Born to Die

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Born to Die
Álbum de estúdio de Lana Del Rey
Lançamento 27 de janeiro de 2012
Gênero(s) música pop, indie pop, trip hop, indie rock
Duração 49:28
Gravadora(s) Interscope, Polydor, Stranger
Produção Patrik Berger, Jeff Bhasker, Chris Braide, Emile Haynie, Justin Parker, Rick Nowels, Robopop, Al Shux
Cronologia de Lana Del Rey
Último
Último
Lana Del Rey
(2012)
Paradise
(2012)
Próximo
Próximo
Capa da edição The Paradise Edition
Singles de Born to Die
  1. "Video Games"
    Lançamento: 10 de outubro de 2011
  2. "Born to Die"
    Lançamento: 30 de dezembro de 2011
  3. "Blue Jeans"
    Lançamento: 6 de abril de 2012
  4. "Summertime Sadness"
    Lançamento: 22 de junho de 2012
  5. "National Anthem"
    Lançamento: 6 de julho de 2012
  6. "Dark Paradise"
    Lançamento: 1 de março de 2013


Born to Die é o segundo álbum de estúdio da cantora-compositora norte-americana Lana Del Rey, lançado em 30 de janeiro de 2012 pelas gravadoras Interscope Records, Polydor Records e Stranger Records. O primeiro disco foi lançado sob o nome original da cantora, Lizzy Grant. Depois de assinar um contrato com a gravadora Stranger em junho de 2011, a cantora contou com uma boa variedade de produtores para trabalharem em seu álbum, incluindo Justin Parker, Patrik Berger, Jeff Bhasker, Chris Braide, Emile Haynie, Evan Reilly, Rick Nowels, Robopop, Al Shux. Musicalmente, Born to Die é um álbum de música pop que deriva características de tais gêneros musicais como hip hop alternativo, trip hop e indie pop. Del Rey compôs todas as canções, enquanto Parker co-escreveu uma boa parte do trabalho.

A recepção crítica do álbum foi mista, alguns escritores destacaram a voz da cantora como rouca e encantadora. Outros disseram que o álbum tinha muita coisa boa, mas o lançamento aconteceu muito rápido, e eventualmente, talvez tenha prejudicado todas as ideias que ali foram postas. Os críticos também notaram que o estilo Del Rey lembra à música nos anos 50, e que boa parte das letras das canções são sobre 'sonhos americanos' e direcionadas ao 'seu ex-namorado'. Em muitas resenhas referentes ao disco, os escritores questionaram-se sobre a autenticidade da cantora em sua carreira musical. De acordo com o Metacritic, o álbum recebeu mais de 20 críticas por profissionais, obtendo 61 pontos em uma escala que vai até 100.

O álbum teve desempenho moderado nos Estados Unidos, alcançando o segundo lugar na Billboard 200, e a terceira colocação na parada oficial do Canadá, recebendo certificado de disco de ouro e platina, respectivamente. Na Europa, o álbum teve seu maior êxito, sendo certificado em mais de 10 países e foi classificado como platina tripla no Reino Unido. A Federação Internacional da Indústria Fonográfica premiou o álbum com platina dupla no continente, depois de alcançar mais de 2 milhões de cópias comercializadas. O álbum também foi classificado no Brasil como disco de platina pela Associação Brasileira dos Produtores de Discos e como disco de platina na Nova Zelândia pela Recording Industry Association of New Zealand.

O álbum gerou seis singles oficiais e dois promocionais. O primeiro single oficial foi "Video Games", que teve um bom desempenho mundialmente. Foi a primeira canção da cantora a entrar na Billboard Hot 100, conseguindo então certificado de ouro. A música conseguiu ocupar as dez melhores colocações da Áustria, Bélgica, Países Baixos, França, Irlanda, Suíça, e Reino Unido. "Born to Die" e "Blue Jeans" tiveram desempenho moderados, conseguindo aparecer em diversas tabelas musicais de países europeus. "Summertime Sadness" foi lançado como single em 2012 na Europa, e mais tarde no continente norte-americano. "National Anthem" e "Dark Paradise" foram as última faixas promovidas no continente europeu.

Em novembro de de 2012, a cantora liberou o EP Paradise no iTunes, este continha apenas 8 faixas e, mais tarde foi lançado tanto nas lojas físicas como nas digitais como Born to Die - The Paradise Edition. Em setembro de 2013, o álbum Born To Die ultrapassou a marca dos 5 milhões de cópias vendidas mundialmente.[1]

Antecedentes e lançamentos[editar | editar código-fonte]

Britney Spears Greensboro 01.jpg
Thomas Newman.jpg
Bundesarchiv Bild 183-1988-0719-38, Bruce Springsteen, Konzert in der DDR.jpg
Lana Del Rey citou vários artistas como suas influências musicais, tais como Britney Spears (à esquerda), Thomas Newman (centro) e Bruce Springsteen (à direita).

Del Rey já havia lançado um EP intitulado Kill Kill em 2008.[2] Foi o primeiro EP produzido pala própria cantora, este foi lançado sob o nome Lizzy Grant por um selo independente com o produtor David Kahne.[3] Del Rey afirmou que Kahne pediu para trabalhar com ela apenas uns dias e logo depois tiveram a primeira demo gravada. Ele tem conhecimentos de um produtor com muita integridade e tinha interesse em fazer músicas que não eram apenas pop.[4] Seu pai, Robert Grant, ajudou com a comercialização do seu extended play que estava disponível para compra no iTunes Store por um breve período antes de ser retirado por razões desconhecidas.[5] Mais tarde, em junho de 2011, Del Rey assinou contrato com a gravadora Stranger,[6] para lançar seu single de estreia "Video Games"; em outubro de 2011, também fechou contrato com a Interscope Records e Polydor Records.[7] Ferdy Unger-Hamilton presidente da Polydor Records revelou que Del Rey tem mais de 60 canções inéditas e que a mesma já tem o suficiente para três discos com um monte de músicas brilhantes. "Ela é uma compositora realmente talentosa e uma letrista extraordinária", afirmou Hamilton.[8]

Em entrevista com o site Pitchfork Media, a interprete foi perguntada sobre o que tinha aprendido com a música, ela respondeu: "Eu aprendi que não há nenhuma razão pela qual as pessoas decidem que gostam de música quando a fazem. Mesmo se você é o melhor cantor do mundo, há uma boa chance de que ninguém nunca vai ouvi-lo. Você deve tomar a decisão de continuar cantando ou parar. Eu fui cantar em Brooklyn desde que eu tinha 17 anos e ninguém na indústria se importava em ouvir minhas canções. Eu não mudei nada, desde então as coisas parecem estar girando em torno de mim. Talvez os anjos decidiram brilhar em mim por um tempo".[9] . Embora seu trabalho é mais descrito como indie pop, ela afirmou que suas grandes influências musicais são Britney Spears, Thomas Newman e Bruce Springsteen, alegando que ela não faz parte da comunidade indie, logo quando foi lançado o álbum foi descrito como pop-rock.[10] Ao ser entrevistada por Rosie Swash do jornal The Observer, ela revelou: "Comecei a divulgar à música [Video Games] há alguns meses, porque era a minha favorita. Para ser honesta, não iria ser single, mas as pessoas têm realmente entendido a canção. Eu fico muito triste quando a toco, eu ainda choro as vezes quando eu canto".[5] Até então a canção tinha se tornado um hit viral no YouTube e mais tarde foi relatado que a cantora iria lançar seu álbum de estreia em janeiro de 2012.[7] Durante uma entrevista no programa francês TV Taratata, Del Rey revelou que o álbum seria chamado Born to Die. [11] Seu lançamento aconteceu em 27 de janeiro de 2012 na Irlanda,[12] 30 de janeiro no Reino Unido, e em 31 de janeiro no mundo.[13]

Composição[editar | editar código-fonte]

Estilo musical e letra[editar | editar código-fonte]

"Video Games" (2012)
Demonstração de 30 segundos de "Video Games", definida no tempo de 61 batidas por minuto e composta na chave de lá menor.[14] [15]

"Born to Die" (2012)
Demonstração de 30 segundos de "Born to Die", o refrão final da canção lembra as partituras da música do filme Gone with the Wind (1939).[16] [17]

Problemas para escutar estes arquivos? Veja introdução à mídia.

