Boeing 747-100

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Merge-arrow 2.svg
Este artigo ou secção deverá ser fundido com Boeing 747. (desde fevereiro de 2013)
(por favor crie o espaço de discussão sobre essa fusão e justifique o motivo aqui; não é necessário criar o espaço em ambas as páginas, crie-o somente uma vez. Perceba que para casos antigos é provável que já haja uma discussão acontecendo na página de discussão de um dos artigos. Verifique ambas (1, 2) e não esqueça de levar toda a discussão quando levar o caso para a central.).
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.

Boeing 747-100
New Zealand PW-51.svg
Descrição
Fabricante Boeing
Tripulação/Equipa 3
Capacidade de
passageiros
452 passageiros
Dimensões
Comprimento 70,6 metros
Envergadura 59,6 metros
Altura 19,3 metros
Pesos
Peso vazio (Tara) 162.400 kg
Peso bruto
(carregado)
333.390 kg
Performance
Velocidade máxima 945 km/h
Velocidade de
cruzeiro
895 km/h
Alcance (MTOW) 4000 km

O Boeing 747-100 foi o primeiro modelo fabricado da série dos Boeings 747. A primeira versão deste Boeing entrou pela primeira vez em serviço no ano de 1970. Inicialmente estavam apenas disponíveis motores Pratt & Whitney, embora a partir de 1975 tenham passado a estar disponíveis motores da General Electric e da Rolls Royce. Cerca de 250 unidades do Boeing 747-100 foram produzidas até 1986, altura em que a última unidade saiu da fábrica. Com base no Boeing 747-100 foi produzido o Boeing 747SP (Special Performance), uma versão do avião com uma fuselagem encurtada, maior capacidade para transporte de combustível e menor número de passageiros.

O projeto do Boeing 747 saiu de uma conversa casual entre o presidente da Boeing e o presidente da companhia de aviação PanAm, sobre a possibilidade de se construir uma aeronave de grande porte para transporte intercontinental de passageiros que eram quase monopólio da empresa norte-americana PanAm.[carece de fontes?] Na realidade, a origem do projeto encontra-se numa série de estudos e projetos para um grande avião de transporte estratégico, destinado a permitir o transporte de grande número de homens e material dos Estados Unidos para a Europa em caso de necessidade e guerra entre a OTAN e o Pacto de Varsóvia.

Os Estados Unidos operam o Boeing 747 como aeronave de transporte VIP, como aeronave de comando aéreo e presentemente está em estudo o Laser aerotransportado, uma aeronave Boeing 747 equipada com um Laser de alta potência, destinado a destruir com um raio de energia, mísseis na fase inicial do voo. O Boeing 747-400 perdeu o título de maior avião comercial do mundo para o avião europeu Airbus A380. A Boeing ainda considerou a possibilidade de modificar o Boeing 747 para prolongar o segundo andar da aeronave ao longo de toda a fuselagem, mas os projetos foram cancelados.

Divisão dos Boeing 747[editar | editar código-fonte]

  • B747-100;
  • B747-200;
  • B747-300;
  • B747-400;
  • B747-8.
Ícone de esboço Este artigo sobre um avião, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.