Bom Jardim (Maranhão)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2014). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Município de Bom Jardim
Bom Jardim-MA.jpg

Bandeira de Bom Jardim
Brasão de Bom Jardim
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 14 de março
Fundação 14 de março de 1967
Gentílico bom-jardinense
Prefeito(a) Lidiane Rocha (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Bom Jardim
Localização de Bom Jardim no Maranhão
Bom Jardim está localizado em: Brasil
Bom Jardim
Localização de Bom Jardim no Brasil
03° 33' 54" S 45° 59' 61" O03° 33' 54" S 45° 59' 61" O
Unidade federativa  Maranhão
Mesorregião Oeste Maranhense IBGE/2008 [1]
Microrregião Pindaré IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Monção, Açailândia, Tufilândia, Pindaré Mirim, São João do Caru, Governador Newton Bello, Alto Alegre do Pindaré, Centro Novo do Maranhão, Itinga do Maranhão
Distância até a capital 275 km
Características geográficas
Área 6 590,475 km² [2]
População 39 049 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 5,93 hab./km²
Altitude 40 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,515 baixo PNUD/2000 [4]
PIB R$ 295 730,337 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 7 619,36 IBGE/2008[5]
Página oficial

Bom Jardim é um município brasileiro do estado do Maranhão. Localiza-se a uma latitude 04º44'30" sul e a uma longitude 44º21'00" oeste, estando a uma altitude de 40 metros.

Sua população é de 39.224 habitantes segundo estimativa do IBGE em 2009. Possui área de 6.771,88 km². Localizada às margens da BR-316, que a liga ao estado do Pará. [6]

História[editar | editar código-fonte]

No princípio, Bom Jardim era pertencente à Monção, onde só vinham caçadores residentes em Águas boas que caçavam, pescavam e retornavam. Porém, chegou um disposto a ficar: o Sr. José Pedro Vasconcelos.

O primeiro contato que o referido primeiro morador teve com o lugar foi em 29 de fevereiro de 1959. Porém, a data oficial da fundação se deu com seu estabelecimento em 04 de outubro de 1959; data em que este aqui chegou, vindo também um agrupamento de 20 homens, retirantes nordestinos (do Ceará e Piauí).

Segundo esses 20 primeiros moradores que aqui se estabeleceram, o local era uma verdadeira floresta, com mata fechada, e a existência de uma rica fauna e flora. Os animais existentes eram: onças, veados, pebas, tatus, porcos caititus, pacas etc.

A área atualmente tida como território do município de Bom Jardim desde tempos memoriais foi habitada por populosas tribos indígenas, destacando os guajajaras. Quando os pioneiros aqui chegaram encontraram essa população já existente, os primeiros habitantes dessa terra. Houve rumores de ameaças de perseguição por parte dos indígenas. José Pedro teve várias vezes que fugir, temendo ser atacado. Contudo, retornava. Era o choque entre dois mundos de culturas e costumes diferentes. [7]

Com a chegada de outras famílias, migrantes nordestinos, o local passou a ser cognominado centro do Zé Pedro, em virtude da liderança do pioneiro, que a exercia estimulando a que os demais atuassem na região como um grupo e não disperso como sugere uma ocupação de terras devolutas. O local se tornou um pequeno povoado sob a administração de Monção, cujo prefeito era o senhor Antonilson. [8]

Nos primórdios do município a situação era difícil, os primeiros moradores enfrentavam as dificuldades de toda ordem. Segundo Alcides Bezerra, (Um dos 1º moradores):

“No começo era difícil, pois quando precisávamos comprar mantimentos para o sustento da família, tínhamos que ir para Santa Inês ou Pindaré a pé ou montados em animais e a viagem demorava dois dias (ida e volta). Quando adoecíamos, ficávamos isolados e distantes da cidade, onde existiam farmácias e hospitais”. [9]

No transcorrer dos anos 62 a 65, o Distrito de Bom Jardim já contava com um acentuado fluxo migratório, tornando-se um verdadeiro canteiro de obras. E mesmo de maneira desordenada, surgiam muitas casas comerciais, com diversos ramos de negócio, atendendo em grande parte, as necessidades dos moradores, em número cada vez maior. As primeiras residências eram construídas de tábua, em sua maioria, devido à facilidade de madeira e outras de taipas, devido a grande dificuldade de acesso a cidade de Pindaré-Mirim - cidade que oferecia material de construção de primeira qualidade.

Com um bom desenvolvimento econômico, o povoado Bom Jardim tornou-se dos Distritos de Monção e o mais importante Centro comercial do município.