Del Rey, afirmou o uso de sua voz mais baixa sobre as faixas de todo o álbum alegando que as pessoas não estavam a levando muito a sério, então resolveu baixa-la um pouco, acreditando que isso iria ajudar a se destacar. Ainda comentou: "Agora eu canto muito baixo, bem, para uma mulher de qualquer maneira". A cantora também revelou que gosta muito de ler e citou as faixas "Time of the Season" (The Zombies), "Hotel California" (The Eagles) e "Summertime" (de Janis Joplin) como as suas preferidas e fontes de inspiração para o seu trabalho.[18] A cantora também falou a um site alemão sobre a melancolia presente em sua canções: Há sempre uma melancolia em mim [...] Quando eu tinha quatro ou cinco anos, me sentava na escada da porta da casa dos meus pais por um longo tempo e desejava estar em um lugar diferente. Esse sentimento tem me acompanhado a vida inteira. Mas eu não sofro. Eu prefiro dizer que aprendi a me dar bem com a minha tristeza. Mas também houve momentos que eu não estava muito bem. Por sorte, eu superei esses anos sombrios. A memória desses anos inspiram minhas músicas agora.[19]

"Born to Die" é a primeira faixa do álbum: tem 4 minutos e 46 segundos e funciona de forma tranquila com elementos de orquestra e guitarra.[20] [21] Segundo a cantora, a canção é uma "homenagem ao amor verdadeiro e é um tributo para viver a vida no lado selvagem".[17] A segunda canção do alinhamento é "Off to the Races", foi escrita em mi menor com vocais de Del Rey abrangendo até a nota sol de cinco oitavas. "Blue Jeans" foi composta na chave de fá menor e possui um metrônomo de 60 batidas por minuto.[22] A cantora revelou em uma entrevista que a canção foi escrita no chalé de Heath, em Santa Mônica. Também comentou que criou a letra na hora, enquanto tocavam uma progressão de acordes que acabou se tornando o refrão assombroso da música.[23] Liricamente, o tema fala sobre um relacionamento complicado, que resulta em perdas.[24] [25] "Video Games" tem a duração de quatro minutos e quarenta e dois segundos. Ela é definida em compasso de tempo comum com um ritmo de 61 batimentos por minuto. O alcance vocal da cantora se estende a partir da nota fá menor para a lá sustenido menor.[26] A inspiração para a composição partiu de seu namorado, Del Rey afirmou que o "relacionamento era perfeito. Mas achava que com a felicidade também vem a tristeza [...] eu ia trabalhar e ele jogava os seus videogames".[4] "Diet Montain Dew" tem sua melodia feita através de piano e guitarra. Com duração de 3 minutos e 43 segundos, a faixa foi composta na chave de sol menor.[27]

"National Anthem" funciona de forma tranquila com elementos de guitarra, teclado e baixas batidas de tambor. A canção possui um metrônomo de 85 batidas por minuto e foi composta na chave de mi bemol maior.[28] "Dark Paradise" deriva-se dos gêneros musicais pop rock e indie pop e tem duração de 4 minutos e 3 segundos.[29] A música recebeu diversos elogios pela crítica especializada, descrevendo-a como "excelente", "escura", "adorável" e um pouco "brega".[30] [31] "Radio" foi descrita como indie pop, tem duração máxima de 3 minutos e 34 segundo. Sue letra envolve temas como "fama" e amor a um "homem". A canção foi sobreposta a melodias de piano e cordas com os vocais da cantora abrangendo até a nota mais alta ré maior.[32] "Carmen" fala sobre um conto sombrio de uma menina bonita e um pouco anormal que sofre com alucinações e delírios. Foi composta na chave de dó sustenido menor.[33] "Million Dollar Man" é a décima faixa do álbum, tem duração de 3 minutos e 51 segundos. "Summertime Sadness" tem um metrônomo de 125 batidas por minuto,[34] tematicamente, retrata que "as alegrias do amor carregam uma bagagem de sofrimento nas costas" e fala "sobre o seu medo de perder a pessoa amada, quando ela canta no verso: 'Beije-me forte antes que você se vá'".[35] [36] "This Is What Makes Us Girls" é a faixa que encerra o álbum, tem duração de 3 minutos e 58 segundos. Os vocais de Del Rey vão desde a nota mais baixa mi de três oitavas até a mais alta de cinco oitavas.[37]

Divulgação[editar | editar código-fonte]

Lana Del Rey promovendo o álbum Born to Die em Seattle, 2012.

A primeira apresentação oficial de divulgação de Born to Die ocorreu antes mesmo do seu lançamento, quando Del Rey interpretou "Video Games" na MTV Push. Mais tarde o vídeo da performance foi enviado para sua conta no VEVO titulado como 'Video Games (Live At The Premises)'. A cantora também se apresentou no Bowery Ballroom, Matthew Perpetua da revista Rolling Stone, comentou que apesar dela estar nervosa e ansiosa, cantava o seu primeiro single ao vivo "com uma confiança considerável".[38] Ela também participou de diversos festivais em diversas países, como no Festival da Ilha de Wight na Inglaterra, no Sónar em Barcelona, no Super Bock Super Rock em Portugal e em diversos outros. A cantora também se apresentou no American Idol.[39] Em 14 de janeiro de 2012, Del Rey cantou "Video Games" e "Blue Jeans" no programa de televisão Saturday Night Live. A interprete recebeu muitas críticas negativas por ela estar nervosa e por sua desafinação.[40] A atriz Juliette Lewis postou em seu twitter: "Uau, ver essa "cantora" no Saturday Night Live é como assistir uma criança de doze anos fingindo cantar e dançar no quarto",[41] ao passo que no dia seguinte, Lewis escreveu novamente na rede social: "Acordei cantando à música da Lana Del Rey! Que melodia incrível e assombrosa! Apesar do meu gosto sobre ela ao vivo, ela é uma ótima nova compositora. Fim."[42] O redator da NBC, Brian Williams, afirmou que a apresentação de Del Rey foi a pior performance de toda a história do programa.[43] O ator Daniel Radcliffe, que estava apresentando o programa no dia da apresentação de Del Rey, afirmou que as críticas eram menos sobre sua apresentação no programa, e mais sobre o seu passado e sua família."[44]

A cantora também deu várias entrevistas para jornais e revistas, tais como The Quietus, The Observer e Pitchfork Media, onde ela comentou que criou seus próprios vídeos de música para várias faixas como "Blue Jeans" e "Off to the Races".[5] [9] [4] No dia 22 de março de 2012, ela atuou mais uma vez a canção "Video Games" no ECHO Awards, considerada a maior premiação musical da Alemanha.[45] Até então planejavam uma turnê para a cantora, que após as críticas negativas que recebeu na sua apresentação no SNL, surgiram boatos que seria cancelada. Logo o empresário da interprete desmentiu, afirmando que: "Nunca anunciamos nenhuma turnê na primavera, nem que cancelaríamos a turnê".[46] A turnê começou em 14 de setembro de 2011, quando ela se apresentou no Glasslands Gallery nos Estados Unidos. A Born to Die Tour percorreu por alguns países da América do Norte, Europa e Oceania.[47]

Singles[editar | editar código-fonte]

