Bom Retiro (distrito de São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Distrito paulistano do
Bom Retiro
Área 4 km²
População (90°) 33.892[1] hab. (2010)
Densidade 71,48 hab/ha
Renda média R$ 1.358,39
IDH 0,847 - elevado (52°)
Subprefeitura
Região Administrativa Centro
Área Geográfica Centro Expandido
Distritos de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg

Bom Retiro é um distrito situado na região central da cidade de São Paulo. Trata-se de uma região essencialmente comercial, com a áreas industriais e residenciais.

O distrito é atendido pela Linha 1 (Azul) do Metrô de São Paulo e pelas linhas 7, 10 e 11 da CPTM. Atualmente, também atendido pela Linha 4 (amarela) do Metrô de São Paulo.

Formação[editar | editar código-fonte]

No século 19 era um bairro formado por chácaras e sítios que eram usados como retiros de fim de semana pela população abastada da cidade. O Bom Retiro era considerado uma região importante no passado, quando as estações da São Paulo Railway e da Estrada de Ferro Sorocabana, junto à época com o único parque público da cidade, o Jardim da Luz, faziam parte de belos e elegantes pontos de chegada e partida de viajantes, notadamente abastados fazendeiros de café que tinham suas majestosas residências na capital.

Chaminé da Luz é um dos vestígios de uma das primeiras usinas termelétricas da cidade

Essa função de lazer começou a mudar quando da instalação de olarias na região sendo a mais importante a Olaria Manfred de 1860. O Bom Retiro abrigou também o primeiro prédio no Brasil destinado à instalação de uma linha de montagem de automóveis, com a inauguração da fábrica da Ford do Brasil na Rua Solon em 1921. Esse prédio, que ainda existe, foi a sede da filial brasileira da Ford até 1953, quando esta mudou-se para uma fábrica maior construida no bairro da Vila Prudente. Mais tarde, tornou-se um local de concentração industrial, quando viu, na década de 1960 essas indústrias pouco a pouco cederem seu espaço a um ativo comércio de roupas e moda, mesclado com pequenas indústrias de confecção e tecelagem. À época, o bairro já era um pólo que concentrava comerciantes judeus e sírio-libaneses, os quais mais tarde migrariam para outros bairros mais distantes do centro.

Possuidor de uma importante herança patrimonial e cultural da cidade, o Bom Retiro abriga a Pinacoteca do Estado de São Paulo, o Museu de Arte Sacra de São Paulo, o Museu da Língua Portuguesa (dentro da Estação da Luz), a Estação Pinacoteca (no antigo DOPS) e o Centro de Estudos Musicais - Tom Jobim. Próximos ao distrito, a Estação Júlio Prestes foi restaurada e atualmente abriga a Sala São Paulo, sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP). O antigo solar que pertenceu ao Marquês de Três Rios, Joaquim Egídio de Sousa Aranha, em sua Chácara "Bom Retiro" e mais tarde, abrigando a Escola Politécnica da USP hoje abrigando a FATEC e a ETESP.

O Jardim da Luz é o mais antigo parque da cidade e é uma das poucas áreas verdes de sua região central.

Atualmente o distrito possui muitos moradores de baixa renda, principalmente de moradias coletivas (cortiços). É o segundo reduto oriental da cidade, sendo conhecido como a "Liberdade" dos coreanos, que controlam dois terços do comércio e da indústria de roupas da região.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Segundo estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e SEADE (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados), dados de 2011, Bom Retiro tinha uma população total de 34 637 habitantes.[2]

Evolução demográfica do distrito do Bom Retiro [3]

.

Segundo o Censo 2010 a população do Bom Retiro está composta por: brancos (53,0%), pardos (26,8%), amarelos (15,2%), pretos (4,6%) e indígenas (0,4%).[4] Do total de residentes, 53% são do sexo feminino e 47% são do sexo masculino.[5]

Indicadores sociais[editar | editar código-fonte]

Os Indicadores sociodemográficos do censo de 2000 apontam um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) elevado de 0,864 que o coloca na 42ª posição entre os distritos da cidade.

IDH's do ano 2000[6]
  • IDH - médio: 0,864
  • IDH - renda: 0,854
  • IDH - longevidade: 0,825
  • IDH - educação: 0,913

A média da idade do Bom Retiro é 40,6 anos. Em se tratando de níveis sociais, na população do distrito há um predomínio da Classe C em pesquisa feita no ano de 2008 pela Folha de São Paulo.

Classes Sociais[5]

Classe A
2%
Classe B
28%
Classe C
53%
Classe D
16%
Classe E
1%

Religião[editar | editar código-fonte]

Portal da Paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora do bairro Bom Retiro em São Paulo, também conhecida como igreja de Dom Bosco por fazer parte do conjunto arquitetônico do Instituto Dom Bosco.

Multi-cultural, o distrito possui templos de diferentes religiões, derivadas das diferentes ondas migratórias presentes no bairro.