Logo, os comerciantes e o senhor José Pedro Vasconcelos, o seu fundador, considerados representantes da sociedade bonjardinense e prevalecendo a opinião geral, sem dissidência, optavam pela emancipação de Bom Jardim. Iniciaram uma grande luta política pelo objetivo proposto. A partir daí, começou o movimento político através e um grupo de jovens comerciantes. Os protagonistas dessa luta foram os senhores Gildásio Ferreira Brabo, João Batista Feitosa, César Sales, Gaspar Meireles, Zeferino Gomes Pereira e Mauzol Miguel de Souza. Um nome também, que é relevante ser lembrado nesse processo de emancipação é o de Arlindo Menezes, que no período era gerente do banco do Estado, no município de Pindaré. Em homenagem a este, é que existe a rua Arlindo Menezes. [10]

José Pedro Vasconcelos faleceu em 2 de outubro de 2002, na cidade de Rio Preto da Eva, Amazonas. [11]

1° morador de Bom Jardim, José Pedro Vasconcelos, e sua família.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localizando-se na microrregião do Vale do Pindaré, faz limites com os municípios de Monção, Açailândia, Tufilândia, Pindaré Mirim, São João do Caru, Newton Belo, Alto Alegre do Pindaré, Buriticupu, Bom Jesus das Selvas, Zé Doca, Centro Novo do Maranhão e Itinga do Maranhão. O município tem 6.590,48 km³ de área territorial. A área urbana corresponde a 113 km². A referida área detém 35% da população total, sendo que 65% da população se concentra na zona rural. A densidade demográfica do município é de 5,25 habitantes por km². [12]

A distância de Bom Jardim a São Luís é de 275 km. Os principais rios que formam a hidrografia do município são: rio Pindaré, Caru, rio Azul ou Poranguetê, rio Ubim, os dois últimos são braços do rio Pindaré, na região da Miril. Existe também os igarapés Água Preta, Limoeiro, Crumaçu, Arvoredo, Galego e Turizinho. O rio Pindaré, nome que significa ―anzol pequeno, nasce ao leste da Serra da Cinta e desemboca no rio Mearim, após um curso de 750 km de extensão. É um rio caudaloso, extenso, navegável e rico em peixes. A temperatura média é de 30º e o clima é quente e úmido como da Amazônia Equatorial. Índice de chuvas por ano:2000 a 2200 mm anuais. Período chuvoso: janeiro, fevereiro, março, abril, maio e junho. Período seco: Julho a Dezembro.

A vegetação ou plantas nativas do município é formada de cocais e matas (árvores grossas e capoeira). As madeiras nativas no município (atualmente escasseando) são: pau-d'arco, maçaranduba, pequi, jatobá, mirindiba e cedros, ressaltando também os capins Jaraguá e canarana. Árvores frutíferas mais predominantes são os mangueirais. [13]

Economia[editar | editar código-fonte]

Até a metade da década de 60, o crescimento econômico de Bom Jardim era motivado pelas riquezas das matas virgens e terras devolutas. A fertilidade da terra proporcionava fabulosa produção de arroz, motivo que levava a expansão da população do povoado. Todos os dias chegavam famílias de outras localidades do Maranhão e também cearenses e piauienses que iam estabelecendo-se umas com comércio, outras com lavouras. Os migrantes construíam seus barracos até a noite à luz do petromax e a querosene fornecido pelo fundador do lugar.

No comércio, destacava-se a compra de arroz e babaçu para a exportação.

Atualmente, destaca-se na produção agrícola: arroz, milho, feijão, cana-de-açúcar, mandioca, soja. Sendo os principais frutos: banana, laranja, abacaxi e melancia. O produto número um na produção municipal foi e continua sendo o arroz. Bom Jardim já foi um dos maiores produtores e exportadores de arroz do Maranhão. [14] Eis os indicadores da economia bonjardinense:

Agricultura: 21% Pecuária: 56,4% Indústria: 0,3% Serviço: 22,3% Fonte: IBGE/2000 [15]

A agricultura é explorada, em grande parte, por pequenos produtores rurais. Sabe-se que economicamente, a agricultura é muito importante para o desenvolvimento do município, mas esta não apresenta ultimamente bons índices de produtividade. A estrutura agrária põe em evidência o latifúndio, onde se percebe, que a maior parte das terras são ocupadas por latifundiários. [16]

A pecuária é uma das atividades de destaque no município de Bom Jardim. Predomina a criação de bovinos, suínos, cabras e aves. A atividade pecuária contribui em maior escala para a economia municipal: 56,4%. [17]

Governo[editar | editar código-fonte]

1° mandato (1969-1972)[editar | editar código-fonte]

Primeiro prefeito eleito de Bom jardim: Gildásio Ferreira Brabo.

Em 1968 deflagra-se a campanha em prol das eleições para prefeito e vereadores em todos em todos os Estados do Brasil. Candidatou-se para Prefeito de Bom Jardim, o senhor Gildásio Ferreira Brabo (ARENA I) e Expedito Ribamar Pereira (ARENA II – Aliança Renovadora Nacional). Realizadas as eleições, foram eleitos: Gildásio Ferreira Brabo para Prefeito municipal e para vice-prefeito, José Alves de Souza. Para a primeira Legislatura do Município foram eleitos os vereadores: Adroaldo Alves Matos e Bernardo Carvalho Nunes (ARENA II), Luís Ferreira Lima, Raimundo Nonato Figueiredo, Agostinho Maranhão Oliveira, Miguel Alves Meireles, João Soares de Melo, José Jesus Carvalho e Zeferino Gomes Ferreira (ARENA I), Eles que foram a primeira Câmara Municipal de Bom Jardim instalada através da ata de posse da Câmara Municipal no dia 06 de Janeiro de 1969. O primeiro presidente da Câmara de vereadores de Bom Jardim foi Luís Ferreira Lima.

