Brasileiras e Brasileiros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Brasileiras e Brasileiros
Informação geral
Formato Telenovela
Criador(es) Carlos Alberto Soffredini
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Walter Avancini
Elenco Edson Celulari
Fúlvio Stefanini
Lucélia Santos
Isadora Ribeiro e elenco.
Tema de abertura "Disputa de Poder" - Simone
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil SBT
Transmissão original 5 de novembro de 199014 de maio de 1991
N.º de episódios 151

Brasileiras e Brasileiros é uma telenovela brasileira exibida em vários horários pelo SBT entre 5 de novembro de 1990 e 14 de maio de 1991. Escrita por Carlos Alberto Soffredini e Walter Avancini, que também a dirigiu, foi uma co-produção da Miksom.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Na periferia paulistana, Ângelo está pensando em voltar a praticar a luta-livre. Então, ele resolve promover um ringue de luta-livre feminina ao lado de Totó, chamado Duras na Queda. É aí que entram em cena Teresa de Ogum, Alma e Arlete, sempre cercadas pela Limovi - Liga pela Moral e pela Virtude, liderada pelo moralista Coriolano. Teresa é umbandista e é filha de Ogum, por isso seu apelido.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Não deu certo a proposta de produzir uma novela centrada na camada pobre da sociedade; foi um desastre para o horário da novela, alterado várias vezes e para o próprio SBT, que viu seus anunciantes desaparecerem diante de um argumento miserável. Para tentar agradar ao público, os pobres representados por Edson Celulari e Carla Camurati deram lugar a uma trama centralizada entre milionários, com Rubens de Falco, Lucélia Santos, Márcia Maria, Arlete Montenegro e Fausto Ferrari à frente de um drama familiar. Mas a tentativa foi em vão.
  • Celebridades não faltaram em sua divulgação, como o diretor Walter Avancini e um time de primeira que participou dos primeiros capítulos: Juca de Oliveira, Irene Ravache, Maria Della Costa, Paulo Autran, Fábio Júnior e Ângela Maria.
  • A recuperação da audiência foi muito curiosa: Brasileiras e Brasileiros dava, em média, menos de 3 pontos. Mas, num golpe de mestre, Silvio Santos estreou a telenovela mexicana Carrossel, que foi um grande sucesso na época, quintuplicando a audiência no horário, entre 15 e 20 pontos.
  • Durante toda sua exibição a trama enfrentou a pesada concorrência com a Rede Globo, especialmente quando era exibida as 18 horas, enquanto a Globo exibia no mesmo horário a novela Barriga de Aluguel, que facilmente chegava a 50 pontos, enquanto a trama do SBT não passava dos cinco pontos, este é mais um dos fatores para seu insucesso.
  • O título da novela era um bordão do ex-presidente da República José Sarney, que sempre começava seus discursos assim: "Brasileiras e brasileiros…"
  • Estréia em telenovelas da atriz Isadora Ribeiro. Até então, ela participara apenas das aberturas de Tieta e do Fantástico.
  • Brasileiras e Brasileiros foi exibida em vários horários: 18h, 18h30, 17h45 e 19h. A novela se despediu da programação sendo exibida às 20h.