Bolchevique

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde outubro de 2012)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Bolch (russo: большевик, transliteração "bolshevik") é uma palavra da língua russa, e significa "maioritário". Assim foram chamados os integrantes da facção do Partido Operário Social-Democrata Russo liderada por Vladimir Lênin.

Ficaram assim no segundo Congresso do POSDR em 1903. A outra facção era conhecida como a dos Mencheviques, da palavra "minoritário", os quais se opuseram a Lenin quando este propôs que o partido deveria constituir-se de uma elite revolucionária profissional, que se dedicasse exclusivamente ao ativismo político, e que seria sustentada por apoiadores e simpatizantes não-membros do partido. Os Mencheviques, por outro lado, preferiam um partido com grande representação. Os Mencheviques obtiveram o apoio da maioria dos delegados ao congresso, que se juntaram àquela facção, enquanto que a maior parte do comitê central, que era a instância máxima de decisão do partido, optou por apoiar as ideias de Lenin.

Os bolcheviques defendiam uma mudança radical de política para o povo, defendendo uma revolução socialista armada, caso necessário. Os mencheviques defendiam uma revolução moderada, permitindo primeiro a democracia e o pleno desenvolvimento do capitalismo para só depois implantar o socialismo.

Pouco depois de os Bolcheviques terem chegado ao poder durante a Revolução Russa de 1917, eles mudaram o seu nome para o Partido Comunista de Toda a Rússia (Bolcheviques) em 1918 e passaram a ser conhecidos apenas como Partido Comunista da União Soviética - PCUS após esse ponto.

No entanto, não seria antes de 1952 que esse partido removeria formalmente a palavra Bolchevique do seu nome.

Velha Guarda[editar | editar código-fonte]

Lenin discursa durante a Revolução de Outubro. Pode-se ver Trotsky à direita.

A Velha Guarda Bolchevique era formada pelos primeiros membros do grupo, que fundaram em 1900 ou que ingressaram antes da Revolução de 1917. O termo Velho Bolchevista (старый большевик) ficou como designação não-oficial dos membros do partido pré-1917.

Durante o governo de Stalin, grande parte da velha guarda foi removida do poder, durante os expurgos da década de 1920. Vários foram julgados, condenados, sentenciados à morte e executados por supostos crimes de traição à União Soviética e à revolução proletária, além de atividades de supressão e revolução. Outros foram enviados para prisões onde eram torturados e sofriam de trabalho forçado (Gulags).

Cartaz bolchevique de 1922 onde se lê a frase "Nós não queremos lutar, mas nós defenderemos os sovietes."

Alguns, como Alexandra Kollontai e Anatóli Lunatcharski, foram enviados ao exterior como diplomatas. Vários opositores, notoriamente os trotskistas, estavam entre os supostos "criminosos" e "revolucionários".

Por outro lado, o termo "Velho Bolchevique" e a expressão "Velha Guarda Bolchevique" também foi utilizado como autodescrição pelos líderes do Partido que se opuseram a Trotsky imediatamente após a Revolução de Outubro de 1917, aludindo ao fato de que, até às vésperas do evento, Trotsky não era membro do Partido Bolchevique, sendo liderança de um pequeno grupo independente, tendo entrado no partido de Lenin, a convite deste, apenas no fim do primeiro semestre de 1917.

Vários estabelecimentos e objetos na União Soviética e na Rússia foram batizados com o nome "Velho Bolchevique", como editoras, navios, embarcações, kolkhozes e assentamentos.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]