Cássio Querea

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Cássio Querea (em latim Cassius Chaerea; 12 a.C.41) foi um membro da Guarda Pretoriana que esteve envolvido no assassinato do Imperador romano Calígula.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cássio serviu como jovem (adulescens) em 14 d.C. como centurião na legião estacionada no rio Reno sob o comando de Germânico. Durante o motim das legiões, ele teria sido advertido sobre maus-tratos ou por matar aos que resistiam.[1] Mais tarde, ele foi tribuno militar da Guarda Pretoriana em Roma. Existem relatos que afirmam que o Imperador Calígula constantemente o humilhava por suas maneiras supostamente afeminadas.[2] Como vingança,[3] juntamente com seu colega de tribuna Cornélio Sabino, ele conspirou contra o imperador e em 24 de janeiro de 41, fez suas vítimas; assassinando também a mulher de Calígula, Milônia Cesônia e sua filha, Júlia Drusila.[4]

Ele era contra a nomeação de Cláudio como sucessor de Calígula. No entanto, Cláudio tornou-se imperador e, sob a acusação de conspiração, Cássio acabou sendo condenado à morte no mesmo ano.[5]

Referências

  1. Tácito, Anais 1, 32, 2: Cassius Chaerea, mox caede Gai Caesaris memoriam apud posteros adeptus, tum adulescens et animi ferox, inter obstantis et armatos ferro viam patefecit.
  2. Suetônio, Caligula 56, 2.
  3. Existem muitas versões sobre os motivos do assassinato, havendo quem afirme que os conspiradores tinham a intenção de restaurar a República e que o assassinato foi motivado pelos problemas pessoais entre Cássio e Calígula.
  4. Dião Cássio 59, 29.
  5. Dião Cássio 60, 3, 4.