben em 20 de fevereiro de 1950 e a página dominical em 25 de maio de 1952. O nome do personagem foi provavelmente tirado do poema do inglês Thomas Dunn, "Ben Bolt", que é lembrado desde que foi publicado pela primeira vez em 1843. Também não foi o primeiro desenho com esse nome, pois um painel com o nome Ben Bolt, do cartunista Fanny Young Cory (Other People's Children, Little Miss Muffet), foi iniciado em 1916 como uma paródia do "Ben Bolt" inglês. Não tivera grande repercussão e foi rapidamente esquecido até Caplin e Murphy voltarem com o nome. Ben não seguia os estereotipos. Ao contrário de ser uma grande e burra máquina de bater, ele era uma pessoa articulada e de nível universitário que escolhera a carreira de lutador de boxe por ser bom nisso (venceu o título mundial de pesos-pesados) e não porque não tivesse oportunidade em outras áreas. Assim, quando em 1955 uma lesão o tirou dos ringues, ele se tornou jornalista. Por décadas as tiras se baseariam no que ele escrevia sobre o boxe e não a sua prática". [3]

Murphy ocasionalmente usava assistentes tais como Al Williamson (Flash Gordon), Alex Kotzky (Apartment 3-G), Neal Adams (Deadman), John Celardo (Tarzan) e Stan Drake (The Heart of Juliet Jones). Em 1971, Murphy assumiu Príncipe Valente e Gray Morrow o substituiu na tira, assinando a partir de 1 de agosto de 1977.

No Brasil, a revista da Opera Graphica Stripmania n. 2, de outubro de 2003, publicou uma tira de Big Ben Bolt desenhada por Joe Kubert sob o título "O terror índio" [4] um lutador de boxe desconhecido cuja luta contra o campeão mundial fora acompanhada por Ben Bolt. Na apresentação da tira foi incluído um texto de João Sobral onde são contados maiores detalhes da vida de Ben Bolt: passara sua juventude num país da cortina de ferro e chega aos Estados Unidos aos 20 anos de idade. Personagens que aparecem nas tiras são o ex-boxeador Spider Haines, os tios Thadeus e Martha Bolt e a futura namorada Charity O'Hara. No decorrer dos anos, Ben auxiliou um detetive e colaborou com uma agência secreta. A tira foi cancelada em 15 de abril de 1978. Nos últimos anos Ben entrou para a Interpax, uma agência internacional que usa tecnologia (três episódios escritos por Gray Morrow) e numa última tentativa da King Features Syndicate apareceu numa tira em que foi indicado ao Prêmio Nobel da Paz quando foi assassinado durante a cerimônia (desenhos de Neal Adams).

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Murphy recebeu prêmio de melhor cartunista de 1971 concedido pela National Cartoonists Society pelo seu trabalho em Big Ben Bolt e Príncipe Valente.[5]

Referências

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]