Brócolis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaBrócolos
Broccoli and cross section edit.jpg

Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Brassicales
Família: Brassicaceae
Género: Brassica
Espécie: B. oleracea
Grupo de cultivares
Brassica oleracea, Grupo Italica

Os brócolis (português brasileiro) ou brócolos (português europeu) (do italiano broccolo, no plural broccoli) são vegetais da família Brassicaceae, uma das formas cultivadas de couve, tal como a couve-flor, o repolho, couve de bruxelas, couve-nabo entre outras.

As folhas, as flores e os pedúnculos florais são comestíveis. O cruzamento do brócolis com o kai lan asiático gera o brocollini, que possui talos comestíveis.

Originários da Europa, os brócolis também têm seu uso na medicina, graças ao seu elevado teor de cálcio que é - dependendo da variedade e da forma de preparo dos brócolis - em média 47 mg por cada 100 gramas de flores e 51 miligramas em cada 100 gramas de folhas, o que representa cerca de cinco vezes a dose existente no leite. Por isso, esse vegetal é um bom construtor e formador dos ossos e dos dentes.[carece de fontes?]

De acordo com pesquisas publicadas recentemente, os brócolis e o repolho ajudam a evitar o câncer de próstata se forem consumidas pelo menos três porções diárias desses vegetais. Essa pesquisa baseou-se num estudo do Centro de Pesquisas do Câncer Fred Hutchinson, de Seattle, nos Estados Unidos.[carece de fontes?]

Há algumas evidências preliminares que o consumo regular de brotos de brócolos poderiam erradicar Helicobacter pylori.[1]

Os brócolis são utilizados no preparo de saladas, podendo também ser utilizados em pratos como folhados e massas. Assim como a couve-flor, os brócolis também podem ser cozidos no vapor, o que ajuda a manter seus componentes nutricionais.

Diferentes variedades[editar | editar código-fonte]

No Brasil, o brócolis puro, originário do norte do Mediterrâneo e conhecido como brócolis-americano por ter vindo dos Estados Unidos, lá originalmente introduzidos por imigrantes italianos, é menos comum e mais caro. Predomina o brocollini, um cruzamento do brócolis europeu com o brócolis chinês ou kai lan, que possui talos consumíveis por serem muito mais tenros.

Lá conhecido por "ramoso", assim chamado porque produz ramas em abundância, que são pedúnculos florais longos. Os produtores colhem estas ramas que são vendidas em maços, e há rebrotação de mais ramas nas plantas, possibilitando colheitas continuas por um determinado período. As variedades mais conhecidas de brocollini brasileiro são o ramoso santana de inverno, e o ramoso piracicaba de verão.

Um grupo diferente que apareceu depois, e que é usado bastante em pratos congelados, é o aforacitado brócolis-americano ou brócolis-de-cabeça, chamado assim porque o que se colhe é uma cabeça, como a de um couve-flor. O produtor faz uma colheita única na planta, e a produção é dirigida principalmente para processamento. As fotos que ilustram receitas culinárias normalmente são estes brócolis de variedade pura.

Comparado ao brócolis ramoso ou brocollini, quando cozidos no vapor por cerca de sete (ponto do brócolis-americano ou puro) a quinze (ponto do brocollini) minutos, o sabor do brócolis puro lembra mais o da couve-flor, e ao se inverter o ponto-de-vista, o sabor do brocollini (geralmente cozido e consumido junto com suas folhas e talos) é mais parecido, ainda que distantemente, com o de outras verduras verde-escuras de sabor forte, como a couve comum (de se fazer caldo verde ou refogado para acompanhar feijoada), a mostarda, a chicória e a acelga, comparado com o brócolis puro (entretanto, o brocollini nunca é amargo como a chicória ou pinicante como a mostarda preparada indevidamente, e ambas as variedades podem ser consumidas cruas quando não apresentam sinais de pragas ou fungos, ao contrário da mostarda e da acelga).

Cultivo da Couve Brócolis[editar | editar código-fonte]

O cultivo do brócolis-de-cabeça, em regiões tropicais, é ligeiramente mais complicado, para quem busca o cultivo sem a utilização de agrotóxicos, em função das pragas. A couve brócolis da variedade ramosa, por sua vez, pode ser facilmente cultivada, tomando algumas medidas biológicas: pulverização de calda de fumo controla a infestação pulgões, enquanto a mosca branca pode ser evitada dispondo vasos de citronela próximos à couve.

Após 90 dias de plantadas as sementes da variedade ramosa, as folhas já devem estar bastante vistosas, estando prontas para o consumo por volta de 150 dias. Uma das vantagens em relação ao brócolis de cabeça única é que é possível fazer diversas colheitas, o que faz com que a planta alcance mais de 2 anos de vida.[2]

Referências

  1. Galan MV, Kishan AA, Silverman AL (August 2004). "Oral broccoli sprouts for the treatment of Helicobacter pylori infection: a preliminary report". Dig Dis Sci. 49 (7–8): 1088–90).
  2. Takeguma, Massahiro. Cultivo da Couve Brócolis. Página visitada em 28 Maio 2013.
Ícone de esboço Este artigo sobre Botânica é um esboço relacionado ao Projeto Plantas. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Brócolis