Bonifácio I de Monferrato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Bonifácio de Montferrat)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Janeiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Wiki letter w.svg
Por favor, melhore este artigo ou secção, expandindo-o(a). Mais informações podem ser encontradas na página de discussão. Considere também a possibilidade de traduzir o texto das interwikis.
Bonifácio I de Monferrato
Marquês de Monferrato
Coroação de Bonifácio I
Nascimento 1150
Morte 1207

Bonifácio I de Monferrato, (em italiano: Bonifacio I del Monferrato), marquês de Monferrato, foi o comandante da Quarta Cruzada, visto tanto pelos cruzados como pelos Bizantinos como o mais provável imperador depois da tomada de Constantinopla em 1204. No entanto, os Venezianos acharam que Bonifácio tinha demasiados laços com o império, uma vez que o seu irmão Conrado pertencia, pelo casamento, à família imperial bizantina. Os Venezianos quiseram, portanto, um imperador que pudessem controlar mais facilmente, e escolheram Balduíno IX, Conde da Flandres (Balduíno I de Constantinopla) como primeiro imperador do Império Latino.

A conquista de Tessalónica[editar | editar código-fonte]

Bonifácio aceitou, relutantemente, esta situação, e decidiu ir conquistar Tessalônica, a segunda maior cidade bizantina. De início teve de competir com o imperador Balduíno, que também cobiçava a cidade, mas foi Bonifácio quem venceu a disputa, cedendo aos Venezianos os seus territórios em Creta. Tendo tomado a cidade em finais de 1204, Balduíno fundou um reino, nominalmente subordinado ao imperador Balduíno, muito embora o título de rei nunca tenha sido utilizado oficialmente. Fontes posteriores sugerem que Balduíno teria baseado os seus direitos ao trono de Tessalónica no facto de o seu irmão Renier ter recebido Tessalónica aquando do seu casamento com Maria Comnena em 1180.[1]

O fim do reino de Tessalónica[editar | editar código-fonte]

O governo de Bonifácio durou menos de dois anos, ao fim dos quais o rei caiu numa emboscada de Kaloyan da Bulgária e foi morto a 4 de setembro de 1207. O título foi herdado pelo filho de Bonifácio, Demétrio, ainda um bebé, pelo que o poder foi exercido de facto pelos nobres da corte. Estes revoltaram-se quase imediatamente contra o Império Latino, mas foram esmagados pelo imperador Henrique da Flandres em 1209. Eustáquio (Eustache), irmão de Henrique, tornou-se então regente em nome de Demétrio. Tirando partido desta situação, Miguel I Comneno Ducas, anteriormente aliado de Bonifácio, atacou o reino em 1210, ao mesmo tempo que os Búlgaros faziam o mesmo. Henrique conseguiu derrotar ambas as invasões. Teodoro, irmão de Miguel, continuou a atacar o reino depois da morte do rei em 1215.

O reino foi reclamado por diversos pretendentes da casa de Monferrato até 1284, e também pelos duques da Borgonha; Balduíno II de Constantinopla prometeu o título a Hugo IV caso recuperasse o trono do Império Latino.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. E.g. Salimbene de Adam, Crónica, edição de 1966, vol. 2 p. 790. Cf. Runciman, 1951-1954, vol. 3 p. 125, e para uma discussão aprofundada Haberstumpf, 1995, p. 56-67.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Conrado de Monferrato
Armoiries Montferrat.png
Marquês de Monferrato

1192-1207
Sucedido por
Guilherme VI de Monferrato