De acordo com o caderno especial DNA Paulistano realizado pelo jornal Folha de São Paulo no ano de 2008, a população do Bom Retiro está composta por: católicos (61%), evangélicos (13%), pessoas sem religião (9%) e outras religiões (17%). [5]

Entre os principais templos estão:

  • Centro Israelita São Paulo Knesset Israel
  • Congregação Cristã do Brasil
  • Congregação Israelita Ortodoxa Kehal Hassidim
  • Igreja Apostôlica Armênia do Brasil
  • Igreja Batista do Bom Retiro
  • Igreja Evangélica Assembleia de Deus
  • Igreja Internacional da Graça de Deus
  • Igreja Missionária Oriental de São Paulo
  • Igreja Presbiteriana da Paz de São Paulo
  • Mosteiro da Luz de São Paulo e Igreja do Frei Galvão
  • Paróquia Nossa Senhora da Auxiliadora
  • Paróquia de Santo Eduardo
  • Paróquia de São Cristóvão
  • Paróquia de São Gregório Iluminador
  • Santuário das Almas
  • Sinagoga Adat Ishurum
  • Sinagoga Ahavat Reim
  • Sinagoga Kehilat Israel
  • Sinagoga Machzikei Hadat
  • Sinagoga Rabi Itzchak Elchanan
  • Sinagoga Talmud Thorá Lubavitch

Uso do solo[editar | editar código-fonte]

Residencial[editar | editar código-fonte]

Edifícios localizados na Rua Amazonas

O uso residencial é mesclado aos usos comercial e industrial em toda área, geralmente de padrão médio, mas com muitos moradores vivendo em residências de baixo padrão, na região também é comum residências e edifícios residenciais com comércios no térreo e também casas e sobrados de origem operária. No ano de 2000, a maior parte da população do distrito residia em apartamentos.

Comercial e industrial[editar | editar código-fonte]

Tanto o comércio quanto a atividade industrial são ligados principalmente aos setores de confecções e tecelagem. O distrito do Bom Retiro contribuia no ano 2000 com 3,64% dos empregos industriais da cidade, sendo o 5º lugar nessa atividade.[7]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Possui atualmente duas estações de metrô, a Tiradentes e Armênia Tiradentes, assim como tem uma estação da CPTM, Luz. O bairro é atendido pela Linha 1 (Azul) do Metrô de São Paulo e pelas linhas 7, 10 e 11 da CPTM. Futuramente, também será atendido pela Linha 4 (amarela) do Metrô de São Paulo, embora a Estação Luz esteja fora do distrito.

As principais vias de acesso ao distrito são: Avenidas Presidente Castelo Branco (Marginal Tietê), Avenida Rudge e Avenida Marquês de São Vicente, Avenida Tiradentes, Avenida Cruzeiro do Sul Avenida do Estado e Avenida Santos Dumont. Outros importantes logradouros são: Rua João Teodoro, Rua Anhaia, Rua Ribeiro de Lima, Rua Pedro Vicente, Rua Correia de Melo, Rua São Caetano, Rua Três Rios e Rua José Paulino.

Segurança[editar | editar código-fonte]

O distrito é sede de diversos orgãos de segurança da cidade de São Paulo, como: Quartel do Comando Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Corregedoria da Polícia Militar do Estado de São Paulo, 2º Batalhão de Polícia de Choque (PMESP) e Departamento de Investigações sobre Narcóticos.

Segundo estatísticas, de 2007-2009 o distrito uma taxa de 70 homicídios por 100 mil habitantes entre homens de 15 a 44 anos, 25º entre os 96 distritos da cidade. [8]

Educação e cultura[editar | editar código-fonte]

De acordo com o Atlas do Trabalho e Desenvolvimento de São Paulo distrito possui um elevado IDH de educação da cidade, em sua extensão abriga diversos institutos de educação e colégios tradicionais. O distrito ainda abriga importantes museus e centro culturais como: o Museu da Língua Portuguesa, a Pinacoteca do Estado, a Estação Pinacoteca e a Oficina Cultural Oswald de Andrade.

Localização geográfica[editar | editar código-fonte]

Limites[editar | editar código-fonte]

  • Norte: Rio Tietê.
  • Leste: Avenida Cruzeiro do Sul e Avenida do Estado.
  • Sul: Rua Mauá/Via Férrea da CPTM (Linhas 7, 10 e 11).
  • Oeste: Via Férrea da CPTM (Linha 8), Viaduto Engenheiro Orlando Murgel, Avenida Rudge e Ponte da Casa Verde (início).

Distritos limítrofes[editar | editar código-fonte]

Pontos de Atração[editar | editar código-fonte]

Atrativos turísticos[editar | editar código-fonte]

Prédio da Estação da Luz.

Outros pontos de atração[editar | editar código-fonte]

Região do Bom Retiro, no centro da imagem, vista do Terraço Itália, no distrito vizinho da República. Parte da zona norte pode ser vista no horizonte.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bom Retiro (distrito de São Paulo)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.