"Video Games" foi a primeira canção do álbum divulgada como um dos singles. O seu lançamento ocorreu no dia 29 de julho de 2011.[48] Inicialmente foi recusada pela gravadora por não ter potencial radiofônico, mas o compacto teve um desempenho comercial favorável, atingindo a primeira posição na Alemanha, e se posicionando entre as dez primeiras posições na Áustria, Bélgica, Países Baixos, França, Irlanda, Suíça, e Reino Unido.[49] [50] Nos Estados Unidos a canção conseguiu a posição de número 91, passando apenas uma semana na parada. Em 2013, a faixa ganhou certificado de disco de ouro pela Recording Industry Association of America (RIAA) por mais de 500 mil cópias comercializadas,[51] foi premiada também como sendo disco de ouro por três vezes na Alemanha, totalizando 450 mil exemplares.[52] Na Áustria e na Austrália ganhou certificado de ouro da IFPI Áustria e Australian Recording Industry Association, após vender 30 e 35 mil cópias, respectivamente.[53] [54] No Reino Unido o single teve mais de 400 mil downloads pagos e foi classificado como disco de ouro.[55] Na Dinamarca, conseguiu se classificado como disco de ouro por mais de 10 mil exemplares.[56] Já na Suíça, conseguiu disco de platina dupla após alcançar a marca de 60 mil cópias distribuídas no país.[57] A faixa-título, "Born to Die", foi a segunda faixa escolhida. Seu lançamento aconteceu em 30 de dezembro de 2011, quando foi disponibilizada para download digital mundialmente.[58] A canção conseguiu desempenhar-se na nona colocação na UK Singles Chart, mais tarde ganhou certificado de prata por mais de 200 mil cópias vendidas no país.[55] [59] No gráfico da Dinamarca publicado pela Tracklisten, o compacto chegou a 7ª colocação e também ganhou certificado de ouro.[56] [60] Na Itália conseguiu a posição de número 15 e foi classificada como disco de ouro por mais de 15 mil cópias comercializadas.[61] [62] Na Austrália, a canção conseguiu o mesmo feito do seu primeiro single ganhando certificação de ouro.[54] A canção conquistou a décima colocação na Escócia, na Bélgica, Áustria e ainda apareceu em diversas outras paradas musicais de diversos países.[63]

A terceira canção que foi escolhida para ser lançada como single foi "Blue Jeans". Seu lançamento ocorreu em abril de 2011 nas lojas digitais iTunes e Amazon.com. A canção teve três videoclipes e ainda recebeu um remistura com Azealia Banks.[64] A música teve uma desempenho moderado, alcançando a décima terceira posição na parada oficial da Austrália. Na Bélgica, a canção apareceu nas paradas das regiões Flanders e Valônia na 6ª e 4ª colocações, respectivamente.[65] Na França e na Suíça conquistou respectivamente as posições 16 e 39.[66] Em Israel o compacto assinalou a décima posição.[67] No Reino Unido, o desempenho foi moderado, conquistando até então o 32º lugar.[59] "Summertime Sadness" foi colocada para compra no iTunes no dia 22 de junho de 2013.[68] Mais tarde foi lançada em outros formatos e, só no dia 2 de julho de 2013 foi lançada nas rádios norte-americanas.[69] Em 2012, a música esteve entre as dez melhores posições nas paradas de diversos países e liderou a da Polônia.[70] Em 2013, a canção conseguiu a décima sexta colocação na Billboard Hot 100.[71] Seu maior pico nessa parada até a data era "Young and Beautiful" na vigésima segunda posição. Ainda em 2013, conseguiu ser top 10 nas parada do Reino Unido, Grécia, Irlanda e outros.[72] [73] [59]

"National Anthem" foi promovida como o quinto single do álbum, e recebeu como apoio um videoclipe muito polêmico dirigido por Anthony Mandler.[74] Nele, Lana Del Rey e A$AP Rocky retrataram o romance e a vida de Jacqueline Kennedy Onassis e o presidente norte-americano John F. Kennedy.[75] O vídeo recebeu duas nomeações ao UK Music Video Awards, e uma nomeação ao Video Music Awards.[76] [77] A canção teve um baixo desempenho, chegando a quadragésima posição na Bélgica.[78] A faixa também apareceu na trigésima terceira colocação na Billboard Rock Songs.[79] Já na França, o single conseguiu apenas o número 152, e na parada britânica no número 92.[80] [59] A última faixa de trabalho extraída de Born to Die foi "Dark Paradise", a qual recebeu comparações com o estilo Madonna nos anos 80.[81] A cantora havia dito em uma entrevista que tinha gravado um vídeo para a canção, e que até hoje não foi lançado.[82] Seu lançamento ocorreu no dia 1 de março de 2013, apenas na Áustria, Alemanha e Suíça.[83] Neles a canção assinalou a 43ª, 45ª e 48ª colocação, respectivamente.[84] [85] [86] O compacto também apareceu na quinta posição na parada da Polônia.[87]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
Metacritic 61/100
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic[88] 2.5 de 5 estrelas.Star full.svgStar half.svgStar empty.svgStar empty.svg
The Guardian[89] 3.0 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svg
NME[90] 8.0 de 10 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svg
Rolling Stone[91] 3.0 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svg
Slant Magazine[92] 4.0 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svg
Entertainment Weekly[31] (C+)
Sputnikmusic[93] 3.0 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svg
The Fly[94] 4.0 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svg
PopMatters[95] 4.0 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svg

Born to Die foi muito bem recebido pela crítica contemporânea após seu lançamento. No agregador de resenhas Metacritic, que estabelece uma média de até 100 pontos com base nas avaliações dos críticos musicais, o álbum obteve 61 pontos de aprovação, que foram baseados em 20 resenhas recolhidas e indicaram "críticas geralmente mistas". John Bush do portal AllMusic, deu ao álbum a média duas estrelas e meio entre cinco e comentou: "Lana é uma mulher fatal com uma voz rouca, uma imagem abatida e com um contrato de modelo. A campanha publicitária começou em meados de 2011, com o vídeo impressionante da canção "Video Games", e continuou crescendo até o seu desempenho no Saturday Night Live (fazendo dela a primeira artista desde Natalie Imbruglia em 1998, a executar no SNL um álbum ainda indisponível). Bush notou que é fácil ver também as habilidades da cantora para compôr suas músicas, a voz dela é encantadora. Terminou sua resenha afirmando que "Video Games" é uma bela canção, recordando Fiona Apple e Anna Calvi.[88] Kitty Empire do The Guardian notou que o álbum tem um significado de tristeza, algo do tipo para "homens maus". Se Del Rey é selvagem no coração, ela é apenas estranha o suficiente na parte superior para permanecer atraente. O som aqui é periodicamente fascinante, carregados de cordas que lembram os anos 50s reforçado por valores de produção de hip hop, cortesia de Emile Haynie. Empire classificou o álbum com três estrelas em uma escala de até cinco.[89]

Rob Sheffield da revista Rolling Stone comentou que "pelo menos ela não parou e não chorou no Saturday Night Live. Ela é uma estrela para blogueiros de música [...] Mas para o resto de nós, ela é apenas uma cantora aspirante e outra das muitas que não estavam preparadas para lançar um álbum ainda. Sua força é a letra, que têm a perversidade pop-trash que a música não tem. O grande tema: "a feminilidade como uma farsa". As letras sobre os perigos da sedução funcionam melhor quando ligadas à melodias sedutoras. No caso de você perder o conceito, "Without You" soletra: É tudo sobre "o lado negro do sonho americano". Mas os sonhos americanos são tentadores, é por isso que eles são perigosos. Infelizmente, este não é. Sheffield encerrou a resenha premiando o álbum com duas estrelas de cinco.[91] Sal Cinquemani da Slant Magazine começou sua resenha comentando que estava inicialmente intrigado com as acusações de falta de autenticidade que foram lançados com tanta veemência e freqüência em Lana Del Rey, e se questionou: "Mas desde quando exatamente ter "autenticidade" nunca foi um critério na música pop?" Empilhada com os singles "Video Games", "Blue Jeans", e a faixa-título, no primeiro semestre de Del Rey Born to Die Alone praticamente garante-lhe um lugar entre os melhores do ano, e é somente de janeiro. Cinquemani deixou claro que com os primeiros singles do álbum, Lana Del Rey e Born to Die estarão entre os melhores do ano. Ele deu ao álbum quatro estrelas de cinco.[92]

