Bonfim (Roraima)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Bonfim
Vgm Guiana 049.JPG

Bandeira de Bonfim
Brasão de Bonfim
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1 de julho de 1982 (32 anos)
Gentílico bonfinense
Prefeito(a) Lisete Spies
(2013–2016)
Localização
Localização de Bonfim
Localização de Bonfim em Roraima
Bonfim está localizado em: Brasil
Bonfim
Localização de Bonfim no Brasil
03° 21' 36" N 59° 49' 58" O03° 21' 36" N 59° 49' 58" O
Unidade federativa  Roraima
Mesorregião Norte de Roraima IBGE/2008[1]
Microrregião Nordeste de Roraima IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Norte: Normandia; Oeste: Boa Vista, Cantá; Leste: Guiana; Sul: Caracaraí.
Distância até a capital 125 km
Características geográficas
Área 8 095,319 km² [2]
População 11 525 hab. (RR: 7º) –  IBGE/2013[3]
Densidade 1,42 hab./km²
Altitude 92 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,626 médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 96 520,968 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 102,32 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura http://www.bonfim.rr.gov.br/

Bonfim é um município do estado brasileiro de Roraima, sendo o quinto maior em população segundo a estimativa de 2005 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A sede do município faz fronteira com a cidade de Lethem, capital da região 9 na Guiana.

A zona urbana possui seis bairros:

  • Getúlio Vargas
  • São Francisco
  • Cidade Nova
  • Primeiro de Julho
  • 13 de Maio
  • Centro

A sede de Bonfim encontra-se ainda conurbada à cidade guianense de Lethem, constituindo uma aglomeração urbana transnacional. As duas manchas urbanas encontram-se separadas apenas pelo rio Tacutu, sobre o qual passa a ponte Brasil-Guiana, numa extensão da BR-401.

História[editar | editar código-fonte]

O município nasceu de um sítio religioso estadunidense. É comum se ouvir um diálogo nos dois idiomas falados na fronteira, o português e inglês. Atualmente, metade da população da sede do município é guianense ou descendente.

O município foi criado pela Lei Federal Nº 7.009 de 1 de julho de 1982, com terras desmembradas do município da capital do estado. Já foi governado por 8 prefeitos.

Geografia e transporte[editar | editar código-fonte]

Rotatória da BR-401 nas proximidades da cidade de Bonfim.

Está localizada na margem esquerda do rio Tacutu e na fronteira entre o Brasil e Guiana, sendo ligada a esse país pela Ponte sobre o Rio Tacutu. Estão localizados em Bonfim as ruínas do Forte São Joaquim. Liga-se à Boa Vista pela BR-401, a uma distância de 125 km.

Localidades principais[editar | editar código-fonte]

Segue uma relação de das principais localidades não-índigenas do município e suas respectivas populações segundo o Censo de 2010.[6]

  • 3.711 habitantes - Bonfim (sede)
  • 454 habitantes - Vila São Francisco
  • 251 habitantes - Vila Nova Esperança
  • 520 habitantes - Vila Vilena

Localidades Indígenas[editar | editar código-fonte]

Na última Assembléia Regional dos Tuxauas (que em outros estados brasileiros também recebem os nomes de Morubixaba ou Cacique) realizada no dia 9 de dezembro de 2013, na comunidade indígena Jacamim no município de Bonfim, no estado de Roraima, foi solicitado o censo de cada localidade para atualizar o banco de dados da Coordenação de Lideranças Indígenas Regionais Serra da Lua.Estas são as comunidades indígenas do município de Bonfim. As etnias existentes são macuxi e wapixana. Além de suas línguas maternas, eles falam português e inglês.

