Boogie Down Productions

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Boogie Down Productions
Informação geral
Origem Bronx, Nova Iorque, NY
País  Estados Unidos
Gênero(s) Hip Hop
Período em atividade 19861992
Gravadora(s) Jive Records
Afiliação(ões) Stop the Violence Movement
H.E.A.L.
Ex-integrantes Scott La Rock
KRS-One
D-Nice

Boogie Down Productions foi um grupo de hip-hop originalmente formado por KRS-One, D-Nice e DJ Scott La Rock. DJ Scott La Rock foi assassinado em 27 de Agosto de 1987, meses depois do lançamento do disco de estreia Criminal Minded.

O nome do grupo, Boogie Down, deriva de um apelido da região conhecida como South Bronx. Bronx é um dos cinco distritos da cidade de Nova Iorque. O grupo foi pioneiro na fusão do dancehall com o hip-hop e seu disco de estreia Criminal Minded descreve a vida no Bronx no final dos anos 80, preparando assim o cenário para o que viria a ser chamado de gangsta rap. D-Nice descobriu o rapper (que se tornaria cantor de rock) Kid Rock em 1987 e o ajudou a conseguir um contrato com a Jive Records em 1988.

História[editar | editar código-fonte]

Enquanto se acredita que as origens do hip-hop são do Bronx, a letra de "The Bridge" do grupo rival Juice Crew foram mal interpretadas dando a entender que eles reclamavam que o hip-hop foi originado no Queens, mais precisamente em Queensbridge. Boogie Down e KRS responderam furiosamente com canções como The Bridge is Over e South Bronx, que iniciaram uma das mais notáveis "guerras" no hip-hop. MC Shan, Marley Marl, Roxanne Shanté e Blaq Poet lançaram canções cujos versos atacavam KRS e Scott La Rock. A chamada "The Bridge Wars", entretanto, teve curta duração e após a morte de Scott La Rock, KRS-One se concentrou em canções mais conscientes.

Criminal Minded contém vívidas desrições da vida no Bronx, porém o BDP mudou após a morte de Scott. Produtor Lee Smith foi despedido e KRS-One adotou o apelido de "The Teacha" (O Professor) em sua tentativa deliberada de criar um hip-hop mais político e social.

A influência jamaicana presente em Criminal Minded é bem ilustrada pelo uso de riddim especialmente dos riddims "Mad Mad" e "Diseases" iniciados em 1981 com a canção "Zunguzung" da estrela do reggae Yellowman. BDP usou este riff na canção "Remix for P is Free" e mais tarde foi sampleada por artistas como Black Star e dead prez, além de ajudar a reciclar o som jamaicano. Como um álbum aceito por muitos como sendo o início do gangsta rap, Criminal Minded teve um importante papel em reafirmar a aceitação social de ter raízes jamaicanas.[1]

BDP Crew[editar | editar código-fonte]

Os membros do BDP mudaram continuamente durante toda sua existência, e o único presente em todas as formações foi KRS-One. Os membros e colaboradores do BDP incluíam Lee Smith, Mad Lion, Channel Live, Run, McBoo, Ms. Melodie, Scottie Morris, Tony Rahsan, Willie D., RoboCop, Harmony, DJ Red Alert, Jay Kramer, D-Square, Rebekah Foster e Sidney Mills. BDP como grupo essencialmente terminou porque KRS-One começou a gravar e se apresentar solo.

Lee Smith, que foi co-produtor de "South Bronx", foi o primeiro a inexplicavelmente deixar o grupo após a morte de Scott La Rock.

Nas notas do encarte do álbum de 1992 Sex and Violence, KRS-One escreve: "BDP em 1992 é KRS-One, Willie D e Kenny Parker! BDP não é D-Nice, Jamal-ski, Harmony, Ms. Melodie e Scottie Morris. Eles não estão com o BDP então parem de enfrentar". Steve 'Flash' Juon do RapReviews.com alega que esta declaração iniciou o término do grupo.[2]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Detalhes
Criminal Minded
  • Lançamento:1987
  • Billboard 200: -
  • Parada R&B/Hip-Hop: #73
  • Singles: "South Bronx"/"The P Is Free", "Super Hoe"/"Scott LaRock (Megamix)", "Poetry"/"Elementary", "The Bridge Is Over"/"A Word from Our Sponsor"
By All Means Necessary (Ouro)
  • Lançamento:1988
  • Billboard 200: #75
  • Parada R&B/Hip-Hop: #18
  • Singles: "I'm Still #1"/"Essays on BDP-ism"/"Jimmy", "My Philosophy"/"Stop the Violence", "Stop the Violence"/"Jimmy"
Ghetto Music: The Blueprint of Hip Hop (Ouro)
  • Lançamento: 28 de Junho de 1989
  • Billboard 200: #36
  • Parada R&B/Hip-Hop: #7
  • Singles: "Jack of Spades"/"Necessary"/"I'm Still #1", "You Must Learn"/"Jah Rulez"/"World Peace", "Why Is That?"/"Who Protects us From You?"
Edutainment (Ouro)
  • Lançamento: 17 de Julho de 1990
  • Billboard 200: #32
  • Parada R&B/Hip-Hop: #9
  • Singles: "Love's Gonna Get'cha (Material Love)"/"The Kenny Parker Show", "Ya Know the Rules"
Live Hardcore Worldwide
  • Lançamento: 12 de Março de 1991
  • Billboard 200: #115
  • Parada R&B/Hip-Hop: #25
  • Singles:
Sex and Violence
  • Lançamento: 25 de Fevereiro de 1992
  • Billboard 200: #42
  • Parada R&B/Hip-Ho: #20
  • Singles: "Duck Down"/"We in There", "13 N Good"/"Build & Destroy"
Man & His Music (Remixes from Around the World)
  • Lançamento: 23 de Setembro de 1997
  • Compilação
Best of B-Boy Records
  • Lançamento: 8 de Maio de 2001
  • Compilação

Referências

  1. Marshall, Wayne. "Follow Me Now: The Zigzagging Zunguzung Meme", May 10, 2007.
  2. Juon, Steve. "Sex and Violence Review", September 22, 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]