Kyle Anderson da revista Entertainment Weekly, comentou que: "Lana é um negócio real, ou o resultado de uma tentativa equivocada de construir uma mulher fatal perfeita de jaqueta de couro e peruca da Nicki Minaj? Muitos tabloides de mau gosto estão do lado, ela libera algumas músicas realmente de nível A. Mas seus fracassos desconcertantes deixam morrer a um mediano enlouquecedor C+". Anderson encerrou sua crítica classificando "Dark Paradise" e "Video Games" como as melhores faixas do álbum.[31] Channing Freeman da revista revista Stupnik afirmou gostar de Lana antes mesmo dela ter explodido com "Video Games", notando que no contexto de Born To Die a canção é lamentavelmente fora do lugar. Não há nada parecido com isso no álbum, ela fca imprensada entre os zelos excessivos de "Blue Jeans" e da terrível "Diet Mountain Diew". Freeman ainda disse que o álbum parece apressado - cheio de boas ideias que não tiveram tempo suficiente para florescer [...] assim como ela mesma.[93] Billy Hepfinger do site PopMatters disse que Born to Die é uma meditação profunda, excessivas falhas no amor, imagem e fama no século XXI, e uma coleção de ideias lançadas contra a parede para ver o que adere. Encerrou a resenha dando ao álbum quatro pontos em dez de aprovação.[95]

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

O jornal The Guardian classificou o Born to Die como o 17º melhor disco de 2012; na nota, comentarem que até então "Video Games" soava como um single único, mas depois todos veem que o álbum está repleto de coisas semelhantes e bonitas.[96] A revista NME também inclui o álbum na sua lista de 50 melhores álbuns de 2012; o álbum ocupou a posição 45.[97] No final de 2012, a revista britânica Uncut divulgou uma lista onde elegia os 75 melhores álbuns daquele ano, na lista o álbum apareceu na 51ª colocação.[98] A revista Gigwise indicou a lista dos "50 Melhores Álbuns do Ano" e o disco ficou posicionado no quadragésimo segundo álbum. Em nota, escreveram: Este álbum contém algumas das canções pop mais bem entregues do ano. Certamente uma das vozes mais distintas de 2012, vocais lindos da Del Rey rende este registro com perfeição sem esforços. A produção do álbum parece ter sido marcado para baixo em um movimento inspirado para deixar a voz de Del Rey levá-la em viagem emocional que ele retrata. Faixa destacada: "National Anthem".[99] A capa do álbum também foi classificada como uma das melhores dos últimos cinco anos pela revista britânica Complex em 2013. A arte ocupou a 8ª posição, ficanda atrás de artistas como Lady Gaga e Björk.[100] David Edwards da revista Drowned in Sound também classificou-o na lista dos "50 Álbuns Favoritos de 2012", onde ocupou o número 40.[101]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Versão padrão
N.º Título Compositor(es) Produtor(es) Duração
1. "Born to Die"   Elizabeth Grant, Justin Parker Parker, Robopop 4:45
2. "Off to the Races"   Grant, Emile Haynie, Dan Heath Beger, Emile 5:04
3. "Blue Jeans"   Grant, Emile Haynie, Dan Heath Emile 3:30
4. "Video Games"   Grant, Parker Parker, Robopop 4:42
5. "Diet Mountain Dew"   Grant, Mike Daly   3:43
6. "National Anthem"   Grant, David Sneddon, James Bauer-Mein Haynie, Jeff Bhasker 3:51
7. "Dark Paradise"   Grant, Noewls Haynie 4:03
8. "Radio"   Justin Parker, Lana del Rey Grant, Parker 3:35
9. "Carmen"   Grant, Parker Haynie, Bhasker 4:09
10. "Million Dollar Man"   Grant, Chris Braide Emile, Braide 3:50
11. "Summertime Sadness"   Grant, Nowels, Kieran De Jour Haynie, Nowels 4:25
12. "This Is What Makes Us Girls"   Grant, Jim Irvin, Larcombe   3:58
Duração total:
49:26

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Born to Die obteve êxito comercial em várias regiões do mundo, em especial na América do Norte e Europa. Ele teve no primeiro dia um total de 50.007 downloads digitas, e no fim da semana um total de 116,745 cópias.[105] O álbum tornou-se o quinto da história de do Reino Unido a vender mais que 50 mil cópias digitalmente, ficando atrás de artistas como Coldplay com o álbum Mylo Xyloto, de Adele com o 21 e Lady Gaga com o Born This Way.[106] Ele permaneceu no topo em sua segunda semana, e vendeu um adicional de 60 mil cópias.[107] Na Escócia, atingiu a primeira posição na Scottish Albums Charts.[108] Na França, o álbum fez sua estreia na primeira posição após vender 48.791 cópias, sendo 16.968 em lojas digitais.[109] Na semana seguinte ele alcançou 23.888 cópias vendidas somando todos os formatos, continuando então na mesma colocação de sua estreia.[110] Em fevereiro de 2013, a obra já havia vendido mais de 365.000 cópias na França, sendo até o momento certificado como disco de platina tripla pela Syndicat National de l'Édition Phonographique (SNEP).[111] Na Itália, o álbum estreou na quinta posição. Uma semana depois, caiu para o número nove.[112] O álbum tem sido classificado como disco de ouro e, já vendeu mais de 30 mil cópias no país.[113]

A obra estreou na Dinamarca na 3ª colocação,[114] e mais tarde conseguiu superar 30 mil cópias no país, ganhando da IFPI Dinamarca o certificado de disco de ouro.[115] O álbum conseguiu o mesmo certificado em Portugal pela Associação Fonográfica Portuguesa, após ter mais de 20 mil cópias comercializadas na região.[116] Na Rússia o álbum foi o quinto mais vendido de 2012, e fez com que a interprete torna-se a terceira artista internacional daquele ano que mais vendeu no país, ficando atrás de Adele e Madonna.[117] Na Alemanha, o álbum foi o quarto mais vendido depois de alcançar 500 mil cópias vendidas.[118] O álbum foi ainda foi classificado como disco de ouro na Áustria e disco de platina na Bélgica.[119] [120] Na região sueca, vendeu mais de 60 mil cópias distribuídas e ganhou foi disco de platina dupla pela IFPI Schweiz.[121] O álbum vendeu mais de 100 mil cópias na Polônia, em 2012 ganhou certificado de diamante pela Związek Producentów Audio Video.[122] O álbum então ocupou a terceira posição na parada de fim de ano do país.[123] Devido ao grande êxito do álbum na Europa, o trabalho da cantora ganhou certificado de dupla platina pela Federação Internacional da Indústria Fonográfica por conseguir vender mais de 2 milhões de cópias no continente.[124]

Na Irlanda, foi classificado como platina dupla após superar 30 mil cópias vendidas. Nos Estados Unidos, o álbum vendeu aproximadamente 77 mil cópias em sua primeira semana, estreando na segunda posição da parada norte-americana de discos mais vendidos, Billboard 200.[125] De acordo com a Nielsen SoundScan, a obra já vendeu mais de 500 mil cópias e foi certificado pela Recording Industry Association of America como disco de ouro.[126] No Canadá, o disco ocupou a terceira colocação em sua semana de estreia na parada Canadian Albums Chart,[127] e mais tarde recebeu certificado de platina pela Music Canada.[128] Já no Brasil, o álbum ganhou certificado de ouro pela Associação Brasileira dos Produtores de Discos.[129] O disco também estreou no topo das paradas australianas, como na ARIA Charts Albums,[130] sendo certificado como disco de platina naquele país pela Australian Recording Industry Association (ARIA).[120] O álbum ocupou a segunda colocação na New Zealand Albums Chart na semana de estreia.[131] Em 29 de outubro de 2012, recebeu certificado de platina pela Recording Industry Association of New Zealand.[132] Born to Die foi o quinto álbum mais vendido de 2012, chegando a marca de 3,4 milhões de cópias em todo o mundo de acordo com a IFPI.[133]

