Biologia molecular

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Esquema correlacionando a Biologia Molecular como uma disciplina na interface da Bioquímica e da Genética

A Biologia Molecular é o estudo da Biologia em nível molecular, com especial foco no estudo da estrutura e função do material genético e seus produtos de expressão, as proteínas. Mais concretamente, a Biologia Molecular investiga as interacções entre os diversos sistemas celulares, incluindo a relação entre DNA, RNA e síntese proteica. É um campo de estudo alargado, que abrange outras áreas da Química, em especial Genética e Bioquímica.[1] Sergio Russo Matioli Arnaldo Zaha, Henrique Bunselmeyer Ferreira, Luciane M. P. Passaglia

Relação com outras ciências biológicas de nível molecular[editar | editar código-fonte]

Na Biologia Molecular são frequentemente combinadas técnicas e ideias provindas da Microbiologia, Genética, Bioquímica e Biofísica (veja a secção “Técnicas em Biologia Molecular”, mais abaixo). Historicamente, a Microbiologia exerceu um papel fundamental no desenvolvimento da Biologia Molecular, pois a maioria dos conceitos-chave e das técnicas de Biologia Molecular se originou a partir de estudos e experimentos realizados principalmente com bactérias, fungos e vírus (especialmente bacteriófagos, que são vírus que infectam bactérias). Não existindo distinções muito definidas entre as disciplinas mencionadas, pode-se considerar a Biologia Molecular na interface entre a Bioquimica e a Genética, como mostra o esquema abaixo.Keith Roberts, Martin Raff, Bruce Alberts, Peter Walter, Julian Lewis e Alexander Johnson

A Bioquímica define-se, de uma forma geral, como o estudo das reacções químicas em organismos vivos; a Genética ocupa-se especificamente do estudo das consequências de diferenças no material genético nos organismos. A Biologia Molecular ocupa então um espaço próprio, mas relacionando conhecimentos dos dois campos, ao investigar os mecanismos de replicação, transcrição e tradução do material genético.

Muito da investigação em Biologia Molecular é relativamente recente, e muitos trabalhos têm sido feitos recorrendo-se à Bioinformática e Biologia Computacional. Estes recursos tornaram o estudo da estrutura e função de genes, ou Genética Molecular, num dos campos mais proeminentes em Biologia Molecular.

Técnicas em Biologia Molecular[editar | editar código-fonte]

Muito do trabalho feito no âmbito da Biologia Molecular relaciona-se com a obtenção, identificação e caracterização de genes. Assim sendo, diversas técnicas têm sido desenvolvidas no meio da biologia aqui vão sendo citadas algumas.Michael M. Cox, Jennifer A. Doudna, Michael O’Donnell

Reacção em cadeia da polimerase[editar | editar código-fonte]

A reacção em cadeia de polimerase, ou PCR, é uma técnica de grande versatilidade que permite obter múltiplas cópias de um segmento de DNA. O PCR também é usado para introduzir locais de restrição e mutações pontuais ou para identificar um fragmento particular de DNA numa biblioteca de cDNA.André Luis Laforga Vanzela, JOSE MAURICIO SFORCIN

Electroforese em gel[editar | editar código-fonte]

A electroforese em gel é uma das principais ferramentas de trabalho em Biologia Molecular. Em geral, DNA, RNA e proteínas podem ser separados segundo o seu tamanho numa matriz usando um campo eléctrico aplicado. Na electroforese em gel de agarose, o DNA ou o RNA é separado fazendo a amostra migrar através de um gel de agarose. As proteínas são normalmente separadas segundo o seu tamanho usando electroforese em gel de acrilamida; também podem ser separadas segundo a sua carga eléctrica usando focagem isoeléctrica.

Southern blot[editar | editar código-fonte]

O Southern blot é uma técnica que permite obter informação sobre a massa molecular e a quantidade relativa de uma determinada sequência de DNA. A técnica, desenvolvida por Edwin Southern, é uma combinação de electroforese em gel do DNA (este é frequentemente fragmentado por enzimas de restrição antes de fazer o Southern), transferência deste para uma membrana e hibridização com uma sonda marcada (radioactiva ou fluorescente). Após a hibridização, a membrana é lavada para remover sonda não ligada a DNA e obtém-se uma imagem através de autoradiografia ou autofluorescência. A imagem obtida dá a(s) localização(ões) do DNA que liga a sonda, com a intensidade do sinal dando uma medida relativa da quantidade de DNA que hibridiza.

Northern blot[editar | editar código-fonte]

O Northern blot estuda o perfil de expressão de RNA mensageiro, onde, quando e quanto de determinado RNA mensageiro (correspondente à expressão de um determinado gene) está presente numa dada amostra. É uma das formas mais simples de determinar em que momento certos genes estão a ser expressos em sistemas vivos. Neste processo, o RNA é separado numa electroforese em gel, transferido para uma membrana e detectado de forma similar ao DNA no Southern blot. James D. Watson, Tania A Baker, Stephen P. Bell, Alexander Gann, Michael Levine, Richard Losick

Western blot[editar | editar código-fonte]

O Western blot usa o mesmo princípio do Southern blot e do Northern blot mas é aplicado a proteínas. Estas são separadas usando electroforese em gel de poliacrilamida, na presença do detergente dodecilo sulfato de sódio (SDS).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. W. T. ASTBURY, Molecular Biology or Ultrastructural Biology ? , Departamento de Estrutura da Biologia Molecular, Universidade de Leeds. Nature 190, 1124 (1961) doi:10.1038/1901124a0 (em inglês)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  1. Keith Roberts, Martin Raff, Bruce Alberts, Peter Walter, Julian Lewis e Alexander Johnson, Molecular Biology of the Cell; Garland Science; 5 edição (2007), ISBN 0-815-34105-9 (em inglês)
  2. Sergio Russo Matioli, Biologia molecular e evolução; Holos, 2001, ISBN 8-586-69927-6
  3. Michael M. Cox, Jennifer A. Doudna, Michael O’Donnell, Biologia Molecular: Princípios e Técnicas; Artmed, 2012, ISBN 8-536-32741-3
  4. Arnaldo Zaha, Henrique Bunselmeyer Ferreira, Luciane M. P. Passaglia, Biologia Molecular Básica - 5.ed.; Artmed, 2014, ISBN 8-582-71058-5
  5. André Luis Laforga Vanzela, JOSE MAURICIO SFORCIN, Avanços da biologia celular e da genética molecular; UNESP, ISBN 8-571-39941-7
  6. James D. Watson, Tania A Baker, Stephen P. Bell, Alexander Gann, Michael Levine, Richard Losick, Biologia Molecular do Gene; Artmed, ISBN 8-536-31228-9

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Biologia molecular


Portal A Wikipédia possui o portal:
Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.