Bucerius Institute for Research of Contemporary German History and Society

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.


O Instituto Bulcerius para a Pesquisa da Sociedade e da Historia da Alemanha Contemporanea da Universidade de Haifa foi fundado no ano de 2001 pela ZEIT-Stiftung Ebelin e Gerd Bucerius e seu presidente, Professor Dres.h.c. Manfred Lahnstein.[1] O Instituto dedica-se ao estudo social e historico da Alemanha Contemporânea. O fundador e primeiro diretor do Instituto foi o Professor Yafaat Weiss. Desde 2008 Dr.Amos Morris-Reich è o diretor do instituto Bulcerius.

Pesquisa[editar | editar código-fonte]

O instituto promove a pesquisa sobre a realidade histórica, social, cultural e política da Alemanha Contemporânea e trabalha para criar uma familiarização e compreensão da Alemanha moderna entre a comunidade acadêmica. O instituto ainda facilita a troca entre Alemanha, Europa e Israel. A variedade das temáticas e metodologia que o programa do Instituto tratou na década passada inclui questões sobre a identidade, migração, integração, multiculturalismo, cidadania e liberalismo, a questão da raça, história visual e a história da ciência no contexto alemão, israelense e europeu. O Instituto Bucerius quer envolver diferentes disciplinas e metodologias, períodos históricos e contextos geográficos na Alemanha moderna e na história hebraica que possam revelar aspectos complexos da Alemanha contemporânea. O Instituto tornou-se uma importante fonte de informações quanto a específicos desenvolvimentos depois da guerra na Alemanha e em geral na Europa. Esta informação é regularmente utilizada por estudantes e acadêmicos da Universidade de Haifa e em geral é aberta ao público.

Atividade pública e acadêmica[editar | editar código-fonte]

Todos os anos o instituto organiza conferências, workshops e seminários como “Queer experiences during the Third Reich and the Holocaust" e "Concepts of "Race" in the Humanities", que têm tratado de diferentes temáticas de interesse do Instituto e têm contribuído a criar discussões entre acadêmicos e estudantes. Excepcionais personagens públicos alemães como Rita Süssmuth, Josef Joffe e Wolf Biermann[2] fizeram conferências em ocasião de eventos especiais dentro do instituto.

Ocasionalmente o instituto organiza eventos especiais, como comentários cinematográficos e espetáculos musicais que atraem um grande público de fora da universidade. Em 2007 o instituto participou da organização de um festival de cinema, sobre o “Cinema alemão dentro da cortina de ferro”, e em 2008 hospedou um drama musical com o titulo “O mito e a vida real de Marlene Dietrich”.

Bolsa de estudo e trocas acadêmicas[editar | editar código-fonte]

O Instituto Bucerius possui um ativo programa de troca per MA e Ph.D, para os estudantes com bolsa de estudo. Numerosos estudiosos de pesquisas, em visita, tiveram conferências e seminários sobre os auspícios do instituto. O instituto contribui com a pesquisa da Alemanha contemporânea em Israel e com colaboração com estudiosos provenientes de Israel e do exterior. O Instituto Bucerius tem parcerias com diversos institutos de pesquisa internacional, como o Leo Baeck Institute, la Fondazione alemã-israelita (GIF) para a Pesquisa Científica e o Crescimento, o Simon Dubnow do Instituto de História e Cultura Hebraica, o Instituto de Hamburgo para a Pesquisa Social, o Instituto para a História dos hebreus alemães, o Grupo de Pesquisa "Didática de Biologia" da 'Universidade de Jena, as várias fundações do partido alemão em Israel e outros institutos acadêmicos na Alemanha e em Israel.

Publicações[editar | editar código-fonte]

Em março de 2005, o Instituto Bucerius publicou “Memória e Amnésia: O Holocausto na Alemanha”, a cura de Gilad Margalite Yfaat Weiss (em hebraico). Este volume representa o produto final de um laboratório semanal organizado do Instituto Burcerius em 2001/2002 da parte de pesquisadores “leader” da Shoah em Israel, Alemanha, Europa e Estados Unidos.[3] O laboratório utilizou historiografia, gêneros literários e a cinematografia para analisar as narrações sobre a vítima, o culpado e os espectadores na ópera em que tratam o Holocausto. E, também, alguns ensaios do convenho “A Europa e Israel: quo vadis?”. Em matéria de “re-emigração”, foram introduzidas no “Livro do Ano Leo Baeck Instituto 2004”.[4] Alèm disso, o professor Yfaat Weiss publicou um artigo e, em colaboração com o Professor Ulrich Bielefeld, o editorial “Mittelweg 36. O Jornal do Instituto di Amburgo para a Pesquisa Social, Anuario 13 de Outubro/Novembro 2004”.[5] Existem numerosas publicações dos membros associados do instituto relacionadas à historia atual da Alemanha e o relacionamento entre hebreus e não hebreus na Alemanha, Europa e Israel.

Referências

  1. Newsletter Universidade de Haifa, 03/2001, p. 3.
  2. Newsletter Universidade de Haifa, 01/2007, p. 11.
  3. Margalit Gilad and Yfaat Weiss(Hrsg.): "Memory and Amnesia: The Holocaust in Germany" (In Hebrew), Hakibbutz Hameuchad Publishing House Ltd., 2005.
  4. Leo Baeck Institute Yearbook. 49, 2004.
  5. "Mittelweg 36. Zeitschrift des Hamburger Instituts für Sozialforschung, Jahrbuch 13 Oktober/November 2004".

Ligações externas[editar | editar código-fonte]