Certificações[editar | editar código-fonte]

País Certificadora Certificações Vendas
 Alemanha BVMI 600.000+
 Áustria IFPI-A 40.000+
 Austrália ARIA 210.000+*
 Bélgica BEA 30.000+
 Brasil ABPD 40.000+
 Canadá Music Canada 160.000+
 Dinamarca IFPI-D 20.000+
 Estados Unidos RIAA 1.000.000+
 França SNEP 500.000+
 Irlanda IRMA 30.000+
 Itália FIMI 60.000+
 México AMPROFON 60.000+
 Nova Zelândia RIANZ 15.000+
 Noruega IFPI Norway 15.000+
 Polónia ZPAV 160.000+*
 Portugal AFP 40.000+
 Reino Unido BPI 900.000+
 Rússia NFPF 10.000+
 Suécia IFPI Suécia 80.000+
Suíça IFPI-S 60.000+
União Europeia IFPI 2.000.000+

(*) As vendas das duas edições do álbum estão juntas. Apenas as vendas do EP Paradise que foi lançado para antecipar o relançamento Born to Die - The Paradise Edition são contadas separadamente.

Créditos[editar | editar código-fonte]

Todo o processo de elaboração, gravação e produção do álbum Born to Die atribuem os seguintes créditos.[179]

Processão e sucessão[editar | editar código-fonte]

Gráficos de sucessão
Precedido por
Torches por Foster The People[180]
Álbuns número um na Austrália ARIA Albums Chart
12 de fevereiro de 2011 – 26 de fevereiro de 2011[130]
Sucedido por
21 por Adele[181]
Precedido por
Old Ideas por Leonard Cohen[182]
Álbuns número um na Bélgica Belgian Albums Chart
11 de fevereiro de 2011 – 18 de fevereiro de 2011[136]
Sucedido por
Old Ideas por Leonar Cohen[183]
Precedido por
21 por Adele[184]
Álbuns número um na Escócia Scottish Albums Chart
11 de fevereiro de 2011 – 18 de fevereiro de 2011[108]
Sucedido por
21 por Adele[185]
Precedido por
21 por Adele[186]
Álbuns número um na França French Albums Chart
4 de fevereiro de 2011 – 18 de fevereiro de 2011[139]
Sucedido por
21 por Adele[187]
Precedido por
21 por Adele[188]
Álbuns número um na República da Irlanda Irish Albums Chart
2 de fevereiro de 2011 – 23 de fevereiro de 2011[142]
Sucedido por
The Ultimate Collection por Whitney Houston[189]
Precedido por
+ por Ed Sheeran[190]
Álbuns número um na Reino Unido UK Albums Chart[150]
11 de fevereiro de 2012 – 25 de fevereiro de 2012[108]
Sucedido por
Our Version Of Events por Emeli Sandé[191]
Precedido por
21 por Adele[152]
Álbuns número um na Suíça Swiss Albums Chart
4 de fevereiro de 2011 – 18 de fevereiro de 2011[152]
Sucedido por
Danke für's Zuhören por Xavier Naidoo[152]

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

País Data Formato
 Alemanha 27 de janeiro de 2012 CD,[192] download digital, LP[193]
 Irlanda CD, download digital[194]
 França 30 de janeiro de 2012 CD,[195] download digital[196]
 Reino Unido CD,[197] digital download,[198] LP[199]
 Estados Unidos 31 de janeiro de 2012 CD,[200] download digital[201]
 Austrália 3 de fevereiro de 2012 CD[202]
 Japão 8 de fevereiro de 2012 CD, CD+DVD, download digital[143]
 Estados Unidos 21 de fevereiro de 2012 LP[203]

