Bronquiolite

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Índice

Patologia[editar | editar código-fonte]

A bronquiolite é a afecção respiratória aguda mais frequente e a principal causa de hospitalização nas crianças nos primeiros dois anos de vida. Ocorre quando as vias aéreas mais estreitas dos pulmões, chamados bronquíolos, ficam inflamadas e acumulam muco.[editar | editar código-fonte]

==

==

Causas[editar | editar código-fonte]

Estima-se que 2/3 dos bebês desenvolvam bronquiolite no primeiro ano de vida porque as suas vias aéreas são menores e os pulmões e sistema imunitário ainda não estão completamente desenvolvidos.[editar | editar código-fonte]

==

==

Sinais e sintomas[editar | editar código-fonte]

Em geral, são semelhantes aos sintomas de uma congestão persistente ou mesmo um resfriado comum:[1][editar | editar código-fonte]

==

==

Corrimento nasal (coriza)[editar | editar código-fonte]

Nariz entupido[editar | editar código-fonte]

Febre leve (eventualmente)[editar | editar código-fonte]

Logo após uma semana a criança pode desenvolver os sintomas:[editar | editar código-fonte]

==

==

Chiado, a respiração parece mais difícil ou ruidosa quando respira[editar | editar código-fonte]

Respiração rápida ou difícil[editar | editar código-fonte]

Batimentos cardíacos rápidos[editar | editar código-fonte]

Alguns dos sintomas acima podem ser confundidos com os que ocorrem na asma.[editar | editar código-fonte]

==

==

Quando a condição tem um perfil grave, a pele pode ter aparência azulada chamada cianose, especialmente quando verificadas ao redor dos lábios e unhas, sinal claro que existe uma dificuldade de respirar ou oxigênio irregular. Logo que detectado essa evolução da bronquiolite, requer cuidados de emergência médica.[editar | editar código-fonte]

==

==

A criança tem dificuldades em respirar porque a quantidade de ar que entra nos pulmões diminui devido à presença de secreções.[editar | editar código-fonte]

==

==

Sazonalidade[editar | editar código-fonte]

A esmagadora maioria dos casos ocorre entre Novembro e Abril (no hemisfério norte) e o principal agente é o Virus RSV (respiratory syncytial virus), responsável por metade dos caraças da doença[editar | editar código-fonte]

==

==

Como a bronquiolite é uma afecção benigna com melhora espontânea após alguns dias, os maiores perigos para a saúde do bebé estão relacionadas com a ventilação deficiente, quer em termos da Hipóxia quer do risco de infecção respiratória. Para evitar estes problemas, as opções são a aspiração de secreções através de uma colocação de sonda até à traqueia/bronquios principais, ou a Cinesiterapia/Fisioterapia Respiratória que utiliza técnicas não invasivas para promover a eliminação das secreções bronquicas com técnicas de potenciam as respostas fisiológicas normais. Dentro das técnicas de fisioterapia, as desenvolvidas na escola francófona são claramente mais eficientes que as da escola anglo-saxonica. [2][3][4][editar | editar código-fonte]

==

==

Medicação[editar | editar código-fonte]

Uma vez que o principal agente é de origem Viral, numa primeira fase é desaconselhado o uso de antibióticos, a menos que o médico suspeite de infecção bacteriana simultânea (o que é razoavelmente comum, caso a Fisioterapia não seja feita de forma eficiente).[editar | editar código-fonte]

==

==

References[editar | editar código-fonte]

↑ Bronquiolite - Causas, Sinais e Sintomas in Índice de Saúde, 19 de Março de 2013[editar | editar código-fonte]

↑ Crespo S, Lourenço V. Fisioterapia Respiratória no tratamento da bronquiolite. ESSFISIONLINE 2007; 3:31-47.[editar | editar código-fonte]

↑ Diagnosis and Management of Bronchiolitis. Clinical Practice Guideline. Subcommittee on diagnosis and management of bronchiolitis. Pediatrics 2006; 118: 1774-1793.[editar | editar código-fonte]

↑ Lanza F, Gazzotti MR, Luque A, Cadrobbi C, Faria R, Solé D. Fisioterapia Respiratória em Lactentes com bronquilite: Realizar ou não? O mundo da saúde 2008; 32 (2): 183-188.[editar | editar código-fonte]

==

==

Este artigo sobre Patologia (doença) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.[editar | editar código-fonte]

v • e[editar | editar código-fonte]

