Brian Kobilka

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Brian Kobilka Medalha Nobel
Bioquímica, cristalografia
Nacionalidade Estados Unidos Estadunidense
Nascimento 30 de maio de 1955 (59 anos)
Local Little Falls, Minnesota
Atividade
Campo(s) Bioquímica, cristalografia
Instituições Universidade Stanford, Universidade Duke
Alma mater Universidade do Minnesota Duluth, Universidade Yale
Prêmio(s) Medalha do prêmio Nobel Nobel de Química (2012)

Brian Kent Kobilka (Little Falls, 30 de maio de 1955) é um bioquímico estadunidense.

Foi laureado com o Nobel de Química de 2012, juntamente com Robert Lefkowitz, pelo estudo dos receptores acoplados à proteína G.[1]

Kobilka recebeu o seu grau em biologia e química da Universidade do Minnesota em Duluth, e o seu M.D. (doutoramento em medicina), cum laude, da Yale University School of Medicine. A seguir ao estágio em medicina interna na Washington University School of Medicine, Barnes Hospital, em St. Louis, Kobilka trabalhou em investigação como bolseiro de pós-doutoramento com Robert Lefkowitz na Universidade de Duke onde começou a trabalhar na clonagem do recetor β2-adrenérgico. Kobilka foi para Stanford em 1989.[2] Foi investigador do Howard Hughes Medical Institute de 1987 a 2003[3] .


Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido de en:Brian Kobilka. Ajude e colabore com a tradução.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Dan Shechtman
Nobel de Química
2012
com Robert Lefkowitz
Sucedido por
Martin Karplus, Michael Levitt e Arieh Warshel


Ícone de esboço Este artigo sobre um bioquímico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.