Notas

Referências

  1. Lana Del Rey Breaks Into The Top 10. bizjournals.com. Página visitada em 15 de setembro de 2013.
  2. Jessica Collier,: Interview: Lizzy Grant aka. Lana Del Rey releases EP. adirondack daily enterprise.com. Página visitada em 28 de janeiro de 2010.
  3. Lizzy Grant aka. Lana Del Rey releases album. Página visitada em 27 de outubro de 2011.
  4. a b c Original Sin: An Interview With Lana Del Rey. The Quietus. Página visitada em 04 de outubro de 2011.
  5. a b c Swash, Rosie. One to watch: Lana Del Rey. Guardian News and Media. Página visitada em 04 de setembro 2011.
  6. Lana Del Rey signs to Stranger!. Stranger Records. Página visitada em 30 de junho de 2011.
  7. a b Halperin, Shirley. Lana Del Rey to Release Interscope Debut January 2012. Billboard. Prometheus Global Media. Página visitada em 05 de dezembro de 2011.
  8. Segundo gravadora, Lana Del Rey possuía mais de 60 músicas inéditas quando assinou contrato. Página visitada em 21 de março de 2012.
  9. a b Rising: Lana Del Rey. Pitchfork Media (30 de agosto de 2011). Página visitada em 31 de dezembro de 2011.
  10. Michelson, Noah (8 de agosto de 2011). Look: Lana Del Rey's "Video Games". Out Magazine. Joe Landry. Página visitada em 22 de dezembro de 2011.
  11. Millar, Paul. Lana Del Rey names debut album 'Born to Die'. Digital Spy. Hachette Filipacchi Médias. Página visitada em 31 de dezembro de 2011.
  12. Born to Die by Lana Del Rey. iTunes Store. Página visitada em 31 de dezembro de 2011.
  13. Phillips, Amy. New Lana Del Rey: "Born to Die". Pitchfork Media. Página visitada em 31 de dezembro de 2011.
  14. The best song of 2011? It had to be by Lana Del Rey. Petridis Alexis. Guardian News and Media (19 de dezembro de 2011). Página visitada em 20 de dezembro de 2011.
  15. Playlist: 10 tracks you need to hear. Copsey Robert e Corner Lewis. Digital Spy (9 de maio de 2011). Página visitada em 20 de dezembro de 2011.
  16. Lana Del Rey – 'Born To Die'. NME (6 de dezembro 2011). Página visitada em 22 de dezembro 2011.
  17. a b Lana Del Rey: "Born To Die". Prefix Mag (2 de dezembro de 2011). Página visitada em 26 de agosto de 2012.
  18. "É estranho quando decidem não gostar de você", desabafa Lana Del Rey". Virgula - Uol. Página visitada em 20 de junho de 2012.
  19. Von Dallach, Christoph. Himmel ist ein tolles Wort. Spiergel.de. Página visitada em 22 de agosto de 2013.
  20. Thiago Melo. Lana Del Rey – Born To Die. Página visitada em 25 de agosto de 2012. Cópia arquivada em 5 de março de 2013.
  21. Alex Alves (08 de dezembro de 2011). Termômetro: Lana Del Rey – Born To Die. Popline. Página visitada em 25 de agosto de 2012.
  22. Blue Jeans - Lana Del Rey Digital Sheet Music. musicnotes.com. Página visitada em 29 de agosto de 2012.
  23. Jeanne Detallante. Lana Del Rey x Blood Orange. nowness.com. Página visitada em 17 de fevereiro de 2012. Cópia arquivada em 15 de março de 2013.
  24. Sarah Deen. Lana Del Rey v Taylor Swift: Music Video Fight Club. Metro. Página visitada em 15 de fevereiro de 2013.
  25. Lana Del Rey Releases Controversial Single Art; 'American Idol' Performance Confirmed. Hollywood Reporter. Página visitada em 17 de setembro de 2012.
  26. Video Games - Lana Del Rey Digital Sheet Music. musicnotes.com. Página visitada em 22 de agosto de 2013.
  27. Diet Mountain Diew - Lana Del Rey Digital Sheet Music. musicnotes.com. Página visitada em 22 de agosto de 2013.
  28. Lana Del Rey - National Anthem (em inglês). Music Notes. Página visitada em 28 de junho de 2012. Cópia arquivada em 15 de março de 2013.
  29. Dark Paradise - Lana Del Rey Digital Sheet Music. musicnotes.com. Página visitada em 22 de agosto de 2013.
  30. Lana Del Rey - Born to Die. Sputnikmusic. Página visitada em 30 de abril de 2013.
  31. a b c Born To Die review - Lana Del Rey. Entertainment Weekly. Página visitada em 28 de fevereiro de 2012.
  32. Radio - Lana Del Rey Digital Sheet Music. musicnotes.com. Página visitada em 22 de agosto de 2013.
  33. Carmen - Justin Parker Digital Sheet Music. musicnotes.com. Página visitada em 28 de maio de 2013.
  34. Summertime Sadness - Lana Del Rey Digital Sheet Music. musicnotes.com. Página visitada em 29 de agosto de 2012.
  35. Summertime Sadness by Lana Del Rey. SongFacts. Página visitada em 27 de dezembro de 2012.
  36. LANA DEL REY VIVE ROMANCE GAY EM “SUMMERTIME SADNESS”. MTV. Teco Apple.
  37. This Is What Makes Us Girls - Lana Del Rey Digital Sheet Music. musicnotes.com. Página visitada em 22 de agosto de 2013.
  38. Perpetua, Matthew (Rolling Stone. Jann Wenner.). "Lana Del Rey Tries to Live Up to Her Glamorous Image at New York Show" (em inglês). 6 de dezembro de 2011. Página visitada em 8 de abril de 2012.
  39. Sophie Schillaci. Lana Del Rey Hits 'American Idol' Stage to Perform 'Video Games' (Video). Hollywood Reporte. Página visitada em 22 de agosto de 2013.
  40. Lana Del Rey adia início da turnê após fiasco na TV, diz jornal. folha.com (7 de fevereiro de 2012). Página visitada em 9 de abril de 2012.
  41. Juliette Lewis alfineta Lana Del Rey e a compara a uma criança. Terra Networks. (15 de janeiro de 2012). Página visitada em 9 de abril de 2012.
  42. Depois de criticar, Juliette Lewis elogia Lana Del Rey. MTV Brasil (17 de janeiro de 2012). Página visitada em 9 de abril de 2012.
  43. Daulerio, A.J... "Brian Williams Says Gawker Should Have Torched Lana Del Rey: 'One Of The Worst Outings In SNL History'. Gawker. Gawker Media.. Página visitada em 9 de abril de 2012.
  44. "Lana Del Rey's 'SNL' Set Defended By Andy Samberg" (em inglês) (20 de janeiro de 2012). Página visitada em 9 de abril de 2012.
  45. Lana Del Rey Brings "Video Games" to the 2012 Echo Awards. Gossip Center (22 de março de 2012). Página visitada em 24 de março de 2012.
  46. TURNÊ DE LANA DEL REY NÃO FOI CANCELADA. MTV. Página visitada em 22 de agosto de 2013.
  47. "Lana Del Rey Tour Setlist". setlist.fm. Página visitada em 18 de junho de 2012.
  48. iTunes — Video Games — EP by Lana Del Rey. iTunes Store (US). Apple Inc. Página visitada em 15 de dezembro de 2011.
  49. "Ultratop.be – Lana Del Rey – Video Games" (em francês). Ultratop 40. Ultratop & Hung Medien / hitparade.ch. Página visitada em 23 de agosto de 2013.
  50. One to watch: Lana Del Rey. Guardian News and Media The Observer (4 de setembro 2011). Página visitada em 20 de dezembro 2011.
  51. - Gold & Platin Título não preenchido, favor adicionar. RIAA (9 de maio de 2013). Página visitada em 9 de maio de 2013.
  52. Gold-/Platin-Datenbank (em German). BVMI. Página visitada em 2 DE MARÇO 2012.
  53. Gold & Platin. IFPI Áustria. Página visitada em 23 de agosto de 2013.
  54. a b ARIA Top 50 (em inglês). Australian Recording Industry Association Ltd. Página visitada em 02-03-2012.
  55. a b Certifications of British Phonographic Industry. BPI. Página visitada em 20 de julho de 2013.
  56. a b Gold & Platin. IFPI Áustria (02 de fevereiro de 2012). Página visitada em 7 de janeiro de 2012.
  57. "The Official Swiss Charts and Music Community: Awards (Lana Del Rey; 'Video Games')". Hung Medien.. Página visitada em 20 de julho de 2013.
  58. Born to Die - single. iTunes (iTunes Store (Brasil), Apple, Inc.). Página visitada em 23 de agosto de 2012.
  59. a b c d Official UK Singles Top 100 - 12th May 2012. The Oficial Charts. Página visitada em 8 de maio de 2012.
  60. "Danishcharts.com – Lana Del Rey – Born To Die". Tracklisten. Hung Medien.. Página visitada em 08 de abril de 2012.
  61. "Italiancharts.com – Lana Del Rey – Born To Die". Top Digital Download. Hung Medien.. Página visitada em 08 de abril de 2012.
  62. CERTIFICAZIONE Singoli Digitali dalla settimana 1 del 2009 alla settimana 24 del 2012. fimi.it. Página visitada em 23 de agosto de 2012.
  63. "Ultratop.be – Lana Del Rey – Born To Die" (em francês). Ultratop 40. Ultratop & Hung Medien / hitparade.ch.. Página visitada em 08 de abril de 2012.
  64. Remix de vocalista do Foster The People justa Lana Del Rey e Azealia Banks em 'Blue Jeans'. Multishow. Página visitada em 17 de dezembro de 2012. Cópia arquivada em 15 de março de 2013.
  65. CHARTS BELGIQUE FRANCOPHONE. Página visitada em 25 de abril de 2012.