  • Água Boa (Comunidade indígena Wapixana, com uma população estimada em 89 pessoas, dividida em 13 famílias. O tuxaua da comunidade é o senhor Ernesto).
  • Alto Arraia. (Comunidade indígena Macuxi e Wapixana, com uma população estimada em 306 pessoas, dividida em 63 famílias. A tuxaua da comunidade é a senhora Corina da Silva Gomes).
  • Bom Jesus. (Comunidade indígena Macuxi, com uma população estimada em 136 pessoas, dividida em 33 famílias. O tuxaua da comunidade é o senhor Rodolfo Rixiu).
  • Cachoeira do Sapo. (Comunidade indígena Wapixana,  com uma população estimada em 68 pessoas, dividida em 17 famílias. O tuxaua da comunidade é o senhor Constatino).
  • Cumaru. (Comunidade indígena Macuxi e Wapixana, com uma população estimada em 200 pessoas, dividida em 46 famílias. O tuxaua da comunidade é o senhor Nilton).
  • Jabuti (Comunidade indígena _____________, com uma população estimada em 485 pessoas, dividida em 88 famílias. O tuxaua da comunidade é o senhor Andrade).
  • Jacamim (Comunidade indígena Wapixana, com uma população estimada em 784 pessoas, dividida em 156 famílias. O tuxaua da comunidade é o senhor Geraldo Artênio).
  • Manoá. (Comunidade indígena Macuxi, com uma população estimada em 1.096 pessoas, dividida em 192 famílias. A tuxaua da comunidade é a senhora Denilza da Silva Trindade).
  • Marupá. (Comunidade indígena Wapixana, com uma população estimada em 390 pessoas, dividida em 62 famílias. A tuxaua da comunidade é a senhora Geraldina).
  • Moscou. (Comunidade indígena _____________, com uma população estimada em 450 pessoas, dividida em 101 famílias. O tuxaua da comunidade é o senhor Roberto Augustinho).
  • Murirú (Comunidade indígena _____________, com uma população estimada em 136 pessoas, dividida em 33 famílias. O tuxaua da comunidade é o senhor Roberto Augustinho).
  • Pium. (Comunidade indígena Macuxi, com uma população estimada em 579 pessoas, dividida em 139 famílias. O(a) tuxaua da comunidade é o(a) senhor(a) Jaci).
  • São Domingos (Comunidade indígena Wapixana, com uma população estimada em 161 pessoas, dividida em 31 famílias. O tuxaua da comunidade é o senhor Ernesto

Gomes da Silva).

  • São João (Comunidade indígena Macuxi, com uma população estimada em 104 pessoas, dividida em 21 famílias. O tuxaua da comunidade é o senhor Aldenério M. Barbosa).
  • Wapum (Comunidade indígena Wapixana, com uma população estimada em 185 pessoas, em 30 famílias).

Além do censo populacional das terras indígenas Região Serra da Lua, a saúde, educação, transporte e comunicação também foram abordados como assuntos de interesse das comunidades. Entre as propostas apresentadas, duas se destacaram por terem votação unânime em suas aprovações. A primeira foi “O processo seletivo diferenciado para o município de Bonfim, para a contratação de professores e educadores para a educação de 1º ao 9º ano para atender todas as comunidades indígenas. E a segunda proposta foi a implantação do ensino fundamental de 6º ao 9º ano na Escola Indígena Santa Rita em Cumarú.

Economia[editar | editar código-fonte]

A agropecuária é a principal atividade econômica do município, destacando-se a a produção de mandioca, banana, caju, gado de corte, arroz irrigado e [[milho],manga etc.

Infra-estrutura[editar | editar código-fonte]

Na saúde, existe um hospital público com 25 leitos e vários postos no interior.

Há um pelotão especial de fronteiras subordinado à Brigada de Infantaria de Selva (situada em Boa Vista) que protege Bonfim.

Conta com um sistema de distribuição de água, energia elétrica (distribuída pela CERR), agência dos correios, agência do Banco Bradesco, agência do Banco do Brasil (ainda em implantação), casa Lotérica e rede telefônica.

Prefeitura Municipal de Bonfim

Existem no município 19 escolas de ensino fundamental e 1 de ensino médio. Uma biblioteca municipal, 1 mercado público e um estádio de futebol.

O município possui um pequeno aeroporto, piçarrado, ainda não reconhecido pela Aeronáutica, e uma estação rodoviária.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data de referência em 1º de julho de 2013 (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (4 de outubro de 2013). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 08 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. bestatistica/populacao/censo2010/default.shtm Dados com base em levantamentos utilizando os resultados do Censo 2010 do IBGE. Acesso em 7 fev 2012.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

FREITAS, Aimberê. Estudos Sociais - RORAIMA: Geografia e História. 1 ed. São Paulo: Corprint Gráfica e Editora Ltda., 1998. 83 pp. ISBN 34523432

Ligações externas[editar | editar código-fonte]