C+C Music Factory

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
C+C Music Factory
Informação geral
País  Estados Unidos
Gênero(s) Dance-pop
House Music
Período em atividade 1987 - presente
Gravadora(s) Vendetta/A&M/PolyGram

Columbia Records/SME Records MCA Records

Integrantes Robert Clivillés
Zelma Davis
Martha Wash
Freedom Williams
Deborah Cooper
Trilogy
Paul Pesco
Q-Unique

C+C Music Factory foi um projeto dos produtores americanos de pop/dance music dos anos 1990 Robert Clivillés e David B. Cole.

Origem[editar | editar código-fonte]

Robert começou sua carreira na música como DJ em pequenas festas da escola e dos amigos em Nova York. Já David, no Tenessee, teve contato com piano e começou a cantar no coro da igreja. O primeiro trabalho juntos foi em uma casa noturna em Nova York, a Better Days, no final de década de 1980, com David Cole nos teclados.[1]

O single “Do it Properly” foi a estréia na produção da dupla com o nome de 2 Puerto Ricans, A Black Man & A Dominican. Eles criaram um selo para lançar o single e a música tocou muito nas antigas discotecas em 1989. O resultado agradou e os produtores resolveram investir mais na parceria.

A dupla trabalhou junto em alguns projetos importantes, como o disco “Emotions”, o segundo de Mariah Carey. Eles utilizaram bastante as notas altas que a cantora alcançava, o que a fizeram famosa. Já na trilha sonora do filme “O Guarda Costas”, eles trabalharam na produção e arranjos das músicas, na maioria dos vocais de Whitney Houston. A trilha sonora vendeu 18 milhões de cópias só nos Estados Unidos, recebeu um Grammy e foi indicada ao Oscar na categoria melhor canção (“I Have Nothing”).

Em 1990, eles lançaram o primeiro álbum como C+C Music Factory, “Gonna Make Sweat (Everybody Dance Now!)”. Pop, dance e rap estavam presentes no disco, que foi puxado pelo sucesso da faixa título. A música “Gonna Make Sweat…” teve participação de Martha Wash nos vocais e Freedom Williams, um rapper que havia trabalhado com New Kids on the Block. A faixa-título foi número um nos Estados Unidos e três na Inglaterra. Outros dois singles tornaram-se hits: “Here We Go” e “Things That Make You Go Hmmmm....”.

Embalados no sucesso, em 1992 eles lançaram “Greatest Remixes, Vol. 1”, uma compilação do trabalho como C+C Music Factory e com outros artistas. Um dos destaques foi a música “Pride (In the Name of Love)”, que tornou-se o hit do disco e havia sido gravada anteriormente pelo U2.[2]

Após janeiro de 1995, Cole morreu de uma meningite espinhal, causado pelo enfraquecimento de seu sistema imunológico devido a AIDS, o seu parceiro continuou a utilizar o o nome C + C sozinho.[3]

Membros[editar | editar código-fonte]

C + C Music Factory consistiu basicamente de dois produtores e variou gravação de vocalistas particulares no projeto:[4]

Membros Principais[editar | editar código-fonte]

Membros de Apoio[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.