Patologia do sistema respiratório (J),[editar | editar código-fonte]

Trato respiratório superior[editar | editar código-fonte]

(incl. infecções[editar | editar código-fonte]

e Constipação)[editar | editar código-fonte]

Cabeça[editar | editar código-fonte]

seios paranasais Sinusite[editar | editar código-fonte]

nariz Rinite  Rinite vasomotora Rinite atrófica Febre dos fenos Pólipo nasal Rinorreia Septo nasal  Desvio de septo nasal Perfuração do sento nasal Hematoma do septo nasal[editar | editar código-fonte]

amígdalas Amigdalite Hipertrofia das adenoides Abcesso periamigdalino[editar | editar código-fonte]

Pescoço[editar | editar código-fonte]

faringe Faringite  Faringite estreptocócica Abcesso peritonsilar[editar | editar código-fonte]

laringe Laringotraqueobronquite Laringite[editar | editar código-fonte]

cordas vocais Nódulo das cordas vocais Paralisia das cordas vocais[editar | editar código-fonte]

epiglote Epiglotite[editar | editar código-fonte]

traqueia Traqueíte Estenose traqueal[editar | editar código-fonte]

Trato respiratório inferior[editar | editar código-fonte]

e doenças pulmonares[editar | editar código-fonte]

Bronquiais/[editar | editar código-fonte]

obstrutivas[editar | editar código-fonte]

agudas Bronquite aguda[editar | editar código-fonte]

crónicas Doença pulmonar obstrutiva crónica Asma  Estado asmático Bronquiectasia[editar | editar código-fonte]

inespecífica Bronquite Bronquiolite  Bronquiolite obliterante Panbronquiolite difusa[editar | editar código-fonte]

Intersticiais/[editar | editar código-fonte]

restritivas[editar | editar código-fonte]

(fibroses)[editar | editar código-fonte]

Agentes externos/[editar | editar código-fonte]

ocupacionais[editar | editar código-fonte]

Pneumoconiose  Antracose Asbestose Baritose Berirliose Bissinose Fibrose por bauxita Siderose Síndrome de Caplan Silicose Talcose[editar | editar código-fonte]

Pneumonite de hipersensibilidade  Bagaçose Pulmão dos criadores de pássaros Pulmão de fazendeiro[editar | editar código-fonte]

Outras[editar | editar código-fonte]

Aspergilose pulmonar Edema pulmonar Fibrose pulmonar idiopática Sarcoidose[editar | editar código-fonte]

Síndrome de dificuldade respiratória do adulto Síndrome de Hamman-Rich Síndrome de Löffler/Pneumonia eosinofílica[editar | editar código-fonte]

Obstrutivas ou[editar | editar código-fonte]

restritivas[editar | editar código-fonte]

Pneumonia/[editar | editar código-fonte]

pneumonite[editar | editar código-fonte]

Por patogénio[editar | editar código-fonte]

Viral Bacteriana Atípica bacteriana Micoplásmica Doença do legionário |Fúngica Pneumocistose Parasitária não-infecciosa Química/Síndrome de Mendelson Por aspiração/Lipídica[editar | editar código-fonte]

Por distribuição[editar | editar código-fonte]

Broncopneumonia Lobar[editar | editar código-fonte]

Pneumonia intersticial idiopática[editar | editar código-fonte]

Habitual Descamativa Bronquiolite obliterante com pneumonia em organização Inespecífica Bronquiolite respiratória[editar | editar código-fonte]

Outras[editar | editar código-fonte]

Atelectasia circulatórias  Hipertensão pulmonar Embolia pulmonar Abcesso pulmonar[editar | editar código-fonte]

Pleura/[editar | editar código-fonte]

mediastino[editar | editar código-fonte]

Doenças pleurais[editar | editar código-fonte]

Pleurisia[editar | editar código-fonte]

Pneumotórax/Hemopneumotórax[editar | editar código-fonte]

Derrame pleural  Derrame Maligno Hemotórax Hidrotórax Quilotórax |Piotórax/Empiema Fibrotórax[editar | editar código-fonte]

Doenças mediastinais[editar | editar código-fonte]

Mediastinite Pneumomediastino[editar | editar código-fonte]

Outras/gerais[editar | editar código-fonte]

Insuficiência respiratória Gripe Síndrome respiratória aguda grave Hemossiderose pulmonar idiopática Proteinose alveolar pulmonar[editar | editar código-fonte]

v • e[editar | editar código-fonte]

