Bioplastia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Bioplastia é uma técnica de modelagem corporal e facial usando implantes biológicos ou sintéticos.

Origem[editar | editar código-fonte]

A bioplastia foi desenvolvida pelo cirurgião plástico Almir Moojen Nacul, foi baseada nos princípios básicos da cirurgia plástica convencional e teve, também, sua origem nas técnicas tradicionais de preenchimento, todavia se difere destas por utilizar os biomateriais em planos anatômicos profundos (músculo, tecido subcutâneo e osso). A bioplastia esta baseada segundo os seus cinco princípios básicos:

1.    Ser indicada a partir de regras de proporção e aplicá-las, através da volumetria, para criar, realçar ou recuperar linhas, ângulos e formas;

2.    Utilizar biomaterial em implante injetável de marca liberada pelo órgão nacional responsável (a Anvisa, no caso do Brasil);

3.    Implantar o biomaterial em planos anatômicos profundos;

4.    Utilizar microcânulas no lugarde agulhas;

5.     Implantaro biomaterial por retroinjeção.

PMMA[editar | editar código-fonte]

O biomaterial mais adequado à técnica atualmente é o implante injetável com microesferas de polimetilmetacrilato (PMMA), sendo que estão liberados pela ANVISA: o Biossimetric (proibido em dezembro de 2012)[1] , o MetaCryll e o Linnea Safe[2]

O PMMA tem muitos usos na área médica desde 1945, como por exemplo em Ortopedia como cimento de osso, em Oftamologia para lentes intra-oculares e em Odontologia para fixar próteses dentárias. Para fins preenchedores tem sido utilizada há mais de 23 anos no Brasil e grande parte do mundo inclusive em volumes maiores como aumento de glúteos, sequela de paralisia infantil e para tratamento de lipodistrofia em pacientes hiv +. Em lipodistrofia, a bioplastia atua principalmente preenchendo a região da face, visto que essa é a que sofre maior perda de tecido subcutâneo. Neste local, o preenchimento com bioplastia tem papel fundamental no que se refere à melhora na autoestima do paciente, visto que é uma área que passa a maior parte do tempo exposta.

Essa substância é comprovadamente biocompatível, não causando rejeição nem reações alérgicas, portanto não necessita de teste. Como as micro-esferas que compõem o produto são maiores que um macrófago, não são fagocitadas e, portanto, não são absorvidas pelo organismo, tornando o implante definitivo. Uma vantagem adicional do PMMA é que essas micro-esferas funcionam como um andaime numa construção, estimulando a produção de colágeno que se deposita sobre elas formando uma rede e fazendo com que o resultado fique ainda melhor ao longo do tempo.

As microesferas de PMMA são suspensas em um veículo carreador de gel, que permite que elas sejam injetáveis. Este gel é de metilcelulose no produto MetaCryll. Uma preocupação comum é saber que o produto não "sai do lugar". Isso não acontece pelo tamanho das esferas e também por elas terem a superfície perfeitamente regular e polida e não têm carga elétrica; portanto, são logo envolvidas pelo colágeno e não se deslocam.

A aplicação é feita com anestesia local, utilizando-se micro-cânulas, que reduzem a dor, o edema e o risco de complicações. As primeiras experiências do uso do PMMA como implante foram realizadas em 1989 na Alemanha; até então a substância era usada como cimento ortopédico. Em 1984 surgiu a idéia de misturar as micro-esferas com colágeno bovino para que fosse implantado na derme.

Hoje em dia, várias empresas comercializam o produto variando a substância carreadora e o tamanho das microesferas. A bioplastia é contra-indicada para pessoas portadoras de coagulopatias, doenças auto-imunes (como artrite reumatóide e lúpus), e gestantes.

Tipos[editar | editar código-fonte]

  • Implantes absorvíveis : hoje cada vez mais implantes para fins preenchedores estão invadindo o mercado da estética, como ácido hialuronico em mais diversas densidades dependendo do objetivo e local a ser aplicado (duração de um a dois anos aproximadamente), e também o hidrogel de poliamida (Aqualift ® Rejuvene Medical) que tem 2 apresentações: facial e corporal.
  • Não-absorvíveis (são definitivos): silicone; poliacrilamida; polimetilmetacrilato (PMMA), Bio Dermo Polimed®, sendo que liberados pela ANVISA temos apenas as 2 marcas comerciais de produtos a base de PMMA (MetaCryll e o Linnea Safe) tendo o Biossimetric sido retirado do mercado.[1]

Complicações que podem aparecer após o procedimento[editar | editar código-fonte]

  • Nódulos e granulomas na região da boca, existem alguns casos e o risco existe, a textura da boca é diferente e mais delicada, sendo aconselhada a utilização de outros produtos.
  • Hematomas - podem ocorrer, mas regridem em alguns dias.
  • Edemas - também temporários; se necessário são prescritos anti-inflamatório e aplicação de gelo local.
  • Eritemas (vermelhidão) - podem ocorrer em alguns pacientes; regridem em dois dias e podem ser disfarçados com maquilagem.
  • Formação de nódulos - desaparecem em até quinze dias.
  • As complicações a seguir podem ocorrer quando o profissional médico não utiliza o método correto de aplicação que é a Bioplastia.
  • Necrose de nariz, embora algum relato de caso existem serviços especializados com mais de mil casos sem nenhuma necrose, o resultado vai depender muito da procedência do biomaterial, da técnica aplicada e do profissional que executou o tratamento.
  • problemas de alta gravidade no nervo ciático, caso o produto seja mal aplicado nos glúteos, possibilitando inclusive necrose do mesmo.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Cirurgia plástica
Ícone de esboço Este artigo sobre Cirurgia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.