Bloqueio atrioventricular de segundo grau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bloqueio atrioventricular de segundo grau
Classificação e recursos externos
CID-10 I44.1
CID-9 426.12
DiseasesDB 10477
MedlinePlus 000195
eMedicine emerg/233
Star of life caution.svg Aviso médico

O bloqueio atrioventricular de segundo grau é uma doença do sistema de condução elétrica do coração. Trata-se de um bloqueio de condução entre os átrios e os ventrículos.

O bloqueio AV do segundo grau é diagnosticado quando há falha na condução de um ou mais (porém não de todos) impulsos dos átrios aos ventrículos devido ao problema de condução.

Tipos[editar | editar código-fonte]

Há dois distintos tipos de bloqueio AV, chamados de "tipo 1" e "tipo 2". Em ambos os tipos, a onda P é impedida de iniciar o complexo QRS; mas, no tipo 1, há atrasos crescentes em cada ciclo antes da omissão enquanto, no tipo 2, não há tal padrão.[1]

Tipo 1[editar | editar código-fonte]

O bloqueio AV de segundo grau do tipo 1 é quase sempre uma doença do nodo atrioventricular. Este bloqueio é caracterizado por um prolongamento progressivo do intervalo PR no eletrocardiograma (ECG) em batidas consecutivas, seguido por uma onda P bloqueada. Após esta queda no complexo QRS, o intervalo PR é reiniciado e o ciclo se repete. Uma das presuposições primárias ao se determinar se um indivíduo tem bloqueio cardíaco AV de primeiro grau é a de que o ritmo atrial deve estar regular. Se o ritmo atrial estiver irregular, pode haver explicações alternativas para a má condução de ondas P aos ventrículos. Esta é quase sempre uma condição benigna para a qual não há tratamento específico necessário. Em casos sintomáticos, atropina ou isoproterenol intravenoso pode transientemente melhorar a condução.[2]

Em cavalos, bloqueio AV de primeiro grau é considerado normal, frequentemente encontrado em animais em forma atlética, relaxados.[3]

Tipo 2[editar | editar código-fonte]

O bloqueio AV de segundo grau do tipo 2 é caracterizado no ECG superficial por ondas P, intermitentemente não conduzidas, não precedidas por prolongamento PR e não seguidas por encurtamento PR. A significância médica deste tipo de bloqueio AV é a de que este pode progredir rapidamente para completo bloqueio cardíaco, do qual nenhum ritmo de escape ventricular pode emergir. Neste caso, a pessoa pode ter síndrome de Adams-Stokes, parada cardíaca ou morte súbita cardíaca. O tratamento definitivo para este tipo de bloqueio AV é um marcapasso implantado. O bloqueio é usualmente abaixo do nó AV.[4]

Sintomas[editar | editar código-fonte]

A maior parte das pessoas com bloqueio do tipo 1 não mostra sintomas. Entretanto, indivíduos sintomáticos mostram um ou mais dos seguintes sintomas:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Lesson VI - ECG Conduction Abnormalities. Visitado em 07-01-2009.
  2. Lilly, L. S., Pathophysiology of Heart Disease. Baltimore: Lippincott Williams & Wilkins; 2007
  3. (1999-07-12) "Cardiology of the horse".
  4. (1993) "Second-degree atrioventricular block: Mobitz type II" 11: 47–54. DOI:10.1016/0736-4679(93)90009-V. PMID 8445186.