Bridei I dos Pictos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bridei I
gaélico: Bridei mac Maelchon
Rei dos Pictos
Representação de William Hole da decepção de Columba na "conversão" do rei Bridei.
Governo
Reinado 560–c. 584
Antecessor Galam
Sucessor Gartnait II
Vida
Morte 584
Mearns

Bridei, filho de Maelchon,[1] foi rei dos pictos até sua morte por volta de 584 a 586.

Bridei é mencionado pela primeira vez nos anais irlandeses em 558-560, quando os Anais de Ulster relatam "a migração anterior do filho de Máelchú, ou seja, do rei Bruide".[2] O analista de Ulster não diz quem fugiu, mas o posterior Anais de Tigernach refere-se à "fuga dos escoceses antes de Bruide, filho de Máelchú" em 558. Isto tem provocado consideráveis especulações em alguns casos como, em uma versão, dos Anais de Ulster podendo associar isso com a morte de Gabrán mac Domangairt.[3]

Como um contemporâneo e um dos principais reis da Escócia, Bridei aparece na Vida de São Columba, de Adomnán.[4] O relato de Adomnán sobre Bridei é problemático na medida em que não nos diz se Bridei já era um cristão e, se não, se Columba converteu-o.[5] As recentes descobertas arqueológicas em Portmahomack, mostram que havia uma comunidade monástica, talvez já no final do século VI, que pode oferecer algum suporte para a idéia de que Bridei ou já era um cristão, pelo menos no nome, ou foi convertido por Columba.

É uma questão de registro que Bridei não era apenas rei em Pictland. A morte de Galam - chamado "Cennalath, rei dos Pictos" - é registrado em 580 pelos Anais de Ulster, quatro anos antes da morte de Bridei.[6] Além disso, Adomnán menciona a presença do "sub-rei de Orkney" na corte de Bridei.[7] Os Anais de Ulster relatam duas expedições para Orkney durante o reinado de Bridei, ou, como parece igualmente provável, uma expedição duas vezes, em 580 e 581.[8]

A capital do reino de Bridei, que pode ter correspondido mais tarde a Fortriu, não é conhecida. Adomnán diz que depois de deixar a corte real, Columba chegou ao rio Ness, e que a corte ficava no alto de uma rocha íngreme. Assim, é geralmente suposto que a residência principal de Bridei ficava em Craig Phadrig, a oeste da atual Inverness com vista para o Beauly Firth.

A morte de Bridei é relatada na década de 580, talvez na batalha contra rivais pictos em Circinn, uma área que talvez corresponda a Mearns.[9] As listas de reis da Crônica dos Pictos concordam que Bridei foi sucedido por um Gartnait, filho de Domelch.

John Morris, em seu Age of Arthur, sugere que Bridei era filho de Maelgwn Gwynedd, quando ele se refere na passagem e sem fontes, a "... Bridei, filho de Maelgwn, o poderoso rei do norte do País de Gales ...".[10] Embora o livro tenha sido um sucesso comercial, é criticado por historiadores como uma fonte não confiável de informação "enganosa e equivocada".[11]

A trilogia de Juliet Marillier, The Bridei Chronicles é escrita como uma combinação de ficção, história e conjecturas sobre esta ascensão do rei ao poder e ao governo. Seus romances também descrevem eventos da vida de Bridei III.


Notas

  1. Outras formas incluem Brude, filho de Melcho e, nas fontes irlandesas, Bruide, filho de Maelchú e Bruidhe, filho de Maelchon; para Beda, seu pai era Meilochon.
  2. Uma entrada anterior, relatando a morte de "Bruide, filho de Máelchú" nos Anais de Ulster em 505 se presumiu ser um erro.
  3. A entrada em questão é AU 558.2; compare AU560.1 e AU560.2 quando estes não estão associados e também AT559.2 e 559.3. Para especulação, Morris, The Age of Arthur, p. 182 ff.
  4. Life, I.1, I.10, II.33, II.35 and II.42.
  5. Smyth, pp. 103–107 argumenta contra a conversão, Sharpe, pp. 30–33 é incerto. Beda, III.4, escreve que Columba converteu Bridei, que representa a crença de um século após a morte de Columba, em vez de uma visão contemporânea.
  6. Os Anais de Tigernach, AT578.2 e 581.3, discordam sobre as datas, mas confirmam a sequência.
  7. Adomnán, Life, II.42.
  8. Tal como acontece com o relato anterior da "migração" em 558 e 560, é possível que os relatos que fornecem mais detalhes foram feitos muito mais tarde.
  9. Os Anais de Tigernach, s.a. 584; Anais de Ulster, s.a. 584. A entrada em 505 mencionada anteriormente está de aproximadamente 84 anos do ciclo da Páscoa equivocada. A morte de Bridei na batalha em Circinn está nos Anais de Tigernach, s.a. 752, aparentemente deslocada por dois ciclos; ver M.O. Anderson, pp. 36–37.
  10. Morris, John (1973), The Age of Arthur: a history of the British Isles from 350 to 650, London: Weidenfeld and Nicolson, p. 192 
  11. D. P. Kirby e J. E. C. Williams, "Review of The Age of Arthur", Studia Celtica, 10-11 (1975-6), pp. 454 – 486; "uma peça acadêmica aparentemente impressionante", passou a argumentar que este aparente estudo "se desintegra após a inspeção em um tecido emaranhado de fatos e fantasias que é um tanto enganoso e equivocado".

Referências

  • Adomnán de Iona, Life of St Columba, tr. & ed. Richard Sharpe. Penguin, Londres, 1995. ISBN 0-14-044462-9
  • Anais de Ulster, ed. & tr. Seán Mac Airt e Gearóid Mac Niocaill (1983). The Annals of Ulster (to AD 1131). Dublin: DIAS. (edição e tradução por s.a. 431-1131 no CELT).
  • Anderson, Alan Orr, Early Sources of Scottish History A.D 500–1286, volume 1. Reeditado com correções. Paul Watkins, Stamford, 1990. ISBN 1-871615-03-8
  • Anderson, Marjorie Ogilvie, Kings and Kingship in Early Scotland. Scottish Academic Press, Edinburgh, edição revisada, 1980. ISBN 0-7011-1930-6
  • Smyth, Alfred P., Warlords and Holy Men: Scotland AD 80–1000. Edinburgh UP, Edimburgo, 1984. ISBN 0-7486-0100-7

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Títulos Reais
Precedido por:
desconhecido
Tradicionalmente Galam
Rei dos Pictos
antes de 560–c. 584
Sucedido por:
?Gartnait II