Bridges to Babylon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bridges to Babylon
Álbum de estúdio de The Rolling Stones
Lançamento 23 de setembro de 1997[1]
Gênero(s) Hard rock[1]
Rock and roll[1]
Duração 61:20[1]
Formato(s) CD, CS, LP
Gravadora(s) Virgin Records
Produção Don Was e The Glimmer Twins com Rob Fraboni, Danny Saber, Pierre de Beauport e The Dust Brothers
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de The Rolling Stones
Último
Último
Voodoo Lounge
(1994)
A Bigger Bang
(2005)
Próximo
Próximo
Singles de Bridges to Babylon
  1. "Anybody Seen My Baby?"
    Lançamento: 22 de setembro de 1997
  2. "Saint of Me"
    Lançamento: 26 de janeiro de 1998
  3. "Out of Control"
    Lançamento: novembro de 1998

Bridges to Babylon é o vigésimo primeiro álbum de estúdio com músicas inéditas na Discografia britânica e o vigésimo terceiro na Discografia Americana da banda de Rock The Rolling Stones, lançado pela Virgin Records em 29 de setembro de 1997.

Foi o segundo é último álbum de inéditas dos Stones na Década de 1990, em um período em que os membros da banda, já cinquentões, apresentaram menor criatividade para compor novas músicas, em qualidade e , principalmente, em quantidade. No entanto, suas turnês mundiais, inclusive a Bridges to Babylon Tour, apresentaram shows cada vez mais caros e impactantes, alcançando grande sucesso, públicos recordes, e faturamento milionário, com os membros surpreendendo e admirando com a vitalidade e boa forma demonstrada, especialmente Mick Jagger.

História[editar | editar código-fonte]

Depois do enorme sucesso da turnê mundial Voodoo Lounge Tour que terminou em 1994 e da gravação e lançamento de seu álbum acústico, Stripped em 1995, os Stones se deram férias por alguns meses. Durante o verão de 1996, Jagger e Richards, The Glimmer Twins, se reencontraram pra compor novas músicas, vindo a produzir as primeiras gravações demo ao fim do ano. Um novo álbum de inéditas seria lançado, produzido novamente por Don Was, com o auxílio de alguns produtores adicionais. As músicas foram gravadas em um período de quatro meses entre a Primavera e o Verão de 1997, em um estúdio de Los Angeles, nos Estados Unidos.

A expectativa por parte de alguns, de que o baixista Darryl Jones seria efetivado como membro da banda, preenchendo a vaga deixada por Bill Wyman, acabou não se confirmando, tendo os membros remanescentes da banda decidido por continuar usando baixistas contratados. Pra gravação deste álbum, dez músicos diferentes tocaram o Contra-baixo.

Curioso foi quando Angela Richards, filha de Keith Richards, mostrou ao pai que a melodia no refrão de Anybody Seen my Baby? estava muito parecida com a melodia do sucesso Constant Craving de K. d. lang. Pra evitar qualquer questionamento futuro na justiça, entraram em contato com os compositores K. D. Lang e Bem Mink, os quais foram colocados nos créditos do álbum, dividindo a autoria da música ao lado da eterna dupla Jagger/Richards. O álbum ainda apresentou o número recorde de três faixas cantadas por Keith.

Lançamento e Recepção[editar | editar código-fonte]

Lançado em 29 de setembro de 1997 o álbum recebeu críticas mistas da imprensa especializada. Porém vendeu muito, como de costume, chegando a ser o terceiro álbum mais vendido nos E.U.A., sexto mais vendido no Reino Unido, e segundo mais vendido na França, por exemplo. Seu principal hit foi Anybody Seen my Baby?, sendo que Saint of Me e Out of Control foram sucessos menores tocados nas rádios.

Na esteira do lançamento do álbum, Suas Majestades Satânicas deram início a mais uma turnê milionária mundial, Bridges to Babylon Tour, a qual rodou dezenas de países em vários continentes, totalizando 108 shows aclamados por crítica e fãs. Desta turnê surgiu o álbum ao vivo No Security.

Em 2009, Bridges to Babylon foi remasterizado e relançado pela Universal Records.

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as músicas por Mick Jagger e Keith Richards, exceto onde anotado.

  1. "Flip the Switch" – 3:28
  2. "Anybody Seen My Baby?" (Mick Jagger/Keith Richards/k.d. Lang/Ben Mink) – 4:31
  3. "Low Down" - 4:26
  4. "Already Over Me" – 5:24
  5. "Gunface" – 5:02
  6. "You Don't Have to Mean It" – 3:44
  7. "Out of Control" – 4:43
  8. "Saint of Me" – 5:14
  9. "Might as Well Get Juiced" – 5:23
  10. "Always Suffering" – 4:43
  11. "Too Tight" - 3:33
  12. "Thief in the Night" (Mick Jagger/Keith Richards/Pierre de Beauport) – 5:15
  13. "How Can I Stop?" – 6:53

Paradas[editar | editar código-fonte]

Ano Parada Posição[2]
1997 Billboard 200 3
Top Canadian Albums 2

Créditos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Lançamento e género Allmusic. Visitado em 7 de abril de 2010.
  2. Paradas - Álbum Allmusic. Visitado em 7 de abril de 2010.


Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de The Rolling Stones é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.