Bola de sementes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Bolas de sementes (em inglês, seed balls), são pequenas bolas feitas com argila, compostos orgânicos, sementes e água, que servem para semear flores, frutas e outras plantas, em terrenos baldios, praças, beira de estradas e áreas sem vegetação, ou mesmo para cultivo.

A história das bolas de semente[editar | editar código-fonte]

Nos registros escritos, a técnica do uso de bolas de semente para a semeadura apareceu nos textos de Masanobu Fukuoka, um agricultor japonês considerado precursor da permacultura, já que essa palavra somente tenha sido cunhada recentemente. Assim, a técnica é a Fukuoka atribuída, embora recentemente haja quem afirme tratar-se de uma técnica tradicional há muito empregada.

Fukuoka formou-se em agronomia e empregou-se como fiscal sanitário na alfândega japonesa. Porém, a contradição existente entre seus preceitos filosófico-religiosos (budismo) e o método científico de análise da natureza[1] , levaram-no a abandonar seu emprego e retornar à terra de sua família para dedicar-se à agricultura.

De volta ao campo, Fukuoka abandonou o uso não apenas de produtos químicos na lavoura, como de todas as técnicas consideradas artificiais e antinaturais, desenvolvidas pelo homem. Sua agricultura baseou-se no princípio budista da não-ação, e ele compilou seus 5 princípios do cultivo natural:

  • não lavrar;
  • não fertilizar;
  • não usar pesticidas;
  • não escardar e
  • não podar.

Principalmente nas lavouras de arroz, a semeadura de Masanobu Fukuoka era feita "ao voo" - técnica consistente em apenas arremessar as sementes sobre o campo de cultivo, obviamente, na época adequada conforme a sazonalidade. Porém, Fukuoka percebeu que essa técnica (plantio ao voo) não era adequada a todos os cultivos, todos os terrenos ou todas as espécies.

O funcionamento no plantio[editar | editar código-fonte]

Assim, para determinados plantios, esse agricultor japonês usava a técnica do Nendo Dango (as bolas de semente, em japonês). Essa técnica possuía diversas vantagens, como:

  • proteger as sementes das intempéries,
  • evitar que as sementes sejam comidas por aves ou outros animais,
  • fornecer nutrientes à semente logo após sua germinação e até o rompimento da bola.

Com as primeiras chuvas, as bolas de sementes se abrem, estando os gérmens já aptos a se desenvolverem.

O reflorestamento e o combate à desertificação[editar | editar código-fonte]

As bolas de semente de Fukuoka também se mostraram altamente eficazes, tanto para a disseminação de espécimes de plantas em áreas públicas (como parques, beiras de estradas), como em grandes projetos de reflorestamento ou de combate à desertificação[2] .

Como Fazer[editar | editar código-fonte]

Ingredientes: Argila, sementes e substrato (ou adubo).

Modo de Fazer: 1º Faça tipo uma panqueca com uma mão cheia de argila, e pressione com força sobre o substrato espalhado. Vire para o outro lado e pressione de novo. 2º Jogue as sementes sobre a panqueca. Use pelo menos três variedades de sementes, aproximadamente uma colher de chá de cada uma. Usar sementes de espécies diferentes aumenta as chances de sucesso em condições variadas. Enrole a panqueca e amasse um pouco. Adicione um pouco de água se começar a secar. 3º Faça bolinhas de mais ou menos 3 cm de diâmetro. Elas já podem ser usadas, ou você pode guardá-las em um lugar escuro e arrejado para secarem, e serem usadas depois. 4º Jogue as bolas de sementes em um terreno vago. Elas funcionam melhor onde não há muita cobertura no solo. Use aproximadamente uma bola para cada 3m quadrados. Espere a chuva!

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Fukuoka, Masanobu. La Senda Natural del Cultivo. 1ª ed. Valencia: Terapión, 1995. p. 1-372. ISBN 84-88903-15-4
  • Robert and Diane Gilman (outono de 1986). Greening the desert Context Institute. Visitado em 27/01/2015.