Bodas de odio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2012).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde maio de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.
Bodas de Odio
Informação geral
Formato Telenovela
Duração Aprox. 40 minutos
Criador(es) Caridad Bravo Adams
País de origem  México
Idioma original Espanhol
Produção
Diretor(es) José Rendón
Produtor(es) Ernesto Alonso
Elenco Christian Bach
Miguel Palmer
Frank Moro
Rosário Gálvez
Carlos Riquelme
Rafael Sánchez Navarro
ver mais
Tema de abertura «La Traviata» (por Giuseppe Verdi)
Transmissão original México 1983
México 1984
N.º de episódios 75

Bodas de Odio é uma novela mexicana produzida por Ernesto Alonso para Televisa, sendo transmitida entre 1983 e 1984. A história é baseada no livro Bodas de Odio escrito em 1960 pela reconhecida autora de novelas Caridad Bravo Adams e com adaptação livre de María Zarattini. O casal protagonista era interpretado pelos atores Christian Bach (Magdalena Mendoza) e Miguel Palmer (Alejandro Almonte). A trama se passa aproximadamente entre os anos de 1905 e 1910, durante a ditadura de Don Porfirio Díaz, interpretado por José Luis Padilla. Eram tempos de muitas crises no México e constantes ameaças de guerra por parte dos opositores à ditadura.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

No México de Don Porfírio (José Luis Padilla), a bela Magdalena (Christian Bach) sustenta um romance com o tenente José Luis (Frank Moro), mas existe um problema, o tenente é pobre e a família da jovem está arruinada.

Alejandro Almonte (Miguel Palmer), filho de um homem rico que o tinha como criado e que só o reconheceu como filho momentos antes de morrer, vai a cidade de Puebla para ver a fábrica que seu pai deixou. Ali conhece Magdalena, filha do general Iván Mendoza (Carlos Riquelme). A família Mendoza está arruinada econômicamente e, devido a isso Paula (Rosario Gálvez), a mãe de Magdalena faz um trato com Alejandro, ela dá Magdalena em troca dos pagamentos de suas dívidas. Quando ela descobre que Magdalena está apaixonada por um soldado, faz com que ele vá parar na prisão. José Luis foge da prisão, e vai na mansão dos Mendoza depois do casamento. Ele pede que Magdalena vá com ele, mas Alejandro descobre e leva Magdalena para um rancho. María (María Montaño) a filha do capataz vive aí e está apaixonada por Alejandro. José Luis vai até o rancho e toma o lugar do pai de Maria que morreu. Mas Magdalena já está apaixonada por Alejandro e quer José Luis longe.

Quando Alejandro descobre quem era o verdadeiro capataz, Magdalena está a ponto de ter seu filho, mas ele acha que o filho não é dele e a abandona. Sem saber do que acontece na fazenda José Luis se casa com Angélica Arétia (Patsy), que tem uma doença incurável. A partir desse momento, a história começa a dar uma reviravolta. José Luis consegue, por meio da madrinha de Angélica, que Don Porfírio retire as queixas de crimes, que Paula havia criado para prendê-lo, e lhe concede o título de general. Alejandro consegue muito inimigos, devido sua bondade para com seus trabalhadores e por causa disso, Francisco Torres Quintero (Antonio Medellín), secretário do governador de Puebla, acusa Alejandro de está aliado com o grupo de rebeldes que planejam contra o Governo. Alejandro é preso e, devido a uma falsificação, perde o direito aos seus bens por não ser considerado filho legítimo. Nesse momento ele contará com o apoio de Magdalena, Rosário (criada que ele descobriu ser sua mãe)e José Luis, que o ajuda em nome do amor que ainda tem Magdalena.

Alejandro acaba se juntando realmente com os rebeldes e começa a lutar a favor do fim da ditadura de Don Porfírio. Agora José Luis tem a obrigação de persegui-lo e matá-lo. Porém, quando finalmente consegue prendê-lo, mas uma vez em nome do amor que sente por Magdalena e já conformado que ela não o ama mais, resolve deixar Alejandro fugir da prisão. José Luis é fuzilado por ordem do próprio Don Porfírio. Magdalena junto com seu filho e sua sogra vão morar com Alejandro em outra cidade, enquanto o país já está prestes a conseguir o fim da ditadura.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Versões[editar | editar código-fonte]

Em 2003 foi produzido um remake desta novela com o nome de Amor Real. Esta nova versão também foi adaptada por María Zarattiní, sob a produção de Carla Estrada. Esta novela foi exibida aqui no Brasil pelo SBT.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • A atriz Christian Bach utilizou em seu casamento com o ator Humberto Zurita, o mesmo vestido de noiva que utilizou para as gravações da novela.
  • No livro Bodas de Odio de Caridad Bravo Adams, a história se passa no século XVIII na Rússia e Ucrânia, durante o período czarista.
  • Os atores Christian Bach e Frank Moro já haviam feito par romântico em outra novela de Caridad Bravo Adams em 1982 El Amor Nunca Muere, um remake da famosa história de La Mentira.

Equipe de Produção[editar | editar código-fonte]

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]