PRINCIPAIS OBRAS REALIZADAS: A instalação do Departamento de educação e Cultura, conforme a Lei nº. 32 de Março de 1971, término da construção do Hospital Municipal, implantação do ginásio Bandeirante, já que o estado montava sua rede de ginásio em cerca de 25% dos municípios maranhenses, percentual que deveria crescer ano a ano, tanto é que atingiu em 1971, 91 dos 130 municípios do Estado. [18]

2° mandato (1973-1976)[editar | editar código-fonte]

No ano de 1972 realizaram-se novas eleições no país. Concorriam às eleições Municipais de Bom Jardim: Adroaldo Alves Matos e Joca Soares de Melo; sendo eleito Prefeito Municipal Adroaldo Alves Matos e Miguel Alves Meireles, vice-prefeito. Os vereadores foram: José Nilo Ribeiro, Mauzol Miguel de Sousa, Ângelo Jorge Vieira, Aldimar da Silva Porto, João Soares de Melo, Martinho Gomes de Azevedo, Raimundo Nonato Figueiredo, Antonio Carvalho e Zeferino Gomes Pereira.

PRINCIPAIS OBRAS REALIZADAS: Implantação da rede distribuidora de energia elétrica, proveniente da Hidrelétrica de Boa Esperança sob administração da CEMAR. Conclusões dos serviços de abastecimento de água realizadas pela CAEMA, construção do mercado público municipal de abastecimento, construção de escolas na zona rural.

3° mandato (1977-1982)[editar | editar código-fonte]

Miguel Meireles

No ano 1976 novas eleições foram realizadas. Concorriam às eleições municipais de Bom Jardim Miguel Meireles e João Franco Sousa. Sendo eleito Miguel Alves Meireles, Prefeito Municipal e Joaquim Servo de Araújo, vice-prefeito. Para vereadores foram eleitos: Valquírio Bertoldo do Nascimento, Mauzol Miguel de Sousa, José Nilo Ribeiro, João Sobral, José Abreu de Oliveira, João Soares de Melo, Helio Ferreira da Paixão, Francisco Cândido de Araújo.

PRINCIPAIS OBRAS REALIZADAS: Instalação do primeiro posto de serviço telefônico (TELMA), e a estação repetidora da Rede Globo por intermédio da TV Difusora Maranhão canal 4, construção do Cemitério Público, Praça Governador José Sarney e São Francisco de Assis; em Novo Caru, o serviço de eletrificação com motor a Diesel, ficando ainda implantados os postes para o recebimento da rede de distribuição de hidrelétrica, sendo que este serviço não foi concluído pela administração seguinte, em conseqüência, os postes caíram, mas atualmente, Novo Caru já está todo iluminado com energia elétrica em postes de cimento proveniente da hidrelétrica de Boa Esperança. Construção do colégio Municipal Ney Braga (frente a CAEMA, o qual hoje funciona como Secretaria de Agricultura); e o Jardim de Infância Topo Gígio. Construção de escolas na zona rural. Em Novo Caru foi também construída a praça denominada Praça Raimundo Nonato Pinheiro, em homenagem ao seu primeiro morador. Realizou-se também abertura de estradas carroçáveis do Centro do igarapé dos Índios e de São João do Caru, construção de mini postos de saúde nos povoados da zona rural. [19]

4° mandato (1983-1988)[editar | editar código-fonte]

Em 1982 são realizadas novas eleições para governadores, senadores, deputados, prefeitos e vereadores. Concorriam às eleições Adroaldo Matos, Joca Soares e Gildásio Ferreira Brabo.

Foram eleitos em Bom Jardim, Adroaldo Alves Matos, prefeito Municipal e Dr. Muniz Alves, vice-prefeito. Para o Poder Legislativo foram eleitos os vereadores: Francisco Nascimento, José Abreu de Oliveira, Manoel Carreiro Varão, Bernardo Luís de Andrade, Benedito Alves de Carvalho, Apolinário Antonio de Araújo, Joaquim Severo de Araújo, Pedro Costa de Souza, Salomão da Silva Pereira. Miguel Dias Brasil, Raimundo Alves Ferreira e Francisco dos Santos Pereira, os quais tomaram posse no dia 1º de Fevereiro de 1983.

PRINCIPAIS OBRAS REALIZADAS: Construção do prédio da Câmara de Vereadores, do Fórum (antes em frente ao mercado), colégio municipal Ney Braga II, para o ensino de 2º Grau (foi quando iniciou o Ensino Médio em Bom Jardim na escola pública). Em convênio com o programa EDURURAL, deu continuidade às construções dos Colégios na zona rural. Efetuou o calçamento com pedras em várias ruas na rede do município. Iniciou o programa de distribuição de alimentos a gestantes (INAM). Comprou um motor de luz para os povoados: Rosário, Cassimiro e Tirirical.

