Bucentaure

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bucentaure
Bucentaure
Carreira   Bandeira da marinha que serviu
Data de encomenda 1802
Construção Arsenal de Toulon
Lançamento 1803
Período de serviço 1804-1805
Estado capturado em 21 Outubro de 1805 na Batalha de Trafalgar - mais tarde re-capturado da tripulação britânica. Naufragou em 23 de outubro de 1805[1] .
Características gerais
Deslocamento 1.630 ton.
Comprimento 59,26 m
Boca 15,26 m
Calado 6 m
Tripulação 840 homens

O Bucentaure foi um navio de linha de 80 canhões da Marinha Francesa,navio principal de sua classe. Ele foi a nau capitânia do Vice-Almirante Latouche Tréville, que morreu a bordo em 18 de Agosto de 1804.

O Bucentaure em Trafalgar

O Vice-Almirante Villeneuve hasteou a sua bandeira em 06 novembro de 1804. Na Batalha de Trafalgar, em 21 de outubro de 1805, ele era comandado pelo Capitão Jean-Jacques Magendie. Ele era a nau capitânia de Villeneuve.[2] O HMS Victory, do almirante Nelson, conduzindo a coluna de barlavento da frota britânica, quebrou a linha francesa bem na popa do Bucentaure e logo a frente do Redoutable. O Victory disparou em sua popa menos protegida e ele sofreu baixas de 197 mortos e 85 feridos (incluindo o capitão Megendie); O almirante Villeneuve teve sorte de sobreviver, mas isto pôs efetivamente o Bucentaure fora da maior parte da luta. Após três horas de combates, ele se rendeu ao capitão James Atcherly dos Marines do HMS Conqueror.[3]

É suposto Villeneuve ter perguntado a quem ele estava se rendendo. Ao ser informado que era o Captain Pellew, ele respondeu: "Não há vergonha em se entregar ao galante Sir Edward Pellew." Quando ele foi informado de que o capitão do Conqueror (Israel Pellew) era o irmão de Sir Edward, ele disse, "A Inglaterra te a sorte de ter tais dois irmãos".

Nos dias seguintes, a tripulação do Bucentaure se levantou contra a tripulação britânica posta a bordo de navio apresado, e recapturou o navio. No entanto, ele naufragou na tempestade com forte vendaval em 23 de Outubro de 1805[4] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Colomb, Philip Howard. The battle of Trafalgar. [S.l.]:
    W. Clowes & sons, limited, 1905. 18 pp.
    Url
  • Corbett, By Sir Julian Stafford. The campaign of Trafalgar, Volume 2. [S.l.]:
    Longmans, Green, and co., 1919. 538 pp.
    Url

Referências

  1. Goodwin, Peter. The Ships of Trafalgar: The British, French and Spanish Fleets October 1805 (em ). Annapolis: Naval Institute Press, 2005. 256 pp. p. 164-165. ISBN 1-59114-824-3.
  2. Pocock, Tom (editor). Trafalgar: An Eyewitness History (em ). London: Penguin Books, 2005. 238 pp. p. 55. ISBN 978-0-141-44150-4.
  3. Gardiner, Robert. The Campaign of Trafalgar: 1803-1805 (em ). Great Britain: The Caxton Publishing Group, 2001. 192 pp. p. 135. ISBN 1-84067-3583.
  4. Corbett, Sir Julian Stafford. Url The campaign of Trafalgar (em ). [S.l.]: Longmans, Green, and co., 1919. 538 pp. p. 435-440. vol. 2.