Bnei Akiva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde outubro de 2010)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde outubro de 2010).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O Movimento Juvenil Religioso Sionista Bnei Akiva, é o maior movimento juvenil judaico representante do sionismo religioso. Este é um movimento mundial cujo diretor geral em Israel é o Rabino Beni Nichtailer, e o diretor mundial (excluindo Israel) é o Zeev Shwartz.

O Movimento conta hoje em dia com cerca de 75000 participantes em todo o mundo.

Nome, Símbolo e Hino[editar | editar código-fonte]

Nome[editar | editar código-fonte]

Símbolo do Bnei Akiva

O nome ao Movimento foi inspirado na personalidade de Rabi Akiva um dos maiores rabinos da época da formação da Mishná, citado em muitas partes do Talmud. Porém começou seu caminho como um pastor simples e somente com 40 anos começou a aprender a ler e escrever, até que se transformou depois de 24 anos de estudos na yeshivá, no grande rabino. Significado do nome: Filhos de Akiva.

Símbolo[editar | editar código-fonte]

O símbolo é formado pela junção das Tábuas da Lei - representando a Torá e seu estudo; com a foice e palheiro - elementos que representam o trabalho agrícola; e com o ramo de oliveira e o trigo nos lados - representando os frutos da Terra de Israel; todos estas partes são reunidos por uma faixa cuja inscrição é Bnei Akiva em Hebraico. ademais tem duas letras hebraicas gravadas nas Tábuas, Taf e Ain que são as iniciais do lema do movimento: Torá VaAvodá (Torá e trabalho)

Hino[editar | editar código-fonte]

O hino do Bnei Akiva foi criado pelo Rabino Tzvi Neriah (um dos rabinos fundadores do movimento) em 1932. O primeiro ritmo do hino foi o mesmo da música "Lachat Rusi". Mais tarde, os membros resolveram escolher o ritmo da música "Mataim Ioter". O hino no ritmo que se conhece atualmente foi feito por Michael Fralman.

Letras: HaRav Moshe Tsvi Neriah Z'L

Ritmo: Michael Fralman

Hino do Movimeto Bnei Akiva
Em hebraico Tansliterado Tradução

יד אחים לכם שלוחה

הנוער החביב

על דגלנו כולכם

חנו מסביב

יזהיר לכם כוכב תורה

דרככם סוגה בעבודה

בלב אמיץ ובעזרת ה´ עלה נעלה

קדימה בני-עקיבא הידד במעלה

מולדת זו ארץ אבות

ארצינו הקדושה

מדי אביר-יעקב

לנו מורשה

ראשינו בעמקי תורתה

כפינו ברגבי אדמתה

בלב אמיץ ובעזרת ה´ עלה נעלה

קדימה בני-עקיבא הידד במעלה
Yad Achim Lachem sheluchá

Hanoar hechaviv

Al diglenu kulchem

chanu misaviv

Iazhir lachem kochav Torá

Darkechem sugá ba'avodá

Be'lev amitz be'ezrat hashem Alô na'alé

Kadima Bnei Akiva, Heidad Bamaalé

Moledet zu eretz avot,

Artzeinu hakdoshá.

Midei avir yaakov,

lanu morashá.

Rasheinu be'ymkei toratá,

Kapeinu berigbei admatá.

Be'lev amitz be'ezrat hashem Alô na'alé

Kadima Bnei Akiva, Heidad Bamaalé
O braço fraterno para vós está estendido

ó juventude querida

Em torno de nossa bandeira

todos vocês se reunirão

Que brilhe em vocês a estrela da Torá

Teu caminho é ocupado com o trabalho

Com coração corajoso e ajuda de D'us subiremos

Avante BNEI AKIVA força na subida

Esta pátria, a terra do patriarcas,

nossa terra sagrada

das mãos do cavaleiro Yaacov

nos foi dada como herança

nossas cabeças na profundidade de sua Torá

nossas mãos no fundo de sua terra

Com coração corajoso e ajuda de D'us subiremos

Avante BNEI AKIVA força na Subida!