Dr. Muniz

Dois prefeitos mortos por pistoleiros[editar | editar código-fonte]

Adroaldo Alves Matos foi assassinado no interior de sua residência quando este estava em reunião com lideranças comunitárias, na praça Governador José Sarney (centro da cidade) mais ou menos às 19h do dia 10 de abril de 1987, por pistoleiros até hoje não identificados. Apesar das mais de 10 testemunhas oculares do assassinato brutal, nem matadores nem mandantes jamais foram identificados pela polícia. O inquérito nem foi encaminhado à justiça. Está até hoje na Delegacia de Santa Inês, segundo sua filha Alzinete Matos, (apud Jornal Pequeno, 07/10/2007).[20]

Três dias após a morte do prefeito, tomou posse através da Câmara Municipal o vice-prefeito Dr. Antonio Muniz Alves, que deu prosseguimento aos trabalhos administrativos do Município. Sendo este, também assassinado, logo no término de seu mandato, quando se encontrava no Posto Magnólia.

PRINCIPAIS OBRAS REALIZADAS: Posto Central da Telma (junto ao mercado central), Prefeitura Municipal, dois quilômetros de asfaltos (na rua do comércio). iniciou-se o processo de eletrificação rural em Bom jardim, através de apoio e parceria com o Deputado Federal Cid Carvalho. Antes só existia em alguns povoados, através de motor de luz (à Diesel).

5° mandato (1988-1992)[editar | editar código-fonte]

Em 15 de novembro de 1988 realizam-se novas eleições no país. Concorriam as eleições Antonio Soares Pedrosa, Joca Soares, Dr. Carlos Celso, Miguel Meireles e Agenor da Conceição. Foram eleitos: Antonio Soares Pedrosa (Fogoió), Prefeito Municipal e Adelaide Sales Rios Matos, Vice-Prefeito, os vereadores foram: Francisco dos Santos Pereira, (Presidente da Câmara) Ozimo Jansen, Elizeu Alves da Costa, Raimundo Alves Ferreira, Manoel Carreiro Varão, João Batista Feitosa, Raimundo Pereira Leite, Bernardo Luís de Andrade, José Rodrigues Neto, Aldery Sebastião Ferreira, Misael Santos Souza, Antonio Feitosa Primo, Boanerges da Silva Andrade.

PRINCIPAIS OBRAS REALIZADAS: Em seu governo foi realizado calçamento na zona urbana, construção do ginásio de Esporte Pedrosão, a construção de casas populares na zona urbana, o terminal Rodoviário com o apoio do Deputado Federal Cid Carvalho. Na administração de Antonio Soares Pedrosa houve um grande avanço na eletrificação rural do município. Transportou muitas pessoas doentes para Teresina, com hotel e remédio tudo pago pela prefeitura. [21]

6° mandato (1993-1996)[editar | editar código-fonte]

Em 1992 realizaram-se novas eleições no país. Concorriam as eleições Dr. Carlos Celso e Manoel Gralhada. Foram eleitos em Bom Jardim, Dr. Carlos Celso Ribeiro Vieira, Prefeito Municipal e João Soares de Melo, vice-prefeito.

Os vereadores foram: Jorge Ângelo Vieira da Silva, Antonio Otávio Oliveira, Bernardo Luis de Andrade, Boanerges da Silva Andrade, Eliseu Alves da Costa, Francisco Soares de Melo, José Rodrigues Neto, Misael Santos Souza, Alciomar Sales Rios, Manoel Carreiro Varão, Marinete dos Santos de Abreu, Raimundo Alves Ferreira, Raimundo Pereira Leite.

7° mandato (1997-2000)[editar | editar código-fonte]

Manoel Gralhada

Em 1996 realizaram-se novas eleições no país. Concorriam as eleições Manoel Gralhada, Dr. Roque Portela e Professor Raimundo. Foram eleitos em Bom Jardim, Manoel Lídio Alves Matos (Manoel Gralhada), Prefeito Municipal e Chiquinho do Abdon, vice-prefeito. Os vereadores eleitos foram: Raimundo Pereira Leite, (Presidente da Câmara), Eliseu Alves da Costa, Antonio Otávio Oliveira, Antonio Lopes Varão, Aldery Sebastião Ferreira, Pedro Costa Sousa, Francisco Ferreira Lopes, Bernardo Alves Meireles, Marinete dos Santos de Abreu, Remy Rodrigues Silva, Demétrio Santos Passos, João Batista Feitosa, Leny Pacheco Silva.

PRINCIPAIS OBRAS REALIZADAS EM SEUS DOIS MANDATOS: Teve um bom avanço e desempenho na construção de escolas em muitos povoados da zona rural e na sede. Entre estas a escola Fernanda Sarney, onde funcionou 4 cursos da UFMA (Unidade Federal do Maranhão) em cursos de nível superior em Licenciatura Plenas para profissionais na área da educação (cursos de Letras, Matemática, Pedagogia e História). [22]

Construiu também o conjunto habitacional COHAB, fez asfaltamento nas principais ruas do centro urbano e construção de poços artesianos na zona rural. Fez eletrificação rural em alguns povoados da zona rural, a construção de um Centro Cultural e postos de saúde.