  66. Lana Del Rey - Blue Jeans. acharts.us. Página visitada em 15 de setembro de 2012.
  67. Top 10 International. Media Forest. Página visitada em 10 de dezembro de 2012.
  68. Summertime Sadness on itunes. itunes.apple.com. Página visitada em 24 de junho de 2012.
  69. Top 40/Mainstream > Future Releases. allaccess.com. Página visitada em 22 de junho de 2013.
  70. Top 5 airplay. zpav.pl. Página visitada em 23 de janeiro de 2012.
  71. July 27, 2013 - The Hot 100. Billboard. Página visitada em 18 de julho de 2013.
  72. Greece Digital Songs - July 6, 2013. Billboard. Página visitada em 26 de maio de 2013.
  73. TOP 100 SINGLES, WEEK ENDING 8 August 2013. GFK Chart Track. Página visitada em 8 de agosto de 2013.
  74. Makarechi, Kia (27 de junho de 2012). Lana Del Rey 'National Anthem' Video: Singer Is The Jackie O To A$AP Rocky's JFK (em inglês). The Huffington Post. Página visitada em 27 de junho de 2012. Cópia arquivada em 15 de março de 2013.
  75. McDermott, Tyler K. (27 de junho de 2012). Lana Del Rey's 'National Anthem' Video: A$AP Rocky is JFK (em inglês). Billboard. Página visitada em 28 de junho de 2012.
  76. 2012 UK MVA Nominations. ukmva.com. Página visitada em 23 de agosto de 2013.
  77. Best Art Direction 2013 Video Music Awards. MTV. Página visitada em 23 de agosto de 2013.
  78. "Ultratop.be – Lana Del Rey – National Anthem" (em alemão). Ultratop 50. Ultratop & Hung Medien / hitparade.ch. Página visitada em 26 de agosto de 2012.
  79. Charts History - Lana Del Rey. Billboard. Página visitada em 22 de novembro de 2012.
  80. "Lescharts.com – Lana Del Rey – National Anthem" (em francês). Les classement single. Hung Medien. Página visitada em 9 de abril de 2012.
  81. OutBrain (25 de janeiro de 2012). Lana Del Rey's 'Born To Die': Track-By-Track Review. Billboard. Prometheus Global Media. Página visitada em 15 de outubro de 2013. Cópia arquivada em 25 de abril de 2013.
  82. Corner, Lewis. Lana Del Rey confirms new single 'Cola' - listen. Digital Spy. Hearst Magazines. Página visitada em 14 de novembro de 2012. Cópia arquivada em 25 de abril de 2013.
  83. Lana Del Rey choisit "Dark Paradise" comme nouvel extrait de l'album "Born to Die". Página visitada em 20 de abril de 2013. Cópia arquivada em 25 de abril de 2013.
  84. LANA DEL REY - DARK PARADISE (SONG). Página visitada em 12 de dezembro de 2012.
  85. Dark Paradise. musicline.de. Página visitada em 12 de dezembro de 2012.
  86. LANA DEL REY - SUMMERTIME SADNESS. swisscharts.com. Página visitada em 12 de dezembro de 2012.
  87. Top 5 airplay - 10.05.13. ZPAV. Página visitada em 14 de maio de 2013. Cópia arquivada em 14 de maio de 2013.
  88. a b John Bush. Lana Del Rey - Born to Die. AllMusic. Página visitada em 28 de fevereiro de 2012.
  89. a b Kitty Empire. Lana Del Rey: Born to Die – review. The Guardian. Página visitada em 28 de fevereiro de 2012.
  90. Alex Denney. Lana Del Rey - 'Born To Die'. NME. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  91. a b Rob Sheffield. Lana Del Rey - Born to Die. Rolling Stone. Página visitada em 28 de fevereiro de 2012.
  92. a b Sal Cinquemani. ALBUM REVIEW - Lana Del Rey - Born to Die. SlantMagazine. Página visitada em 28 de fevereiro de 2012.
  93. a b Lana Del Rey - Born to Die. Stupnik. Página visitada em 28 de fevereiro de 2012.
  94. Lisa Wright. Lana Del Rey - Born To Die. The Fly. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  95. a b Billy Hepfinger. Lana Del Rey: Born to Die. PopMatters. Página visitada em 28 de fevereiro de 2012.
  96. Best albums of 2012: 20–11. The Guardiam. Página visitada em 9 de novembro de 2013.
  97. Luke Lewis. 50 Best Albums Of 2012. NME. Página visitada em 9 de novembro de 2013.
  98. Uncut's Top 75 new albums of 2012. Uncut Magazine. Página visitada em 9 de novembro de 2013.
  99. Albums of the year: Jack White to Jake Bugg (Nos. 50 - 41). Gigwise. Página visitada em 23 de janeiro de 2014.
  100. Cusan Cheng. The 50 Best Pop Album Covers of the Past Five Years. Complex Magazine. Página visitada em 9 de novembro de 2013.
  101. Sean Adams. Drowned in Sound's 50 Favorite Albums of 2012: 50-26. Drowned in Sound. Página visitada em 23 de janeiro de 2014.
  102. Born This Way (Limited Edition) (HTML) (em japonês). CD japan. Página visitada em 17 de Novembro de 2011.
  103. Born to Die (Special Version) – Lana Del Rey. iTunes. iTunes. Página visitada em 13 de janeiro de 2012.
  104. Born to Die (Special Version) – Lana Del Rey. iTunes. iTunes. Página visitada em 7 de janeiro de 2012.
  105. Paul Williams. US charts: Del Rey cannot surpass Adele. Music Week. Página visitada em 26 de agosto de 2013.
  106. Official Chart Analysis: Lana Del Rey album sells 117k, 43% digital. Página visitada em 26 de agosto de 2013.
  107. Lauren Kreisler. Lana Del Rey spends a second week at Number 1 on the Official Albums Chart. Página visitada em 26 de agosto de 2013.
  108. a b c d Scottish Albums Chart Archive (em inglês). The Official Charts Company. Página visitada em 26 de fevereiro de 2012.
  109. Tops : Lana Del Rey sur tous les fronts avec "Born To Die" et "Video Games". Chartsinfrance.net. Página visitada em 26 de agosto de 2013. Cópia arquivada em 10 de julho de 2013.
  110. Tops : Lana Del Rey et Michel Teló dominent les ventes. Chartsinfrance.net. Página visitada em 26 de agosto de 2013. Cópia arquivada em 12 de julho de 2013.
  111. Lana Del Rey dévoile le clip "Burning Desire" pour Jaguar (em fra). Pure Charts by Charts in France. Página visitada em 26 de agosto de 2013.
  112. a b FIMI/GfK Album Music Charts (em Italiana). FIMI.
  113. a b CERTIFICAZIONE ALBUM fisici e digitali dalla settimana 1 del 2009 alla settimana 13 del 2013. Página visitada em 20 de julho de 2012.
  114. a b Lana Del Rey Born to Die (em Danish). IFPI.
  115. a b Âr 2012 - TOP-100. hitlisterne.dk. Página visitada em 4 de agosto de 2013.
  116. a b Top AFP - Semana 37 de 2013 (em portuguese). Artistas-espectaculos.com. Página visitada em 2013-09-23. Cópia arquivada em 2013-09-19.
  117. a b Культура: Триумф нестыдной попсы. Lenta.ru. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  118. a b Gold-/Platin-Datenbank. Página visitada em 20 de junho de 2012.
  119. a b GOUD EN PLATINA. Página visitada em 27 de abril de 2013.
  120. a b c ARIA Charts - Accreditations - 2013 Albums. ARIA. Página visitada em 1 de abril de 2012.
  121. a b The Official Swiss Charts and Music Community. IFPI Suíça. Página visitada em 28 de fevereiro de 2012.
  122. a b Polish Albums Chart. ZPAV. Página visitada em 17 de fevereiro de 2012.
  123. a b Najchętniej kupowane płyty roku 2012 – podsumowanie listy OLIS. ZPAV. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  124. a b IFPI Platinum Europe Awards - 2013. IFPI. Página visitada em 4 de agosto de 2013.
  125. a b Caulfield, Keith (08 de fevereiro de 2013). Lana Del Rey Debuts at No. 2 on Billboard 200 Albums Chart. Billboard. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  126. a b American album certifications – Lana Del Rey – Born to Die (PHP) (em inglês). RIAA. Página visitada em 01 de fevereiro de 2012.
  127. a b John Williams (8 de fevereiro de 2012). CANOE - JAM! Music - Artists - Cohen, Leonard : Cohen, Del Rey debut on charts. Jam.canoe.ca. Página visitada em 1 de setembro de 2013.
  128. a b Gold Platinum Database. Página visitada em 27 de abril de 2013.
  129. Lana Del Rey. abpd.org.br. Página visitada em 22 de agosto de 2013.
  130. a b c Top 50 Albums Chart - Australian Recording Industry Association. ARIA. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  131. a b Lana Del Rey - Born to Die. Recording Industry Association of New Zealand. Página visitada em 24 de agosto de 2012.
  132. a b Certification - Lana Del Rey. The Official New Zealand Music Chart. Página visitada em 22 de julho de 2012.
  133. Global Top Selling Albums of 2012. IFPI. Página visitada em 1 de setembro de 2013.
  134. DEUTSCHE CHARTS - ALBEN TOP 10 - 10.02.2012. germancharts.com. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  135. Austrian Albums Chart. austriancharts.at. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  136. a b c Ultratop. Ultratop. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  137. TOP KOMBINIRANIH – TJEDAN 05. 2012. (em inglês). Página visitada em 2 de Junho de 2011.
