Célula (música)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Em música, uma célula pode ser definida como "o menor elemento constitutivo da ideia musical. Compõe-se de uma sucessão de dois ou mais valores musicais, para o caso de uma célula rítmica, e/ou um intervalo, para o caso de uma célula melódica."[1]

O significado de célula muitas vezes se confunde com os de figura ou motivo.

A diferença entre célula e motivo, reside no fato de que uma célula passará a ser considerada um motivo se for freqüentemente apresentada durante a obra quer de maneira inalterada, quer como uma variação da célula inicial.[2]

Em resumo, segundo Bitondi[2] uma célula será considerada um motivo se for desenvolvida ao longo da obra e se for responsável pela unidade da obra como um todo.

Outras definições[editar | editar código-fonte]

A Encyclopédie Larousse[3] define uma célula como:

  • "um pequeno desenho melódico e rítmico que pode ser isolado ou que que pode ser parte de um contexto temático. Uma célula pode ser desenvolvida independente de seu contexto, como um fragmento melódico. Pode ser s orIgem para a estrutura da obra, situação em que é chamada de célula geradora"

A Encyclopédie Fasquelle,[4] define um célula do seguinte modo:

  • "um termo numa composição musical utilizado para discutir obras cíclicas. É a menor unidade indivisível. A célula se distingue do motivo, que pode ser dividido e a própria célula pode ser utilizada como um motivo desenvolvível".

Referências

  1. PICCHI, Achille. introdução a uma análise musical, in BITONDI, Matheus Gentile. A estruturação melódica em quatro peças contemporâneas. 99 f. Dissertação (Mestrado em música). Instituto de Artes, Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho – UNESP. 2006
  2. a b BITONDI, Matheus Gentile. A estruturação melódica em quatro peças contemporâneas. 99 f. Dissertação (Mestrado em música). Instituto de Artes, Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho – UNESP. 2006
  3. Encyclopédie Larousse, 1957 in NATTIEZ, Jean-Jacques. Music and Discourse: Toward a Semiology of Music (Musicologie générale et sémiologue, 1987). New Jersey:Princeton University Press, traduzido para o inglês por Carolyn Abbate. 1990. ISBN 0-691-02714-5.
  4. MICHEL,François. LESURE, François. FÉDORON, Vladimir. Encyclopédie de La Musique. Paris:Fasquelle. 1958

Ver também[editar | editar código-fonte]