Bisão-antigo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaBisão-antigo
Bison antiquus

Bison antiquus
Estado de conservação
Pré-histórica
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Família: Bovidae
Subfamília: Bovinae
Género: Bison
Espécie: B. antiquus
Nome binomial
Bison antiquus
Leidy, 1852

O Bisão-antigo (Bison antiquus) foi o grande herbívoro mais comum do continente norte-americano há mais de 10.000 anos, e é um ancestral direto do bisão americano vivo.

Durante a época posterior Pleistoceno, entre 240 mil e 220 ​​mil anos atrás,[1] [2] [3] Bisonte-da-estepe, migraram da Sibéria para o Alasca. Esta espécie habitou partes do norte da América do Norte durante todo o restante do Pleistoceno. No entanto, Bison priscus foi substituído pelo Bisão-de-cornos-longos, Bison latifrons, e um pouco mais tarde por Bison antiquus. Os maiores B. latifrons parece ter morrido por cerca de 20.000 anos atrás. Em contraste, B. antiquus tornou-se cada vez mais abundante em partes da América do Norte a partir de 18.000 até cerca de 10.000 anos,[2] after which the species appears to have given rise to the living species, Bison bison.[4] após o qual a espécie parece ter dado origem às espécies vivas, Bison bison.[4] B. antiquus é o maior herbívoro dos mamíferos recuperados de La Brea.

B. antiquus era mais alto, tinha ossos e chifres maiores e foi 15-25% maior do que o total bisão moderno: Ele chegou até a 2,27m de altura, 4,6m de comprimento e um peso de 1588 kg.[5] De ponta a ponta, os chifres de B. antiquus mediam cerca de 1 metro.

Crânio de Bison antiquus

Um dos melhores sítios arqueológicos para ver esqueletos semi-fossilizadas de mais de 500 indivíduos de Bison antiquus é o Sítio arqueológico Hudson-Meng operado pelo Serviço Florestal dos EUA, 29 km a noroeste de Crawford, Nebraska. Uma série de lanças e pontas de projétil do período Paleoamericano foram recuperados em conjunto com os esqueletos de animais no local, que é datada de cerca de 9.700 a 10.000 anos atrás. A razão para o "die-off" (morte em massa) de tantos animais em um local compacto ainda está em conjecturas, alguns profissionais afirmam que foi o resultado de uma bem sucedida caça Paleoamericano, enquanto outros sentem o rebanho morreu como resultado de algum dramática evento natural, a ser posteriormente eliminado por seres humanos. Indivíduos de Bison antiquus de ambos os sexos e uma gama típica de idades foram encontrados no local.[6] [7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Bell, C.J., et al.. In: Woodburne, M.O.. Late Cretaceous and Cenozoic Mammals of North America: Biostratigraphy and Geochronology. New York: Columbia Univ. Press, 2004. 232–314 pp. ISBN 0-231-13040-6.
  2. a b Scott, E., Cox, S.M.. In: Wang, X., Barnes, L.G.. Geology and Vertebrate Paleontology of Western and Southern North America. Los Angeles: Natural History Museum of Los Angeles County, 2008. 359–382 pp.
  3. Sanders, A.E., R.E. Weems, and L.B. Albright III. In: Albright III, L.B.. Papers on Geology, Vertebrate Paleontology, and Biostratigraphy in Honor of Michael O. Woodburne. Flagstaff: Museum of Northern Arizona, 2009. 369–375 pp.
  4. a b Wilson, M.C., L.V. Hills, and B. Shapiro. (2008). "Late Pleistocene northward-dispersing Bison antiquus from the Bighill Creek Formation, Gallelli Gravel Pit, Alberta, Canada, and the fate of Bison occidentalis". Canadian Journal of Earth Sciences 45 (7): 827–859. DOI:10.1139/E08-027. Bibcode2008CaJES..45..827W.
  5. http://www.warkworthwesternweekend.com/competitors.php
  6. Davis, L.B. and Wilson, M. (1978) "Bison procurement and utilization: A symposium," Plains anthropologist. Volume 23, Issue 82, Part 2. p 128.
  7. Agenbroad, L.D. (1978) The Hudson-Meng site: an Alberta bison kill in the Nebraska high plains. University Press of America.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Artiodáctilos pré-históricos, integrado ao WikiProjeto Mamíferos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.