8° mandato (2001-2004)[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2000 foram realizadas novas eleições para Deputados, Governador, Senador, Prefeitos e Vereadores. Concorriam às eleições Manoel Gralhada e Dr. Roque Portela. Foram eleitos em Bom Jardim, Manoel Lídio Alves Matos, Prefeito Municipal e Eliseu Alves da Costa, vice-prefeito. Os vereadores eleitos foram: Reginaldo Meireles Cunha (Presidente), Antonio Lopes Varão, Raimundo Pereira Leite, Aldery Sebastião Ferreira, Alcionildo Sales Rios Matos, Antonia da Silva, Clara Maria Araújo Maciel, Elberfran Oliveira Costa, Francisco Cruz, Francisco Ferreira Lopes, Francisco Santos Pereira, Leny Pacheco Silva e José Vieira Santos Filho.

Manoel Lídio, o Manoel Gralhada, chegou a ter seu mandato cassado pelo juiz da 78ª Zona Eleitoral de Bom Jardim, Júlio César Prazeres, em maio de 2004, sob acusação de abuso de poder econômico na eleição de 2000, mas deixou a cadeira de prefeito por apenas 50 horas, sendo diplomado Antonio Roque Portela (provisoriamente). Manoel Gralhada foi reconduzido ao cargo por uma nova decisão judicial. [23]

9° mandato (2005-2008)[editar | editar código-fonte]

Em três de outubro de 2004 ocorreram novas eleições. Concorrem Dr. Roque Portela e Chiquinho do Abdon. Sendo eleito Dr., Roque e vice-prefeito Eliseu. Os vereadores eleitos foram: Alciomar Sales Rios Matos, Francisca Elia de Mesquita, Antonio Lopes Varão, Lenir Pacheco Silva, José Vieira dos Santos Filho, Aldery Sebastião Ferreira, Elberfran Oliveira Costa, Francisco Ferreira Lopes, Márcio Sousa Pereira. Sendo presidente da Câmara: Aldery Sebastião Ferreira.

10° mandato (2009-2012)[editar | editar código-fonte]

Em 5 de outubro de 2008 foram realizadas novas eleições para Prefeitos e Vereadores em todo país. Concorriam às eleições em Bom Jardim: Manoel Gralhada (3.572 votos), Antonio Roque Portela (nulos), Eliseu Alves (87 votos), Beto Rocha (5.386 votos), Alcionildo Matos (2.129 votos) e Nilo Ribeiro (139 votos). Foram eleitos em Bom Jardim, a prefeito: Beto Rocha (segundo colocado com 5.386 votos, pois o primeiro colocado Antonio Roque Portela teve seus votos inválidos (nulos: 7.133) - pois concorria na condição de uma 3ª reeleição – por ter assumido em maio de 2004, quando Manoel Gralhada fora cassado. Para não ficar na amarga vitória, o mesmo recorreu à Brasília, o centro da anuência e dos jogos de cintura, onde teve o direito concedido de assumir o mandato em janeiro de 2008. Sua vice-prefeita: Lenir Pacheco Silva. Os vereadores eleitos foram: Antonio Cesarino, Silvano Andrade, Zé Filho, Pedrinho, Chico do Braz, Puaka, Sinego, Seloneide Noronha e Seu Augusto. [24]

11° mandato (2013-2016)[editar | editar código-fonte]

Em 07 de outubro de 2012 foram realizadas novas eleições para Prefeitos e Vereadores em todo país. Concorriam às eleições em Bom Jardim: Beto Rocha, (que em última hora foi substituído por sua esposa Lidiane Rocha); Dr. Francisco, Zé Lopes e Rivelino Rodrigues. Foram eleitos em Bom Jardim a prefeita: Lidiane Rocha (9575 votos). Os vereadores eleitos foram: Adriano Varão, Ana Cesarino, Dr. Silvano Andrade, Sandra do Salomão, Poré, Hiater, Chico do Braz, Manim, Arão, Professor Markony, Sinego, Drª Sônia e Roberty Meireles. [25]

Religiões[editar | editar código-fonte]

Igreja Católica[editar | editar código-fonte]

Em Bom Jardim o catolicismo teve início já com os primeiros moradores, pois os mesmos eram católicos. A Igreja Católica em Bom Jardim foi fundada em 1968 pelo Padre Cordeiro e frei Abdias, que ainda não havia se consagrado Padre, mas a ele competia o papel de evangelizar. A primeira missa foi celebrada pelo padre Cordeiro que, ainda sem local apropriado, a missa foi realizada em um salão. A primeira igreja foi construída na praça Governador José Sarney, mas como na frente da referida igreja foi construído um abrigo no qual funcionava um bar. O padre não aceitou a ideia e com desavenças, resolveu mudar o local da igreja que passou para a praça São Francisco de Assis. Junto com a referida igreja, foi também construída a casa paroquial. Os primeiros padres residentes em Bom Jardim foram: Frei Antonio Sinibalde, Frei Alexandre e Frei José. Frei Antonio Sinibalde faleceu em um naufrágio em São Luís, na Ilha do Medo, na praia do Boqueirão, na manhã no dia 07 de setembro de 1987. Após os referidos freis, aqui residiram Padre Carlos Ubialli, também Já falecido em acidente no dia 04 de março de 2001, Frei Eduardo, Frei Mário, Frei Guidi, Frei Carmine de Michelle, Frei Valadares, Frei Clever Mafra e atualmente, Frei Francisco Conceição Ribeiro.

