Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Janeiro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros, acadêmico)Yahoo!Bing.

Khan, kan ou (em mongol e em turco, "dirigente"; fem.: khatun) é um título dado aos soberanos mongóis que reinaram na China, na Mongólia e em algumas nações das estepes centrais da Ásia.[1]

Um khan controla um khanato. Para os os imperadores, utiliza-se o título khagan, ou seja, "rei dos reis".

O termo, originalmente utilizado para denominar chefes tribais mongóis, é frequentemente traduzido como "soberano" ou como "aquele que comanda", principalmente devido à ascensão mongol no período de Genghis Khan.

Desde o período de dominação mongol na Ásia, a partir do Século XIII, o termo khan enraizou-se em diversas nações, e seus soberanos, como os reis da Pérsia e sultões Seljúcidas e Otomanos adotaram esse título.[2] [3] [4] Mesmo no século XX, alguns governantes republicanos ainda usavam o título Khan para demonstrar seu poder político em países como Afeganistão, Paquistão e Uzbequistão.

Referências

  1. Boscov, Isabela (22/07/2009). Os Lobos da Estepe Revista Veja. Página visitada em 24/07/2009.
  2. Carter Vaughn Findley. Turks in World History, Oxford University Press, 2005, p. 45
  3. Fatima Mernissi, The Forgotten Queens of Islam, University of Minnesota Press, 1993. p. 21
  4. Leslie P. Peirce, The Imperial Harem: Women and Sovereignty in the Ottoman Empire, Oxford University Press, 1993. p. 312

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.