Budô

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Espada japonesa mostrando a lâmina manga habaki e a mão guarda tsuba

Budô (em japonês: 武道; lit. caminho marcial) são as artes ou caminhos marciais de origem japonesa.

São considerados a versão moderna do antigo bujutsu (em japonês: 武術; lit. técnica marcial), as artes marciais tradicionais.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Budô[editar | editar código-fonte]

Budô é um composto da raiz bu (em japonês: 武:ぶ), que significa a guerra ou as artes marciais, e do (em japonês: 道:どう), o caminho de sentido ou forma. Especificamente, Do é derivada do sânscrito marga budista (o que significa o "caminho" para a iluminação). O termo remete à ideia de formulação de proposições, submetê-los à crítica filosófica e, em seguida, na sequência de um "caminho" para realizá-los. Não significa um "modo de vida". fazer no contexto japonês, é um termo experiencial, experimental, no sentido de que a prática (o modo de vida) é a norma para verificar a validade da disciplina cultivada através de uma determinada forma de arte. O budô moderno não tem nenhum inimigo externo, só o inimigo interno, uma de ego que deve ser combatido (estado de Mushin-Muga).

Budô e bujutsu[editar | editar código-fonte]

Bujutsu é um composto de raízes bu (em japonês: ) e jutsu (em japonês: 术:じゅつ) que significa ciência, ofício, ou arte. O budô é mais freqüentemente traduzido como "o caminho da guerra", ou "caminho marcial ", enquanto bujutsu é traduzido como "ciência da guerra" ou "ofício marcial". No entanto ambos, budô e bujutsu, são utilizados com o termo "arte marcial".

O budô e o bujutsu tem uma diferença bastante delicada. Enquanto o bujutsu só dá atenção para a parte física de luta (a melhor maneira de derrotar um inimigo), o budô também dá atenção para a mente e como se deve desenvolver-se. O budô moderno usa aspectos do estilo de vida dos samurais do Japão feudal e os traduz para o auto-desenvolvimento na vida moderna.

História[editar | editar código-fonte]

O bujutsu era um conjunto de disciplinas marciais que podiam ser treinadas apenas pelos bushi (ou samurais) visando seu uso em batalha. Alguns exemplos são: kenjutsu (técnica da espada), iaijutsu (técnica de desembainhar a espada), sojutsu (técnica da lança), kyujutsu (técnica do arco), naginatajutsu (técnica da alabarda), jujutsu (técnica suave), aikijujutsu (técnica suave com harmonização do ki), entre outros.

O Ninjútsu era o conjunto das técnicas usadas pelos Ninjas. Incluía táticas de guerrilha, guerra psicológica, arte do disfarce, espionagem, combate corpo a corpo, etc. Durante a II Guerra Mundial, o Japão ensinou técnicas ninjas a espiões num centro de treinamento secreto.[1]

A partir do Xogunato Tokugawa (século XVII), com a estabilização e pacificação do Japão, o bujutsu começa a perder sua importância como instrumento de guerra e a ganhar uma conotação mais formadora e educacional. Após a restauração Meiji, que terminou com o Xogunato e a sociedade estratificada, a classe guerreira deixou de existir e, assim, nada mais restava das antigas circunstâncias que sustentavam as tradicionais técnicas de guerra. Elas haviam perdido completamente seu propósito original.

Para preservar o patrimônio marcial japonês foram necessárias mudanças para se conformar com os novos tempos. Uma das mudanças foi a dos objetivos. A nova finalidade não poderia ser mais a guerra, já que boa parte das técnicas, já naquela época, eram anacrônicas tendo em vista os equipamentos e armamentos modernos. Outra mudança foi em relação ao público que tinha acesso às antigas técnicas: os samurais já não existiam.

A nova finalidade foi explicitar o caráter formador e educacional em detrimento da busca pela eficiência letal. Através do treino das técnicas se cultivaria corpo, mente e espírito para o auto-desenvolvimento. E as técnicas estavam abertas para toda a sociedade. Por essas razões, muitas técnicas foram adaptadas e algumas até eliminadas. Não deveriam ser mais, técnicas que visavam a guerra e a morte, exclusivas dos samurais, mas caminhos educacionais para o aperfeiçoamento humano que estavam ao alcance de qualquer um. Esta é a origem do budô.

Alguns budô[editar | editar código-fonte]

O judô (柔道 - caminho suave) foi um dos primeiros budô modernos. Jigoro Kano percebeu o valor educacional do budô e, no caso dele, compilou diversos estilos de jujutsu e idealizou uma disciplina para o novo Japão.

Seguindo este exemplo, vieram diversas outras como o kendô (剣道 - caminho da espada), o iaidô (居合道 - caminho de desembainhar a espada), o kyudo (弓道 - caminho do arco), o naguinata-do (薙刀道 - caminho da alabarda), o aikidô (合気道 - caminho da harmonização do ki), o karatê-dô (空手道 - caminho das mãos vazias) e assim por diante.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Japan Daily Press - WWII Ninjas? Secret spy school taught ninjutsu skills to soldiers. 21 de Junho de 2012. Página acessada em 21/10/2013.