Na igreja católica de Bom Jardim já foram (formados) ordenados três padres: Padre Evangelista, Frei Antonio Cruz e Frei Francisco Sales.

Além da Igreja matriz o município já conta com cinco Capelas que são: São Bernardo, Nossa Senhora Aparecida, Santa Madalena, Santa Luzia, São José e Nossa Senhora Imaculada Conceição. [26]

Congregação Missionária Filha de Jesus Crucificado[editar | editar código-fonte]

A Congregação Missionária das Filhas de Jesus Crucificado foi fundada em 8 de dezembro de 1925 tendo como fundador o Padre Salvador Vico. As missionárias filhas de Jesus crucificado desenvolvem, hoje na Itália, Brasil e Zaire, uma obra de evangelização e de promoção humana animadas de uma espiritualidade sacerdotal e operativa. [27]

Esta congregação chegou em Bom Jardim em julho de 1977, sendo fundador o Padre Frei José. As primeiras irmãs que aqui chegaram foram irmã Geovana, já falecida, Adélia, superiora, Carla, Eliza, Esperança e Naíde. A casa da congregação foi dada pela comunidade e sua estrutura era de taipa. Já se consagraram nesta cidade, várias irmãs, dentre elas irmã Célia, Delzenir e Íris.

Para uma missionária se consagrar é preciso no mínimo 04 ou 05 anos, 02 anos de postulado e 02 de noviciado e mais 5 anos de estudos para a profissão se perpetuar.

As irmãs trabalham com a pastoral da criança e formação de líderes comunitários, são responsáveis pelo Projeto Vida que é mais uma forma de ajudar os adolescentes a ficarem longe do mundo das drogas e da prostituição. A forma de ajudar é dando Cursos profissionalizantes, culinárias, artesanato, bordados, informática etc.

Assembleia de Deus[editar | editar código-fonte]

Sede da igreja Assembleia de Deus em Bom Jardim

No ano de 1959, as reuniões eram ministradas pelo irmão Manoel Justino, em casa de taipa no Bairro Betel nesta cidade. A congregação era no campo do Povoado Águas Boas, município de Monção, o primeiro templo foi inaugurado em 1962, e o primeiro pastor foi Arcanjo de Deus da Silva.

A igreja realiza durante todo o ano as festas: Círculo de oração da mocidade, no mês de janeiro, com a finalidade de orar em prol da juventude, faz visitas constantes a jovens desviados do caminho do senhor. Círculo de oração Monte das Oliveiras, no mês de setembro com a finalidade de trazer os jovens a casa de Deus através da evangelização em massa. Como também confraternização infantil, com o fim de evangelizar os pequeninos; encontro dos casais por um lar abençoado e a união da família com o seu criador; campanhas contra as drogas com o fim de libertar os jovens das drogas através da palavra de Deus. A cruzada evangélica que tem a finalidade de levar o IDES de Jesus a todas as pessoas até os confins da terra.

Além de evangelizar, a igreja incentiva a Juventude a andar no temor de Deus, prepara o encontro com Jesus e viver em comunhão com a sociedade, tendo um crescimento diário bastante elevado. Os missionários treinados fazem a evangelização indígena. [28]

A igreja teve como sede três templos nesta cidade: o 1º foi na Betel, o 2º na Avenida José Pedro, onde funciona a prefeitura municipal e o 3º atualmente na 7 de Setembro. Assembléia de Deus quer dizer: agrupamento das pessoas de Deus.

Assembleia de Deus (Madureira)[editar | editar código-fonte]

Chegaram em Bom Jardim os primeiros missionários em julho de 1999, localizando-se no bairro Santa Clara.

A igreja realiza durante o ano as festas: Círculo de oração, no mês de novembro, confraternização da mocidade em dezembro, batismo nas águas para remissão dos pecados. Além de evangelizar trás os jovens para ensiná-los as doutrinas bíblicas, as almas para o reino de Deus, se relacionam da melhor maneira com a comunidade, respeitando-a.

Em 2000, a igreja tinha em média 50 membros. A primeira família Madureira em Bom Jardim era composta de Paulo César Silva Azevedo e esposa. O nome Assembléia de Deus da Madureira provém de um bairro de São Paulo e é uma ramificação da Assembléia de Deus.

Testemunhas de Jeová[editar | editar código-fonte]

Salão do Reino das Testemunhas de Jeová

A igreja Testemunhas de Jeová chegou em Bom Jardim em 1º de Agosto de 1990, com o objetivo de efetuar uma obra bíblica, a saber, proclamar o reino de Jeová. Os primeiros representantes das testemunhas de Jeová em Bom Jardim foram: José Antonio da Silva e Eliseu Antonio Malhas Gomes. E são tidos como pioneiros em Bom Jardim.

