Brutality and Bloodshed for All

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Brutality and Bloodshed for All
Álbum de estúdio de G.G. Allin
Lançamento 1993
Gravação abril de 1993
Gênero(s) Punk rock
Duração 38:43
Gravadora(s) Alive Records
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de G.G. Allin
Último
Último
Anti-Social Personality Dirsorder - Live
(1993)
Hated
(1993)
Próximo
Próximo


Brutality and Bloodshed for All é o álbum final de estúdio de G.G. Allin. Lançado em 1993, todas as músicas nesse álbum foram escritas enquanto G.G. Allin ainda estava na Jackson State Prison. A banda que estrelou no álbum é o "Murder Junkies".

Descrição[editar | editar código-fonte]

Brutality and Bloodshed for All possui uma sonoridade mais limpa e com mais qualidade em relação aos álbuns anteriores de G.G. Allin, e a banda Murder Junkies impôs uma atmosfera mais profissional, algo pouco comum desde que Allin começou com a banda The Jabbers; a guitarra de William Gilmore Webber é particularmente mais pesada, com uma pegada mais heavy metal que punk rock. A performance vocal de Allin também evoluiu e ficou mais agressiva após os anos de abuso de drogas; mais agressivas também ficaram as letras, e o conteúdo extremamente ofensivo acaba por produzir uma figura caricatural, quase humorístico. A temática lírica envolve revolta contra o sistema, a religião e a sociedade.

O vocal de apoio da faixa "Shoot, Knife, Strangle, Beat and Crucify" foi feito por Johnny Puke, o dono do apartamento onde G.G. Allin morreria de overdose de heroína meses depois, ainda em 1993.

Ao contrário do que pode se pensar, o nome da banda de grindcore Anal Cunt não tem sua origem na terceira faixa deste álbum, uma vez que a banda Anal Cunt foi formada em 1988, cinco anos antes. O próprio G.G. Allin manifestou desejo de gravar com o Anal Cunt, mas tal episódio nunca ocorreu devido às turnês e viagens de ambos.

A faixa "Shove That Warrant Up Your Ass" ("Enfie Esse Mandado no Seu Cu") diz respeito ao mandado de prisão que Allin recebeu, e pelo qual cumpriu pena. Na letra, Allin explicitamente fala de seus três anos de cadeia, de passagens por hospital e de várias cidades dos Estados Unidos.

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Highest Power"   GG Allin 0:59
2. "Kill Thy Father, Rape Thy Mother"   GG Allin; Weber 2:25
3. "Anal Cunt"   GG Allin; Merle 3:50
4. "Raw, Brutal, Rough and Bloody"   GG Allin 2:05
5. "Shoot, Knife, Strangle, Beat and Crucify"   GG Allin 4:52
6. "I Kill Everything I Fuck"   GG Allin 2:33
7. "Shove That Warrant Up Your Ass"   GG Allin 2:54
8. "My Sadistic Killing Spree"   GG Allin 2:00
9. "I'll Slice Yer Fucking Throat"   GG Allin 2:05
10. "Terror in America"   GG Allin 2:00
11. "Fuck Off, We Murder"   Aaron; Allin; Weber 2:29
12. "Take Aim and Fire"   GG Allin 2:35
13. "Bastard Son of a Loaded Gun"   GG Allin 2:17
14. "Legalize Murder"   Merle Allin; GG 3:12
15. "Brutality and Bloodshed for All"   GG Allin 3:26

Músicos[editar | editar código-fonte]

Na faixa 5: David Peel, Barbara Kitson, Kambra & Johnny Puke: backing vocals.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de GG Allin é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.