Brutality and Bloodshed for All

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Brutality and Bloodshed for All
Álbum de estúdio de G.G. Allin
Lançamento 1993
Gravação abril de 1993
Gênero(s) Punk rock
Duração 38:43
Gravadora(s) Alive Records
Produção Don Fury, G.G. Allin e os Murder Junkies
Cronologia de G.G. Allin
Último
Último
Anti-Social Personality Dirsorder - Live
(1993)
Hated
(1993)
Próximo
Próximo

Brutality and Bloodshed for All é o álbum final de estúdio de G.G. Allin. Lançado em 1993, todas as músicas nesse álbum foram escritas enquanto G.G. Allin ainda estava na Jackson State Prison. A banda que estrelou no álbum é o "Murder Junkies".

Descrição[editar | editar código-fonte]

Brutality and Bloodshed for All possui uma sonoridade mais limpa e com mais qualidade em relação aos álbuns anteriores de G.G. Allin, e a banda Murder Junkies impôs uma atmosfera mais profissional, algo pouco comum desde que Allin começou com a banda The Jabbers; a guitarra de William Gilmore Webber é particularmente mais pesada, com uma pegada mais heavy metal que punk rock. A performance vocal de Allin também evoluiu e ficou mais agressiva após os anos de abuso de drogas; mais agressivas também ficaram as letras, e o conteúdo extremamente ofensivo acaba por produzir uma figura caricatural, quase humorístico. A temática lírica envolve revolta contra o sistema, a religião e a sociedade.

O vocal de apoio da faixa "Shoot, Knife, Strangle, Beat and Crucify" foi feito por Johnny Puke, o dono do apartamento onde G.G. Allin morreria de overdose de heroína meses depois, ainda em 1993.

Ao contrário do que pode se pensar, o nome da banda de grindcore Anal Cunt não tem sua origem na terceira faixa deste álbum, uma vez que a banda Anal Cunt foi formada em 1988, cinco anos antes. O próprio G.G. Allin manifestou desejo de gravar com o Anal Cunt, mas tal episódio nunca ocorreu devido às turnês e viagens de ambos.

A faixa "Shove That Warrant Up Your Ass" ("Enfie Esse Mandado no Seu Cu") diz respeito ao mandado de prisão que Allin recebeu, e pelo qual cumpriu pena. Na letra, Allin explicitamente fala de seus três anos de cadeia, de passagens por hospital e de várias cidades dos Estados Unidos.

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
All Music Guide 3 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svg [1]
Symbol unlikely.svg Esta tabela precisa de ser acompanhada por texto em prosa. Consulte o guia.

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Highest Power"   GG Allin 0:59
2. "Kill Thy Father, Rape Thy Mother"   GG Allin; Weber 2:25
3. "Anal Cunt"   GG Allin; Merle 3:50
4. "Raw, Brutal, Rough and Bloody"   GG Allin 2:05
5. "Shoot, Knife, Strangle, Beat and Crucify"   GG Allin 4:52
6. "I Kill Everything I Fuck"   GG Allin 2:33
7. "Shove That Warrant Up Your Ass"   GG Allin 2:54
8. "My Sadistic Killing Spree"   GG Allin 2:00
9. "I'll Slice Yer Fucking Throat"   GG Allin 2:05
10. "Terror in America"   GG Allin 2:00
11. "Fuck Off, We Murder"   Aaron; Allin; Weber 2:29
12. "Take Aim and Fire"   GG Allin 2:35
13. "Bastard Son of a Loaded Gun"   GG Allin 2:17
14. "Legalize Murder"   Merle Allin; GG 3:12
15. "Brutality and Bloodshed for All"   GG Allin 3:26

Músicos[editar | editar código-fonte]

Na faixa 5: David Peel, Barbara Kitson, Kambra & Johnny Puke: backing vocals.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de GG Allin é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.