A história moderna das testemunhas de Jeová assumiu forma há pouco mais de um século. No começo da década de 1870, iniciou-se um pequeno grupo de estudos bíblicos na cidade de Allegheny, Pensilvânia, EUA, agora parte de Pittsburgh. Charles Tase Russel foi seu primeiro promotor.

Chamam o nome de Deus de Jeová porque segundo a versão Almeida, revista e corrigida, da Bíblia no Salmo 83:18, diz: "Para que as pessoas saibam que tu, a quem só pertence o nome de Jeová, és o altíssimo sobre toda a terra". Porque o nome Testemunhas de Jeová? É com base em Isaías 43:10 que diz: "Vós sois minhas testemunhas, é a pronunciação de Jeová". [29]

Igreja Universal do Reino de Deus[editar | editar código-fonte]

Fundada por Edir Macedo[30] , a igreja universal foi fundada em Bom Jardim em 2001. Foi trazida pelo pastor Abel, com a colaboração da professora Areny.

Maçonaria[editar | editar código-fonte]

Em Bom Jardim a maçonaria foi fundada em 15 de abril de 1980. O Venerável Mestre da Maçonaria no município foi Luiz Bezerra Linhares, conhecido por Luiz do Posto, falecido em 2003. Este é um dos mais altos cargos da maçonaria.

Segundo o venerável mestre, numa entrevista realizada em setembro de 2001, a Maçonaria é uma sociedade filantrópica sem fins lucrativos, ou seja, não tem como meta alcançar riqueza com pacto com o demônio como as pessoas pensam; como toda sociedade, a maçonaria dedica-se a ajudar os que os procuram através de carta (que é enviada por meio de membros, sem identificação). Funciona tipo uma irmandade.

Em Bom Jardim, só existiam até 2005, oito adeptos, pois vários já existiram, mas como deixaram de participar das reuniões que tem como sede Zé Doca, todas às sextas feiras, estes foram afastados. As mulheres não podem participar das reuniões porque há segredos que não podem ser revelados. Há um mito de que a pessoa maçônica teria que dar o filho primogênito para o demônio.

O venerável mestre, como é conhecido o superior maçônico, discordou dizendo que não existe nenhum acordo deste tipo, pois a sociedade tem como livro supremo a Bíblia Sagrada. [31]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Bumba-meu-boi[editar | editar código-fonte]

A cultura bonjardinense mantém viva suas tradições e manifestações como bumba-meu-boi, que hoje constitui um aspecto fundamental na realidade local.

O primeiro Bumba-meu-boi de Bom Jardim foi desenvolvido pelo senhor Edson de Araújo de Oliveira, nascido em 10/05/1938, na cidade de Bacabal, o mesmo veio morar em Bom Jardim em 1960, e em 1963, juntamente com o seu irmão Raimundo Justino A. Oliveira confeccionaram o primeiro boi que se chamava Pena verde, o mesmo foi criado em junho e morto em outubro.

O senhor Edson passou 07 anos brincando por promessa. Seus principais instrumentos são: tambores, matracas, roncador do boi etc. Seus componentes são voluntários, convidados pelo mesmo. Afirma Edson, que seu boi está desativado por falta de recursos.

Apesar das dificuldades, o bumba-meu-boi é visto e apreciado por aqueles que participam dessas manifestações: cujos membros convivem como uma verdadeira irmandade, onde vários contribuem para que esta manifestação seja bem sucedida. Em Bom Jardim os festejos ocorrem no mês de junho no período das festas juninas, a maioria dos brincantes têm como devoção esses dias como pagamento de votos; essas promessas dedicadas aos santos da devoção. [32]

Festival do Peixe[editar | editar código-fonte]

Festival do peixe

Salomão da silva Pereira, nascido em 10/07/1950, foi o primeiro a realizar esse evento em Santa Luz, no município de Bom Jardim.

O festival surgiu de uma conversa entre amigos sobre algumas festas que já tinham visto entre eles "FESTIVAL DO PEIXE". Daí surgiu então a ideia de um 1° festival do peixe.

Esse evento foi realizado em julho de 1985, com duração de 12 horas, com patrocínio de Dr. Muniz para pagar a banda musical MOÇO BOSA.

Salomão levou um saco de farinha, para ser servido com peixe, 10 mulheres para a distribuição da comida, e para a atração de todos, um campeonato com 12 times de futebol.

O festival do peixe virou cultura, e centro de lazer em Bom Jardim, e todos os anos, um grande número de pessoas do município e outras localidades se divertem com três dias de festas realizadas sempre no último final de semana de julho. O festival, alem de desenvolver o turismo local, gera renda e economia para os pequenos comerciantes. [33]

Carnaval[editar | editar código-fonte]

O carnaval de Bom Jardim se transformou bastante comparado com o que era antes. Muitas características e tradições desapareceram. Nosso carnaval antes era brincando com máscaras e fofões, noutras fases, os homens se maquiavam e saiam vestido de mulher e saíam com tambores nas ruas. Hoje o carnaval bonjardinense ganhou um toque de estética na relação com o carnaval moderno das grandes cidades, atraindo muitas pessoas de fora quando na disputa dos blocos de rua.