Resfriado comum[editar | editar código-fonte]

Vírus Rinovírus - Coronavírus - Vírus parainfluenza humanos - Vírus sincicial respiratório humano - Adenovírus - Enterovírus - Metapneumovírus[editar | editar código-fonte]

Sintomas Faringite - Rinorreia - Congestão nasal - Espirros - Tosse - Dores musculares - Fadiga - Mal estar - Dor de cabeça - Fraqueza - Perda de apetite[editar | editar código-fonte]

Complicações Bronquite aguda - Bronquiolite - Crupe - Pneumonia - Sinusite - Otite média - Faringite estreptocócica[editar | editar código-fonte]

Drogas antivirais Pleconaril (experimental)[editar | editar código-fonte]

Patologia[editar | editar código-fonte]

A bronquiolite é a afecção respiratória aguda mais frequente e a principal causa de hospitalização nas crianças nos primeiros dois anos de vida. Ocorre quando as vias aéreas mais estreitas dos pulmões, chamados bronquíolos, ficam inflamadas e acumulam muco.

Causas[editar | editar código-fonte]

Estima-se que 2/3 dos bebês desenvolvam bronquiolite no primeiro ano de vida porque as suas vias aéreas são menores e os pulmões e sistema imunitário ainda não estão completamente desenvolvidos.

Sinais e sintomas[editar | editar código-fonte]

Em geral, são semelhantes aos sintomas de uma congestão persistente ou mesmo um resfriado comum:[1]

  • Corrimento nasal (coriza)
  • Nariz entupido
  • Febre leve (eventualmente)

Logo após uma semana a criança pode desenvolver os sintomas:

  • Chiado, a respiração parece mais difícil ou ruidosa quando respira
  • Respiração rápida ou difícil
  • Batimentos cardíacos rápidos

Alguns dos sintomas acima podem ser confundidos com os que ocorrem na asma.

Quando a condição tem um perfil grave, a pele pode ter aparência azulada chamada cianose, especialmente quando verificadas ao redor dos lábios e unhas, sinal claro que existe uma dificuldade de respirar ou oxigênio irregular. Logo que detectado essa evolução da bronquiolite, requer cuidados de emergência médica.

A criança tem dificuldades em respirar porque a quantidade de ar que entra nos pulmões diminui devido à presença de secreções.

Sazonalidade[editar | editar código-fonte]

A esmagadora maioria dos casos ocorre entre Novembro e Abril (no hemisfério norte) e o principal agente é o Virus RSV (respiratory syncytial virus), responsável por metade dos caraças da doença

Como a bronquiolite é uma afecção benigna com melhora espontânea após alguns dias, os maiores perigos para a saúde do bebé estão relacionadas com a ventilação deficiente, quer em termos da Hipóxia quer do risco de infecção respiratória. Para evitar estes problemas, as opções são a aspiração de secreções através de uma colocação de sonda até à traqueia/bronquios principais, ou a Cinesiterapia/Fisioterapia Respiratória que utiliza técnicas não invasivas para promover a eliminação das secreções bronquicas com técnicas de potenciam as respostas fisiológicas normais. Dentro das técnicas de fisioterapia, as desenvolvidas na escola francófona são claramente mais eficientes que as da escola anglo-saxonica. [2] [3] [4]

Medicação[editar | editar código-fonte]

Uma vez que o principal agente é de origem Viral, numa primeira fase é desaconselhado o uso de antibióticos, a menos que o médico suspeite de infecção bacteriana simultânea (o que é razoavelmente comum, caso a Fisioterapia não seja feita de forma eficiente).

References[editar | editar código-fonte]

  1. Bronquiolite - Causas, Sinais e Sintomas in Índice de Saúde, 19 de Março de 2013
  2. Crespo S, Lourenço V. Fisioterapia Respiratória no tratamento da bronquiolite. ESSFISIONLINE 2007; 3:31-47.
  3. Diagnosis and Management of Bronchiolitis. Clinical Practice Guideline. Subcommittee on diagnosis and management of bronchiolitis. Pediatrics 2006; 118: 1774-1793.
  4. Lanza F, Gazzotti MR, Luque A, Cadrobbi C, Faria R, Solé D. Fisioterapia Respiratória em Lactentes com bronquilite: Realizar ou não? O mundo da saúde 2008; 32 (2): 183-188.


Ícone de esboço Este artigo sobre Patologia (doença) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.