Cécrope I

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Representação de Cécrope I

O nome Cécrope (em grego, Κέκροψ) significa "face com cauda" e diz-se que este mítico rei grego, nascido da própria Terra, tinha a sua metade superior com forma humana e a sua metade inferior com forma de serpente1 ou com cauda de peixe.

A maioria dos analistas antigos classificam Cécrope como autóctone ou filho da Terra (Gaia),1 2 3 mas Higino, em outra parte, diz que ele era filho de Vulcano4 e Jerônimo de Estridão que ele era egípcio.5

Ele foi o fundador e o primeiro rei de Atenas, embora precedido na região pelo rei Acteu da Ática. Cécrope governou Atenas de 1558 a 1508 a.C., pelos cálculos de Jerônimo de Estridão5

Cécrope foi um herói cultural, ensinando aos atenienses o casamento, a leitura, a escrita e o cerimonial de sepultamento.

Durante o seu governo Atena tornou-se a padroeira da cidade numa competição com Posídon que Cécrope julgou. Eles concordaram que cada um daria aos atenienses um presente e Cécrope escolheria qual dos dois presentes era melhor. Posídon bateu na rocha da acrópole com o seu tridente e uma fonte emergiu; a água era salgada e não foi julgada muito útil, enquanto que Atena bateu na rocha com a sua lança e uma oliveira emergiu. Cécrope julgou que a oliveira era o presente melhor porque produzia madeira, óleo e comida, e conseqüentemente aceitou Atena como a padroeira da cidade. Posídon, num raro espetáculo de magnanimidade, decidiu doar o seu presente desprezado, se bem que a sua natureza inicialmente foi mal-compreendida: isso significava representar a força do mar, que Atenas foi exercer gloriosamente no futuro.

A acrópole foi também conhecida como Cecropia em sua homenagem.

Cécrope I casou-se com Aglauro, filha de Acteu,6 com quem teve três filhas, Herse, Pândroso e Aglauro, e um filho Erisictão.6 7 A elas foi dada uma caixa ou jarro contendo o infante Erictônio guardado despercebido. Elas olharam, e apavoraram-se pelas duas serpentes que Atena deixara dentro guardando a criança, elas correram em terror e saíram da acrópole à suas mortes. Algumas explicações dizem que uma das irmãs foi transformada em pedra.

Erisictão morreu antes de Cécrope, e ele foi sucedido por Cranau, o mais poderoso dos atenienses.7

Os analistas antigos consideram que este rei é diferente de outro rei de Atenas, Cécrope II,8 mas Isaac Newton, em sua análise da cronologia antiga, considerou que houve apenas um rei Cécrope, um dos pastores do Egito (os hicsos);9 ele construiu a Cecropia em 1080 a.C. e foi sucedido por Cranau em 1045 a.C..9

Ver também[editar | editar código-fonte]

Árvore genealógica baseada em Pseudo-Apolodoro:

 
 
 
 
autóctone
 
 
 
 
 
 
Acteu
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Cécrope
 
 
 
 
 
 
Aglauro
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Erisictão
 
 
Aglauro
 
 
Herse
 
 
 
Pândroso
Precedido por
Acteu
Rei de Atenas
1558 a.C. - 1508 a.C.
Sucedido por
Cranau

Referências

  1. a b Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.14.1
  2. Higino, Fabulae, XLVIII, Reis dos atenienses
  3. Antonino Liberal, Metamorphoses, 6
  4. Higino, Fabulae, CLVIII, Filhos de Vulcano
  5. a b Jerônimo de Estridão, Chronicon
  6. a b Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.14.2
  7. a b Descrição da Grécia, 1.2.6, por Pausânias (geógrafo)
  8. Pausânias (geógrafo), Descrição da Grécia, 1.5.3
  9. a b Isaac Newton, The Chronology of Ancient Kingdoms, A Short Chronicle from the First Memory of Things in Europe, to the Conquest of Persia by Alexander the Great