Surgiram 3 blocos carnavalescos que disputavam o melhor carnaval de rua em Bom jardim (com estética e ornamentação). Sendo: Cobra Sem Veneno, Swing da Cor e Tribus da Folia.

Em 2008, novos blocos carnavalescos surgiram, entre eles: Beber, cair, levantar; Porca que fuça; Gato Safado e outros blocos menores. [34]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Contam os mais antigos moradores de Bom Jardim que, quando um avião aqui pousava, no aeroporto da SUDENE, grande era o número de pessoas que corriam para ver o avião. Era uma grande multidão correndo dos becos e ruas rumo ao aeroporto (assim conhecido por todos). Pessoas deixavam suas atividades para ir ver, mulheres esqueciam panelas no fogo. Tudo para ver a celebridade: o avião.

Dizem que, certa vez, ocorreu um caso excepcional: mais um avião passava, e para lá acorriam as multidões. E no meio de tantos, uma mulher, que precipitada, escanchou nos braços (colo) um cachorro, pensando ser o filho e saiu ás disparadas, para também ver o avião. Quando na correria percebeu ser um cachorro e não o filho, a mesma desconfiada, pôs o cão no chão e seguiu correria.

O maior abacaxi do mundo foi encontrado em Bom Jardim, Maranhão, em 1997. O abacaxi pesava 9 kg. Foi colhido na fazenda Santa Maria, de Joaquim Boanerges Ayres Guimarães, que tinha cerca de 1500 pés de abacaxi. (Fonte: The Guiness Book of Records, in 1998). [35]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. NASCIMENTO, Maria Nadir. Terras das palmeiras: geografia e história do Maranhão/ Deuris de Deus Moreno Dias Carneiro. São Paulo: FTD, 1996.
  7. Raimundo Santos. Relato sobre a colonização nos primeiros dias em Bom Jardim, 2011.
  8. Irmã Adélia. Convento das Freiras. Entrevista sobre conversa que teve com o 1º morador José Pedro Vasconcelos. 2003.
  9. Bloco de entrevistas com antigos moradores que acompanharam o processo histórico-político de Bom Jardim,; Valquírio Bertoldo, Biribute, Zezé, Maria do Alcides e Antuninha.
  10. LIMA, Dionísio Silva. Relatos sobre uma história na região Caru no século XVIII a XIX. 04/12/2006
  11. http://www.web_artigos.com/artigos/historia-e-geografia-bonjardinense/73435/
  12. JÚNIOR, Antonio. Fornecimento do mapa de Bom Jardim/MA e municípios de fronteiras.
  13. MOTTA, Adilson Pires. Radiografia de uma cidade brasileira. E a sua? História e geografia / Adilson Pires Motta. - Bom Jardim - MA, 2010.
  14. Cartilha do PRODIM – Programa de Desenvolvimento Integrado do Maranhão. Ano: 2006.
  15. IBGE/2000
  16. OLIVEIRA, Domingos de Sousa. Entrevista sobre os conflitos agrários no município de Bom Jardim/MA, 2004.
  17. Jornal Pequeno. 2007, Edição 21,563. Realidade maranhense. Enfoque Bom Jardim. 10/2007.
  18. GONZAGA, Antonia Cavalcante. Primeira professora municipal de Bom Jardim. Entrevista sobre a primeiro prefeito de Bom Jardim. Agosto/1987. (Mon. Irene Matos).
  19. MEIRELES, Miguel Alves. Ex-Prefeito municipal. Entrevista sobre vida e obras realizadas em seu governo. 10/2003.
  20. Jornal Pequeno, 07/10/2007.
  21. PEDROSA, Antonio Soares, Ex-Prefeito municipal. Entrevista sobre vida e obras realizadas em seu governo. 10/2003.
  22. http://musica.ufma.br/arq/comun/ccmu_maiscultura_escolas.pdf
  23. http://www.bomjardimma.com/2014/06/dois-ex-prefeitos-de-bom-jardim-estao.html
  24. http://imirante.globo.com/mobile/maranhao/noticias/2008/11/11/tse-confirma-reeleicao-de-roque-portela.shtml
  25. www.bomjardimma.com/2013/01/lidiane-rocha-e-empossada-prefeita-de.html
  26. http://pt.slide_share.net/adilsonmottam/aspectos-culturais-de-bom-jardim-ma
  27. http://www.mjc.org.br/joomla2/
  28. Conde, Emilio História das Assembleias de Deus
  29. http://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/vontade-de-jeova/porque-usamos-nome-testemunhas-jeova/
  30. Macedo 2012, pp. 162–63.
  31. LINHARES, Luiz Bezerra. Entrevista sobre a Maçonaria em Bom Jardim –2001.
  32. MACIEL, Pedro. Entrevista sobre o Bumba-meu-boi em Bom Jardim. 12/2005.
  33. http://www.bomjardimma.com/2014/07/em-agosto-prefeitura-de-bom-jardim.html
  34. http://www.bomjardimma.com/2014/03/carnaval-2014-em-bom-jardim-cobertura.html
  35. MOTTA, Adilson Pires. Radiografia de uma cidade brasileira. E a sua? História e geografia / Adilson Pires Motta. - Bom Jardim - MA, 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Maranhão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.