Bresser Pereira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bresser Pereira
Ministro da Fazenda do  Brasil
Mandato 29 de abril de 1987
a 21 de dezembro de 1987
Presidente José Sarney
Antecessor(a) Dilson Funaro
Sucessor(a) Maílson da Nóbrega
Ministro da Ciência e Tecnologia do  Brasil
Mandato 1 de janeiro de 1999
a 21 de julho de 1999
Presidente Fernando Henrique Cardoso
Antecessor(a) José Israel Vargas
Sucessor(a) Ronaldo Mota Sardenberg
Vida
Nome completo Luiz Carlos Bresser Gonçalves Pereira
Nascimento 30 de junho de 1934 (80 anos)
São Paulo
Dados pessoais
Profissão advogado, administrador de empresas, economista e cientista político

Luiz Carlos Bresser Gonçalves Pereira (São Paulo, 30 de junho de 1934) conhecido como Luiz Carlos Bresser-Pereira é um advogado, administrador de empresas, economista e cientista político.

Foi ministro da Fazenda do Brasil de 29 de abril de 1987 a 21 de dezembro do mesmo ano, durante o governo José Sarney. Foi ministro da Administração Federal, em substituição ao general-de-brigada Romildo Canhim, e ministro de Reforma do Estado em todo o 1° mandato presidencial de Fernando Henrique Cardoso (19951998) e ministro da Ciência e Tecnologia nos 6 meses iniciais do 2° mandato, permanecendo nesse cargo até 19 de julho de 1999.

Cursou a Faculdade de Direito da USP, é mestre em Administração de Empresas pela Michigan State University, doutor e livre docente em Economia pela USP. Ensinando na Fundação Getulio Vargas de São Paulo desde 1959, foi seu 1° professor a receber o título de professor emérito, em 2005. É presidente do Centro de Economia Política e editor da Revista de Economia Política desde 1981 quando a fundou. Lecionou, em nível de pós-graduação, Desenvolvimento Econômico na Universidade de Paris I (Panthéon-Sorbonne), e Teoria Política no Departamento de Ciência Política da USP, e desde 2003 ministra curso de um mês na École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris.

Foi visitante do Instituto de Estudos Avançados da USP, e duas vezes do Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Oxford (Nuffield College e St. Anthony’s College).

Na administração pública, além dos cargos citados acima, foi presidente do Banco do Estado de São Paulo (1983-85) e secretário de Governo do estado de São Paulo (1985-87) na gestão Franco Montoro. Foi ainda presidente do Clad (Consejo Latinoamericano de Administración para el Desarrollo) (1995-97) e presidente do seu Conselho Científico (1998-2005).

Em 1988, fui um dos fundadores do PSDB. Em 2011 declarou-se desligado do partido, que, segundo ele, caminhou de forma definitiva para a direita ideológica: "Na época da fundação, o Montoro não queria o nome de social-democracia para o partido, porque Montoro tinha origem na democracia cristã, que a vida inteira tinha lutado contra os social-democratas na Inglaterra, na Alemanha e na Itália. Nós ganhamos, pelo fato de sermos centro-esquerda. Mas aí ele dizia: 'Muito bem, mas e se esse bendito PT, que se diz revolucionário, que tem propostas para a economia brasileira completamente irresponsáveis, chega no poder ou perto do poder e se domestica, e se torna social-democrata, como aconteceu na Europa? Eles têm toda uma integração com os trabalhadores sindicalizados, que nós não temos, então nós vamos ser empurrados para a direita'. E foi isso que aconteceu."[1]

É membro do conselho diretor do CEBRAP, de cuja fundação participou em 1970, do conselho consultivo do Grupo Pão de Açúcar, do qual foi diretor administrativo entre 1965 e 1983, do conselho de administração da Le Lis Blanc desde 2008 e patrono da Associação Keynesiana Brasileira desde sua fundação, em abril de 2008.

Seu 1° livro, Desenvolvimento e Crise no Brasil, lançado em 1968, teve a 5ª edição publicada atualizada em 2003. Vários dos seus livros foram traduzidos para o inglês, o espanhol e o francês.

Principais trabalhos publicados[editar | editar código-fonte]

  • Desenvolvimento e Crise no Brasil (1968)
  • As Revoluções Utópicas (1972)
  • Estado e Subdesenvolvimento Industrializado (1977)
  • A Sociedade Estatal e a Tecnoburocracia (1981)
  • Inflação e Recessão, com Yoshiaki Nakano (1984)
  • Lucro, Acumulação e Crise (1986)
  • A Crise do Estado (1992)
  • Economic Reforms in New Democracies, com Adam Przeworski e José Maria Maravall (1993)
  • Reforma do Estado para a Cidadania (1998)
  • Democracy and Public Management Reform (2004).
  • Macroeconomia da Estagnação (2007).
  • Construindo o Estado Republicano (2009)
  • Mondialisation et Compétition (2009)

Referências

  1. Bresser-Pereira deixa o PSDB - Por uma ideia de nação. Entrevista de Bresser Pereira a Maria Inês Nassif. Originalmente publicada em Valor Econômico, 8 de abril de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
José Israel Vargas
Ministro da Ciência e Tecnologia do Brasil
1999
Sucedido por
Ronaldo Mota Sardenberg
Precedido por
Dilson Funaro
Ministro da Fazenda do Brasil
1987
Sucedido por
Maílson da Nóbrega