Bloco do Eu Sozinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bloco do Eu Sozinho
Álbum de estúdio de Los Hermanos
Lançamento 2001
Gravação 2001
Gênero(s) Indie Rock / Rock experimental
Formato(s) CD
Gravadora(s) Abril Music
Produção Chico Neves
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Los Hermanos
Último
Último
Los Hermanos
(1999)
Ventura
(2003)
Próximo
Próximo

Bloco do Eu Sozinho é o segundo CD da Banda carioca Los Hermanos, lançado em 2001.

Para fugir da tensão causada pela exigência de novos hits por parte da gravadora, a banda se refugiou em um sítio na região serrana do Estado do Rio de Janeiro e começou a compor de maneira despretensiosa.

Neste período, o baixista Patrick Laplan decide se afastar do grupo, aparentemente insatisfeito com a nova sonoridade da banda. O produtor e colaborador Alexandre Kassin assume o baixo durante as gravações do álbum. [1]

Quando o álbum foi entregue à gravadora Abril Music, foi rejeitado, sob a alegação de que não havia hits potenciais e a produção foi considerada amadora. A Abril Music exigiu que o álbum fosse remasterizado, a contragosto do grupo. Em um acordo, o produtor Marcelo Sussekind remixaria o disco. Porém, este gostou muito da versão original e produziu uma versão quase idêntica, entregue à gravadora.

Apesar de ser considerado por muitos o melhor álbum da banda e um dos grandes clássicos da música brasileira, o disco vendeu apenas 35 mil cópias na época de lançamento (contra as mais de 300 mil cópias do álbum anterior). Em parte, a baixa vendagem se deve ao fato de a gravadora Abril Music ter ignorado o álbum, pela falta de um potencial grande hit radiofônico. Apenas uma longa turnê conseguiu manter a banda na ativa, gerando novos fãs e conferindo um certo ar "cult" ao grupo.

Uma década depois...[editar | editar código-fonte]

Em 2011, Rodrigo Barba teve a ideia de fazer um tributo aos 10 anos do álbum. Então chamou os amigos Rodrigo Costa, baixista e vocalista do Forfun e Melvin, baixista do Carbona, além dos próprios integrantes da banda de apoio da Los Hermanos, Bubu Trompete e Gabriel Bubu. O projeto teve sua primeira aparição no festival Abril Pro Rock em Pernambuco.

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "Todo Carnaval Tem Seu Fim" (Marcelo Camelo) - 4:23
  2. "A Flor" (M. Camelo, Rodrigo Amarante) - 3:27
  3. "Retrato Pra Iaiá" (M. Camelo, R. Amarante) - 3:57
  4. "Assim Será" (M. Camelo) - 3:36
  5. "Casa Pré-Fabricada" (M. Camelo) - 2:55
  6. "Cadê Teu Suín-?" (M. Camelo) - 2:35
  7. "Sentimental" (R. Amarante) - 5:09
  8. "Cher Antoine" (R. Amarante) - 2:29
  9. "Deixa Estar" (M. Camelo) - 3:30
  10. "Mais uma Canção" (M. Camelo, R. Amarante) - 4:11
  11. "Fingi na Hora Rir" (M. Camelo) - 4:10
  12. "Veja Bem Meu Bem" (M. Camelo) - 4:40
  13. "Tão Sozinho" (M. Camelo) - 1:19
  14. "Adeus Você" (M. Camelo) - 2:58
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Los Hermanos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.