Histórico[editar | editar código-fonte]

O movimento Bnei Akiva se formou em Jerusalém, em 1929, quando um grupo de jovens, inspirados pelos ensinamentos do Rabino Kook, resolveu fazer algo para mudar a situação dos jovens religiosos em Israel. Eles fundaram então a primeira sede do Bnei Akiva, com atividades aos sábados. Nestas atividades, os madrichim (monitores) e chanichim (monitorados) aprendiam sobre Torá, Sionismo, a importância da Terra de Israel para o povo judeu.

O movimento cresceu, abrindo sedes em todos os cantos de Israel, realizando atividades aos sábados e machanot (acampamentos). Em pouco tempo, formaram-se os garinim (lit:sementes – trata-se de pequenos grupos de membros, que criaram novos povoados e kibutzim).

Doze anos depois, o Rabino Moshé Zvi Neriah, criou a primeira Yeshivá do Bnei Akiva, em Kfar Haroé. A idéia era preparar melhor os membros do movimento, para que fossem mais versados na Torá da Terra de Israel, e ao mesmo tempo se preparassem melhor para começar a vida adulta. Surgiram então várias outras yeshivot Bnei Akiva, que se espalharam por todo o país de Israel.

Objetivos do Movimento[editar | editar código-fonte]

  • Promover a união de todas as partes do povo de Israel;
  • Educar uma geração de jovens judeus comprometidos com a Torá, com o Povo de Israel e com a Terra de Israel; (Am Israel BeEretz Israel Al Pi Torat Israel)
  • Ajudar a desenvolver a sociedade em Israel, participando ativamente desta;
  • Desenvolver a sociedade em Israel para que esta seja mais correta e mais justa, de acordo com as tradições do povo judeu;
  • Combater a assimilação do povo judeu, principalmente na diáspora;
  • Promover o sionismo e a aliá na diáspora, fortalecendo assim o Estado de Israel e o seu povo;

O Bnei Akiva tem uma preocupação especial com a união de todas as diferentes partes do povo de Israel e com suas necessidades.

Os membros do Bnei Akiva não se afastam da sociedade para viverem nas Yeshivot. Pelo contrário, eles tomam para si a importante missão de participar da construção da sociedade. Os membros servem o exército, fazem serviço social, estudam em universidades, trabalham, etc…

Grupos de idades[editar | editar código-fonte]

Para Organizar e atender as necessidades de cada idade, o BNEI AKIVA possui uma estrutura de kvutzot (grupos em Hebraico), de modo que as atividades educacionais fiquem direcionadas e adaptadas a cada turma da forma correta.

Atualmente, temos a estrutura dividida em três grupos, sendo estes subdivididos em subgrupos. Os três grupos se chamam Chevraiot, onde temos a:

Chevraia Alef (8 -12 anos), Chevraia Bet (13 - 15 anos) e Chevraia Gimel (18 - 24 anos). As subdivisões são chamadas Kvutzot, e são as seguintes:

Chevraia Alef[editar | editar código-fonte]

Kvutzot
Idade(anos) Série Nome Da kvutzá Chevraia
7 e 8 1a e 2a Hanachá / Zraim Alef
9 e 10 3a e 4a Nevatim Alef
11 5a Nitzanim Alef
12 6a Maalot Alef

Chevraia Bet[editar | editar código-fonte]

Kvutzot
Idade(anos) Série Nome Da kvutzá Chevraia
13 7a Maapilim Bet
14 8a Haroé bet
15 1oano Muda a cada ano bet

Chevraia Guimel[editar | editar código-fonte]

A Chevraia Guimel é composta essencialmente por pessoas que já alcancaram a idade para serem madrichim (monitores), mas que por não poderem exercer essa função no movimento ou por ter chegado recentemente a este, tem atividades. São em sua maioria Universitários.

