Black Fury

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Black Fury
Fúria Negra (PT)
Inferno Negro (BR)
Paul Muni em cena do trailer do filme
 Estados Unidos
1935 • p&b • 94 min 
Direção Michael Curtiz
Produção executiva Hal B. Wallis
Jack Warner
Roteiro Abem Finkel
Carl Erickson
Michael A. Musmanno (conto)
Harry R. Irving (peça)
Elenco Paul Muni
Karen Morley
William Gargan
Gênero Drama
Idioma Inglês
Música Bernhard Kaun
Direção de arte John Hughes
Direção de fotografia Byron Haskin
Figurino Dan Brown
Mary Dery
Hugh Blair
Edição Thomas Richards
Estúdio First National Pictures
Distribuição Warner Bros.
Lançamento Estados Unidos 18 de maio de 1935
Portugal 25 de fevereiro de 1937
Página no IMDb (em inglês)

Black Fury (Inferno Negro (título no Brasil) ou Fúria Negra (título em Portugal)) é um filme norte-americano de 1935, do gênero drama, dirigido por Michael Curtiz e estrelado por Paul Muni e Karen Morley.

Produção[editar | editar código-fonte]

Karen Morley no trailer do filme.
William Gargan também em cena do trailer do filme.

Como muitos filmes da Warner Bros. da década de 1930, Black Fury inspirou-se em manchetes de jornais.[1] No presente caso, sobre um trabalhador nas minas de carvão da Pensilvânia, morto por três detetives da empresa.

O filme, ao investir contra o extremismo, tanto de patrões quanto de sindicatos, e pregar a cooperação consciente entre eles, foi considerado uma contribuição importante para o cinema engajado.[2] Todavia, o filme contemporiza com a companhia mineradora ao tratar da violência contra os trabalhadores, pois tira a culpa dos proprietários e a joga exclusivamente nos ombros dos detetives, que teriam sido contratados por uma organização nebulosa, interessada em jogar uns contra os outros. Ainda assim, Black Fury é um dos mais poderosos exemplos dos dramas de "consciência social" da Warner.[1]

O orçamento permitiu a construção de uma mina completa, com poços, túneis e furadeiras.[2] Entretanto, o filme não fez sucesso e, devido ao seu conteúdo polêmico, enfrentou problemas com a censura em vários estados americanos, tendo sido completamente proibido na Pensilvânia.[2] No Brasil, foi exibido com cortes.[3]

Segundo Ken Wlaschin, este é um dos dez melhores filmes da carreira de Paul Muni.[4] Ainda que, no papel de um imigrante polonês, seu sotaque carregado às vezes seja difícil de entender,[5] a Academia declarou o ator "write-in candidate" ao Oscar da categoria. Um write-in candidate, isto é, um candidato não oficial, não aparece na lista de indicados, mas pode ser receber votos. No entanto, raramente saem vencedores.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Joe Radek, minerador de procedência polonesa, perde o amor de Anna, agora apaixonada pelo policial Slim. Bêbado, comparece a uma reunião do sindicato, que está em conflito com os empregadores, e acaba líder da categoria. Quando seu amigo Mike é morto por pistoleiros, Joe leva um deles até a mina e ameaça explodir tudo, a menos que os litigantes cheguem a um acordo.

Premiações[editar | editar código-fonte]

Patrocinador Prêmio Categoria Situação
Academia de Artes e
Ciências Cinematográficas
Oscar Melhor Ator (Paul Muni) Write-in candidate*
(* Indicação não oficial)

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Paul Muni Joe Radek
Karen Morley Anna Novak
William Gargan Slim
Barton McLane McGee
John Qualen Mike
J. Carrol Naish Steve
Vince Barnett Kubanda
Tully Marshall Poole
Henry O'Neill Hendricks
Joe Crehan Farrell
Mae Marsh Mary Novak
Sara Haden Sophie Shemanski
Willard Robertson J. J. Welsh
Effie Ellsler Bubitschka
Wade Boteler Mulligan

Referências

  1. a b ERICKSON, Hal. Black Fury AllMovie. Visitado em 15 de abril de 2014.
  2. a b c HIRSCHHORN, Clive, The Warner Bros. Story, Londres: Octopus Books, 1986 (em inglês)
  3. MATTOS, A. C. Gomes de, Hollywood Anos 30, Rio de Janeiro: EBAL - Editora Brasil-América, 1991
  4. WLASCHIN, Ken, The World's Great Movie Stars and Their Films, Londres: Peerage Books, 1985 (em inglês)
  5. MALTIN, Leonard, Classic Movie Guide, segunda edição, Nova Iorque: Plume, 2010 (em inglês)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ALBAGLI, Fernando, Tudo Sobre o Oscar, Rio de Janeiro: EBAL - Editora Brasil-América, 1988
  • FILHO, Rubens Ewald, O Oscar e Eu, São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2003
  • FINLER, Joel W., Michael Curtiz, in The Movie Directors Story, Nova Iorque: Crescent Books, 1985 (em inglês)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]