Boeing 737-200 PP-SMA

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Boeing 737-200 PP-SMA é um avião histórico da aviação brasileira por ter servido à VASP entre 1969 e 2005. Foi o primeiro Boeing 737 do Brasil e da América Latina. Na história da aviação chegou a ser recordista por voar 35 anos seguidos por uma só companhia, ultrapassando até o 737-200 LV-JMW da Aerolíneas Argentinas, porém, com a sua parada por determinação do D.A.C (Atual ANAC ) em meados de 2004, foi ultrapassado em tempo de serviço pelo Boeing 727-100 CP-861 do Lloyd Aéreo Boliviano que esteve em operação até 2007 pela empresa da Bolívia.

História[editar | editar código-fonte]

Sua história começou em 21 de abril de 1969, quando fez um vôo rasante no Aeroporto de São Paulo-Congonhas junto com os outros Boeing 737-200, PP-SMB, PP-SMC e PP-SMD (este último foi vendido pela companhia em 1974), devido a comemorações do feriado de Tiradentes. Ele é o Boeing 737-2A1 Número de Construção (Construction Number) 20092 da Linha (Line Number) 161 na Boeing, e possuía toda tecnologia que se podia esperar de um avião para sua época. A série -200 é uma versão estendida e melhorada da série -100. Esta aeronave foi a espinha dorsal da VASP, que contou com 22 aviões do tipo até sua falência.

Operação[editar | editar código-fonte]

Este tipo de avião (Boeing 737-200) ficou muito famoso no Brasil e foi operado também pela Varig (1974-2003), Cruzeiro (1975-1993), Rico Linhas Aéreas, TAF e Nacional Linhas Aéreas.

Apelido[editar | editar código-fonte]

Devido sua defasagem após a chegada do Boeing 737-300 ao Brasil, o Boeing 737-200 ficou com o apelido de Brega, pois na época a Rede Globo exibia a novela Brega e Chique, enquanto o 737-300 ficou com o apelido de Chique. Para o -300 o apelido não pegou, mas para o -200 pegou e continuou carinhosamente sendo chamado de Breguinha, até os dias de hoje. Além do mais, quando os primeiros Boeing 737-300 começaram a apresentar sérios problemas de "flame-out" (apagamento da chama na câmara de combustão do motor), durante penetração em nuvens, logo o modelo adquiriu o apelido de Cascão, personagem de HQ que detestava tomar banho. Quando o problema foi resolvido pela substituição e ajuste de componentes do motor CFM-56, logo este outro apelido também desapareceu.

Atualmente[editar | editar código-fonte]

Após a suspensão de operações em 2004, a aeronave foi estacionada em uma área remota no Aeroporto de Confins localizado na região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Foram retiradas pintura, logotipo e motores (incluindo suas carenagens) e apenas a bandeira do Brasil na porta, e a matrícula PP-SMA foram mantidas na aeronave. Enquanto ocorre o processo legal de falência e leilão dos bens da VASP, o PP-SMA continua em Confins, sem qualquer esperança de ser levado a um museu ou, no pior caso, ser desmontado e sucateado. Ao que tudo indica está prestes a fazer parte do Museu da TAM. Sem dúvida um belo descanso para um veterano de valor inéstimável para a aviação Brasileira.

Leilão[editar | editar código-fonte]

No primeiro leilão da VASP, ocorrido em junho de 2009 em São Paulo, o PP-SMA estava no lote nº20 sendo vendido como sucata. Porém, nenhum lance foi dado e todo o lote (que contém outras aeronaves sem condição de voo da companhia) considerado como sem licitante.

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

  • Comprimento (m): 30,53
  • Envergadura (m): 28,30
  • Altura (m): 11,28
  • Motores/Empuxo: 2x motores turbofan Pratt & Whitney JT8D-17 16.000 lbs (7.257 kg) (última versão remotorizada)
  • Peso max. decol (kg): 109.000 lbs (49.442 kg)
  • VMO: 943 km/h reais - (509 nós reais) / 648 km/h indicados - (350 nós indicados)
  • MMO: .84
  • Alcance (km): 3.435
  • Tripulação técnica: 2
  • Tripulação comercial: 4 (típica)
  • Passageiros: 107 (última configuração interna)

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Há certo tempo atrás surgiu uma homenagem a este Boeing 737-200 memorável no site YouTube. O nome do vídeo é Vasp Boeing 737-200 PP-SMA Tributo ao 1o 737 Brasileiro.Obs

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]