Já as Kvutzot do 1o ano do segundo grau têm seu nome mudado todo ano (A partir daí são chamadas de Shevet e não de Kvutza), pois recebem um nome especial, que é dado em homenagem a alguma personalidade ou fato ocorrido durante o ano que o integrante está na Kvutzá Haroé. Esse nome os acompanha durante toda sua vida no movimento e é o mesmo nome dado a este grupo de idade em todo o mundo. O nome d a Shevet é usado como integrante na identidade de todo sionista religioso no mundo.

Aqui estão os nome dados a cada Shevet em cada ano:

|- ! Avichai (Rabino ortodoxo) |2014 |1999

Shevatim
Nome da Shevet Ano de nomeação Ano de nascimento do integrante
Neeman (Fidelidade) 2013 1998
Eitan (Força) 2012 1997
Naale (subida) 2011 1996
Lehavá (chama) 2010 1995
Hagvurá (Bravura) 2009 1994
Dvir (santuário) 2008 1993
Shvut  (retorno) 2007 1992
Netzach (eternidade) 2006 1991
Achiá  (irmãos de D's) 2005 1990
Lavi 2004 1989
Elad 2003 1988
Amitzur 2002 1987
Komemiut 2001 1986
Oz 2000 1985
Yechiam 1999 1984
Hatkumá 1998 1983
Neriya 1997 1982
Shalem 1996 1981
Emunah 1995 1980
Achdut 1994 1979
Beramá 1993 1978
Nachalá 1992 1977
Amishav 1991 1976
Hamevasser 1990 1975
Hatzvi 1989 1974
Atzmaut 1988 1973
Dror 1987 1972
Hechalutz 1986 1971
Yedidya 1985 1970
Achva 1984 1969
Elyashiv 1983 1968
Amiad 1982 1967
Tzuriel 1981 1966
Hatchiya 1980 1965
Hayovel 1979 1964
Ariel 1978 1963
Amichai 1977 1962
Re'ut 1976 1961
Golan 1975 1960
Kisufim 1974 1959
Yeshurun 1973 1958
Shuva 1972 1957
Chechem 1971 1956
Tzurim 1970 1955
Harel 1969 1954
Moriah 1968 1953
Yachdav 1967 1952
L'hagshama 1966 1951
Nachshon 1965 1950
Gilboa 1964 1949
Magshimim 1963 1948
Shachal 1962 1947
Orim 1961 1946
Alumim 1960 1945
Neta'im 1959 1944
Chalutzim 1958 1943
Merchavim 1957 1942
Nechalim 1956 1941
Yavneh 1955 1940
Emunim 1954 1939
Hatirah 1953 1938
Mitnachalim 1952 1937
Etanim 1951 1936
Ge'ulim 1950 1935
Etzion 1949 1934
Netivot 1948 1933
Garinim[1 a 7] 1941 a 1947 1926 a 1932

Hoje em dia[editar | editar código-fonte]

O Bnei Akiva é hoje representado em mais de 30 países. Há poucos anos, o Bnei Akiva instalou suas estruturas em muitos países da Diáspora, (fora de israel)embutindo nessas comunidades a ideologia de Torá e Avodá(torá e trabalho). Em comunidades onde há pouco conhecimento do Judaísmo, o Bnei Akiva espalhou as palavras da ética Judaica e o Ideal Sionista.

O Lema do Bnei Akiva é Torá VaAvodá (Torá e trabalho)

Este lema representa os ideais do movimento de levar uma vida de acordo com as tradições da Torá e da Halachá (lei judaica), e, ao mesmo tempo, não se afastar dos deveres materiais da sociedade moderna, de trabalhar e participar ativamente da sociedade e da organização do povo..[1]

Referências

  1. [1] Página oficial do Movimento Bnei Akiva no Rio de Janeiro