British Airways

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ba b747-400 g-bnle arp.jpg
British Airways
IATA
BA
ICAO
BAW
Indicativo de chamada
Speedbird / Shuttle
Fundada em 1924 (como Imperial Airways)
Principais centros
de operações
Heathrow
Gatwick
Outros centros
de operações
Manchester
Birmingham
Bristol
Edimburgo
Glasgow
Programa de milhagem Executive Club
Serviço VIP Executive Club Lounge
Aliança comercial
Frota 237 (Apenas British Airways) aeronaves
Destinos 222 localidades
Companhia
administradora
British Airways Plc.
Sede Londres, Inglaterra, Reino Unido
Pessoas importantes CEO: Willie Walsh
ex-CEO: Rod Eddington
Sítio oficial www.ba.com

A British Airways é uma companhia aérea do Reino Unido, a segunda maior da Europa. É também uma das maiores companhias aéreas do mundo, com mais voos originários da Ásia para a Europa do que qualquer outra. Membro da Oneworld, a British Airways opera voos para mais de 390 destinos, incluindo compartilhamento de voos com outras companhias aéreas, tendo a sua maior presença nos aeroportos de Heathrow e Gatwick, ambos localizados em Londres.

História[editar | editar código-fonte]

British Airways Hawker Siddeley Trident.
British Airways Concorde.

Sendo o Reino Unido um dos países pioneiros da aviação civil após a Primeira Guerra Mundial, foram criadas várias empresas de aviação civil naquela época. O primeiro serviço regular internacional foi um voo entre Londres e Paris em 1924. No mesmo ano, foi criada a Imperial Airways, especializada em voos para as colónias britânicas na Austrália e África, através da fusão de quatro empresas de aviação. Entretanto, outras empresas menores iniciaram serviços regulares, e pouco depois ocorreu a fusão destas, criando-se a British Airways Ltd. Em 1939, as duas companhias mencionadas foram nacionalizadas, criando-se a British Overseas Airways Corporation (BOAC). Em 1949, as rotas europeias foram operadas pela recém criada British European Airways (BEA), enquanto que a BOAC se concentrava nos voos intercontinentais. As duas empresas juntaram-se em 1972 e deram origem à actual British Airways.

A empresa expandiu-se ao longo dos anos e foi juntamente com a Air France uma das únicas companhias a voar o avião supersónico Concorde. Em 1987, o governo britânico liderado por Margaret Thatcher privatizou a companhia aérea, outro caso pioneiro na história da aviação civil europeia. A ela incorporou-se a British Caledonian. Na década de 90, foi a companhia europeia com maiores lucros e pioneira na criação e aquisição de companhias estrangeiras, nomeadamente a Deutsche BA (Alemanha) e a TAT (França) (negócios dos quais entretanto desistiu), numa altura anterior à liberalização do mercado aéreo europeu. Passou também por vários períodos de “turbulência”, nomeadamente na década de 70 com a crise do petróleo, em 1984 através do escândalo num caso de fraude contra a companhia aérea rival Virgin Atlantic Airways (caso “dirty tricks”), que perdeu em tribunal, a crise do sector da aviação comercial após os atentados do 11 de Setembro de 2001 e, actualmente, a grande competitividade com companhias a baixo preço como a Ryanair e Easyjet, que cresceram significativamente no Reino Unido, e os problemas ligados ao tráfego aéreo (o aeroporto de Heathrow é um dos aeroportos mais congestionados do mundo). No entanto, a empresa continua a crescer e se expandir em todo o mundo, e prevê crescer ainda mais com a abertura do novo terminal 5 no aeroporto de Heathrow, em 2008.

Em 8 de abril de 2010, a companhia aérea formalizou a união com a espanhola Iberia. Se o aval final da Comissão Europeia e da Defesa dos dois países for positivo, será criada a quinta maior companhia aérea do mundo, com tráfego anual de 58 milhões de passageiros.[1] .

Frota[editar | editar código-fonte]

  • British Airways
Aeronave Quantidade Pedidos
Airbus A318 02
Airbus A319 44
Airbus A320 49 10
Airbus A321 18
Airbus A380 03 05
Boeing 737-400 26
Boeing 747-400 55
Boeing 767-300ER 21
Boeing 777-200 03
Boeing 777-200ER 43
Boeing 777-300ER 06 08
Boeing 787-800 01 07
Boeing 787-900 00 16
Total 271 46

Para além desta frota, a companhia aérea tem acordos de franchising com outras companhias aéreas que voam ao serviço e nas cores da British Airways, entre as mais importantes a GB Airways (para destinos no sul da Europa e norte de África, a partir de Londres Gatwick), a British Mediterranean Airways (para destinos no Médio Oriente, a partir de Londres Heathrow) e a Comair (voos dentro da África do Sul). A companhia ainda tem uma empresa subsidiária, a FlyBe, que voa com aviões mais pequenos para destinos europeus, nomeadamente a partir de Birmingham, Manchester e o aeroporto de London City).

Acidentes[editar | editar código-fonte]

British Airways Boeing 747-400s.

Presença no Brasil e em Portugal[editar | editar código-fonte]

Para o Brasil, a British Airways opera um voo diário a partir de Londres-Heathrow para São Paulo, operado por um Boeing 747-400. Além desta frequência, opera também outro vôo diário e exclusivo para o Rio de Janeiro, utilizando o Boeing 777-300. Para Portugal, a companhia voa quatro vezes por dia para Lisboa a partir de Heathrow, uma vez por dia para Faro a partir de Gatwick (esta frequência aumenta para dois a três voos diários na época do verão) e a partir de 30 de Março voa para o Porto a partir de Heathrow com duas frequências semanais.

Crise[editar | editar código-fonte]

Em 16 de junho de 2009, o diretor-executivo da empresa, Willie Walsh, pediu que os funcionários abdicassem do salário em julho. De acordo com ele, essa seria uma medida necessária para salvar a companhia. Dois dias depois, Walsh declarou que o pior da crise ainda estaria por vir. Tudo indica que a má-fase da maior empresa aérea do Reino Unido é consequência da Crise econômica de 2008-2009[2] .

Fusão com a Iberia[editar | editar código-fonte]

As companhias aéreas Iberia e British Airways anunciaram uma fusão, gerando o nascimento da International Consolidated Airlines Group (IAG), em 2011. A IAG será a sexta maior companhia aérea do mundo em volume de negócios, contará com uma frota de 406 aviões que cobrirão 204 destinos e transportará cerca de 60 milhões de passageiros por ano. Os acionistas da Iberia detêm 44% do capital da corporação, que contará com sede financeira em Londres e social em Madri, enquanto a British possui os outros 56% das ações.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre British Airways

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. British e Iberia criam 5ª maior empresa aérea - Folha de S.Paulo, 9 de abril de 2010 (visitado em 9-4-2010)
  2. [1]
Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.