  138. Lana Del Rey - Born To Die. Productores de Música de España. Hung Medien. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  139. a b Laa Del Rey: n°1 des ventes d'albums en France (em inglês). Charts in France. Página visitada em 26 de fevereiro de 2012.
  140. Suomen virallinen lista – Albumit 6/2012 (em Finnish). Musiikkituottajat – IFPI Finland. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  141. Greek Album Chart – Week 07 – 2012 (em grego). International Federation of the Phonografic Industry of Greece. Página visitada em 26 de fevereiro de 2012.
  142. a b Chart Track. GfK Irish Albums Chart (02 de fevereiro de 2012). Página visitada em 01 de março de 2012.
  143. a b ボーン・トゥ・ダイ/ラナ・デル・レイ (Born to Die/Lana Del Rey) (em Japonesa). Oricon.
  144. Mexican Albums Charts (PDF) (2011). Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  145. Norwgian Albums Chart. Página visitada em 26 de março de 2013.
  146. Oficjalna lista sprzedaży (ASP) (em inglês). OLiS (19 de fevereiro de 2012). Página visitada em 25 de fevereiro de 2012.
  147. Portuguese Charts (ASP) (em inglês). OLiS (26 de fevereiro de 2012). Página visitada em 25 de abril de 2012.
  148. Lana Del Rey - Born To Die (PHP) (em checo). International Federation of the Phonographic Industry. Página visitada em 26 de fevereiro de 2012.
  149. Lana Del Rey - Born To Die (em russo). Lenta (24 de fevereiro de 2012). Página visitada em 25 de fevereiro de 2012.
  150. a b 2012 Top 40 Official Albums Chart UK Archive - 11th February 2012Go (em inglês). The Official Charts Company. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  151. Lana Del Rey - Born To Die. Swedish Recording Industry Association. Hung Medien. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  152. a b c d SCHWEIZER HITPARADE - ALBEN TOP 100 (em alemã). Media Control. Hung Medien / swisscharts.com. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  153. Die Jahres-Charts 2012. einslive.de. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  154. ARIA Top 100 Albums 2012. ARIA. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  155. Austria Top 40 - Hitparade Österreich. austriancharts.at. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  156. a b Charts Wallonie - Reports Annuels. ultratop.be. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  157. Top 50 Albumes Anual 2012. Promuiscae.es. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  158. 2012 Year End Charts – Top Billboard 200 Albums. Billboard. Prometheus Global Media. Página visitada em 25 de agosto de 2012.
  159. Quels sont les tops musicaux de l'année 2012. chartsinfrance.net. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  160. Best selling albums of Hungary in 2012. Mahasz. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  161. Best of 2012 - Top 20 Albums. Irish Recorded Music Association. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  162. Top 100 Album Combined - Classifica annuale (dal 2 Gennaio 2012 al 30 Dicembre 2012) (PDF) (em Italian). Federation of the Italian Music Industry / TV Sorrisi e Canzoni. Cópia arquivada em 16 de janeiro de 2013.
  163. End of Year Charts 2012 – Albums. Recording Industry Association of New Zealand. Página visitada em 25 de agosto de 2013. Cópia arquivada em 25 de agosto de 2012.
  164. JAAROVERZICHTEN - ALBUM 2012. dutchcharts.nl - Dutch charts portal. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  165. Dan Lane. The Official Top 40 Biggest Selling Albums Of 2012 revealed!. Official Charts Company. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  166. Schweizer Jahreshitparade 2012. hitparade.ch. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  167. Gold & Platin. IFPI. Página visitada em 02 de março de 2012.
  168. ARIA Albums Chart - 13/01/2014. ARIA Charts. Página visitada em 11 de janeiro de 2014.
  169. Certificados. Página visitada em 29 de maio de 2014.
  170. Lana Del Rey est disque de platine. Página visitada em 20 de julho de 2012.
  171. Irish album certifications – Lana Del Rey – Born to Die (HTML) (em inglês) pp. 1. Irish Recorded Music Association. Página visitada em 24 de agosto de 2012.
  172. Certificaciones. AMPROFON. Página visitada em 27 de janeiro de 2014.
  173. Certificaciones Mensuales 2014. Certificados Musicales Amprofon. Página visitada em 27 de janeiro de 2014.
  174. Trofesoknad. IFPI. Página visitada em 27 de janeiro de 2014.
  175. Polish Albums Chart. ZPAV. Página visitada em 27 de janeiro de 2014.
  176. Certifications of British Phonographic Industry. BPI. Página visitada em 4 de agosto de 2013.
  177. Триумф нестыдной попсы. lenta.ru. Página visitada em 4 de agosto de 2013.
  178. Veckolista Album - Vecka 29, 17 juli 2014. sverigetopplistan.se. Página visitada em 23 de julho de 2014.
  179. Born to Die - Lana Del Rey. Barnes & Noble. Página visitada em 01-04-12.
  180. "Album Top 50 (07/11/2010)" (em inglês). Hung Medien. Australian Recording Industry Association. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  181. "Album Top 50 (21/11/2010)" (em inglês). Hung Medien. Australian Recording Industry Association. Página visitada em 25 de agosto de 2013.
  182. "200 Albums (02/11/2011)" (em inglês). Hung Medien. Ultratop. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  183. "200 Albums (02/18/2011)" (em inglês). Hung Medien. Ultratop. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  184. 2011 Top 40 Scottish Albums Archive - 5th February 2011 (em inglês). The Official Charts Company. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  185. 2011 Top 40 Scottish Albums Archive - 5th February 2011 (em inglês). The Official Charts Company. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  186. Albums Top 100 (em francês). lescharts.com. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  187. Albums Top 100 (em francês). lescharts.com. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  188. TOP 75 ARTIST ALBUM, WEEK ENDING 2 February 2012. GfK Irish Albums Chart (02 de fevereiro de 2012). Página visitada em 01 de março de 2012.
  189. TOP 75 ARTIST ALBUM, WEEK ENDING 23 February 2012. GfK Irish Albums Chart (02 de fevereiro de 2012). Página visitada em 01 de março de 2012.
  190. 2012 Top 40 Official Albums Chart UK Archive - 4th February 2012Go (em inglês). The Official Charts Company. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  191. 2012 Top 40 Official Albums Chart UK Archive - 25th February 2012Go (em inglês). The Official Charts Company. Página visitada em 24 de agosto de 2013.
  192. Born To Die: Amazon.de: Musik (em German). Amazon.de. Amazon.com. Página visitada em 1 de setembro de 2013.
  193. Born to die [Vinyl LP: Amazon.de: Musik] (em German). Amazon.de. Amazon.com. Página visitada em 1 de setembro de 2013.
  194. Born To Die (Deluxe Edition inkl. 3 Bonus Tracks): Lana Del Rey: Amazon.de: MP3-Downloads. Amazon.de. Amazon.com. Página visitada em 1 de setembro de 2013.
  195. Born To Die: Lana Del Rey: Amazon.fr: Musique (em French). Amazon.fr. Amazon.com. Página visitada em 1 de setembro de 2013.
  196. Born To Die (Deluxe Version): Lana Del Rey: Amazon.fr: Téléchargement MP3 (em French). Amazon.fr. Amazon.com. Página visitada em 1 de setembro de 2013.
  197. Born to Die: Amazon.co.uk: Music. Amazon.co.uk. Amazon.com. Página visitada em 1 de setembro de 2013.
  198. Born To Die (Deluxe Version): Lana Del Rey: Amazon.co.uk: MP3-Downloads. Amazon.co.uk. Amazon.com.
  199. Born To Die [VINYL: Amazon.co.uk: Music]. Amazon.co.uk. Amazon.com. Página visitada em 1 de setembro de 2013.
  200. Amazon.com: Born to Die: Lana Del Rey: Music. Amazon.com. Amazon.com. Página visitada em 1 de setembro de 2013.
  201. Amazon.com: Born to Die (Deluxe Version): Lana Del Rey: MP3 Downloads. Amazon.com. Amazon.com. Página visitada em 1 de setembro de 2013.
  202. Born To Die. Sanity. Página visitada em 1 de setembro de 2013.
  203. Amazon.com: Born to Die: Lana Del Rey: Music. Amazon.com. Amazon.com. Página visitada em 1 de setembro de 2013.