Clypeasteroida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Bolacha-da-praia)
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaClypeasteroida
bolacha-da-praia
Mellita quinquiesperforata (Pacífico, costa da Costa Rica).

Mellita quinquiesperforata (Pacífico, costa da Costa Rica).
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Echinodermata
Classe: Echinoidea
Subclasse: Euechinoidea
Superordem: Gnathostomata
Ordem: Clypeasteroida
Leske, 1778
Subordens e famílias
Ver texto.
Bolacha-da-praia (Mellita quinquiesperforata).
Uma bolacha-da-praia a escavar na areia em Playa Novillero (Pacífico, México).
Cílios na face inferior de uma bolacha-da-pria.

Clypeasteroida é uma ordem de equinodermos escavadores,[1] parentes próximos dos ouriços-do-mar e estrelas-do-mar, presente no registo fóssil desde o Paleoceno tardio à atualidade.[2] As espécies que integram este táxon caracteriza-se por um corpo disciforme, achatado como uma bolacha, daí serem designadas pelos nomes comuns de bolacha-da-praia ou bolacha-do-mar. Algumas espécies apresentam corpo achatado em extremo.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Os membros da ordem Clypeasteroida apresentam um esqueleto rígido, conhecido por testa, constituído por placas de carbonato de cálcio dispostas num padrão radial.[3] Nos espécimes vivos, a testa é recoberta por uma pele espinhosa de textura aveludada, com os espinhos recobertos por minúsculos cílios, com o aspecto de curtos cabelos.

O movimento coordenado dos espinhos permite a locomoção do animal sobre o fundo. Os espinhos são aveludados e apresentam coloração diversa em função da espécie, sendo comuns cores como o verde, o azul, o violeta e a púrpura.

Os esqueletos dos animais deste táxon aparecem com frequência arrojados nas praias, desprovidos da pele e esbranquiçados pela exposição à radiação solar, o que permite facilmente identificar a sua simetria radial, traço comum aos restantes membros da classe Echinoidea. Outro traço característico do esqueleto destes animais é a presença cinco pares de fileiras de poros, as quais criam um padrão petaloide centrado no meio do disco. Estes poros são perfurações no endoesqueleto através das quais se projectam podia utilizados para optimizar as trocas gasosas com o meio circundante.

Habitat[editar | editar código-fonte]

As Bolachas-do-Mar são mais comuns próximas ao mar, em profundidades rasas e levemente enterradas sob a areia da praia, ao contrário do ouriço que faz uma espécie de "toca" nas pedras.

O seu corpo achatado facilita a escavação de pequenos buracos na areia e é considerado por muitos pesquisadores e cientistas como uma adaptação natural. Elas soltam um liquido meio amarelado quando se sentem em perigo.

Reprodução e metamorfose[editar | editar código-fonte]

Quando jovem, a Bolacha-do-Mar permanece em estado larval, e seu corpo adulto se desenvolve dentro dela; antes de virar adulta, ela escolhe o lugar onde passará o resto de sua vida, prende-se ao chão, e então é absorvida pelo corpo adulto.

Alimentação[editar | editar código-fonte]

A boca das Bolachas-do-Mar encontra-se na parte inferior central de seu corpo e elas se alimentam basicamente de partículas orgânicas da areia ou do lodo.



Subordens e famílias[editar | editar código-fonte]

A ordem Clypeasteroida inclui as seguintes subordens e famílias:[4]

Com base na informação contida na base de dados Catalogue of Life foi elaborado o seguinte cladograma:[4]

Echinoidea 
 Clypeasteroida 

Arachnoididae



Clypeasteridae



Dendrasteridae



Echinarachniidae



Fibulariidae



Laganidae



Mellitidae




Arbacioida



Cassiduloida



Cidaroida



Diadematoida



Echinoida



Echinothurioida



Holectypoida



Pedinoida



Salenioida



Spatangoida



Temnopleuroida



Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Sand Dollar Printout - Enchanted Learning Software. Enchanted Learning (2000).
  2. The Paleobiology Database
  3. Sand Dollar Printout - Enchanted Learning Software. Enchanted Learning (2000).
  4. a b Bisby F.A., Roskov Y.R., Orrell T.M., Nicolson D., Paglinawan L.E., Bailly N., Kirk P.M., Bourgoin T., Baillargeon G., Ouvrard D. (red.) (2011). Species 2000 & ITIS Catalogue of Life: 2011 Annual Checklist.. Species 2000: Reading, UK.. Página visitada em 24 september 2012.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Clypeasteroida
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Clypeasteroida

Galeria[editar | editar código-fonte]