César Barônio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
César Barônio
Cardeal da Santa Igreja Romana
Bibliotecário da Biblioteca Vaticana

Título

Cardeal-presbítero de São Nereu e Santo Aquiles
Ordenação e Nomeação
Ordenação Presbiteral 27 de maio de 1564
Cardinalato
Criação 5 de junho de 1596, pelo Papa Clemente VIII
Brasão
CardinalnobishopCOAPioM.svg
Dados Pessoais
Nascimento Sora
30 de outubro de 1538
Falecimento Roma
30 de junho de 1607 (68 anos)
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Cesare Baronio ou Caesar Baronius C.O. (Sora, 30 de outubro de 1538 - Roma, 30 de junho de 1607) foi um historiador, religioso e cardeal italiano. Membro da Congregação do Oratório, seu nome é associado com a preparação dos primeiros volumes dos Annales ecclesiastici (a história da Igreja desde suas origens até 1198) e a revisão do Martirológio Romano (1586 - 1589).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Único filho de Camillo e Porzia Febonia, pertencia a uma rica família de origem napolitana: seu nome verdadeiro era Barone, e depois para o latim Baronius, a partir do qual é derivado a forma Barônio.

Estudou em Verona, Nápoles e Roma, onde recebeu um doutorado em Direito, decidiu abraçar a vida religiosa contra a vontade dos pais e conhecendo Filipe Néri, entrou na Congregação do Oratório na igreja de São Jerônimo da Caridade, em Roma, em 20 de maio de 1561.

Foi ordenado padre em 27 de maio de 1564, recusou inúmeras homenagens e comandos eclesiásticos, para ser capaz de continuar a cooperar estreitamente com o Oratório.

A Obra[editar | editar código-fonte]

Após a aprovação final da sua ordem eclesiástica em 15 de julho de 1575, foi eleito para a igreja de Santa Maria em Vallicella, onde se dedicou a escrever suas obras: a revisão do Martirológio Romano, cargo que tinha sido confiado pelo Papa Gregório XIII e ao cardeal Guglielmo Sirleto, que terminou em 1589 e que foi publicada sob o título Martyrologium Romanum, cum Notationibus Caesaris Baronii e, sobretudo, os Annales ecclesiastici. Ele supervisionou a criação até a sua morte, chegando a publicar o volume XII: dos Annales representa uma das primeiras peças reais da história da Igreja Católica, com base em uma análise crítica, cuidadosa e profunda das fontes documentais.

Cardinalato[editar | editar código-fonte]

Em 1593, ele sucedeu a Filipe Néri (aposentado por motivos de saúde) como Superior Geral da Congregação do Oratório, também foi escolhido pelo Papa Clemente VIII como o seu confessor pessoal e foi nomeado "protonotário apostólico" em 1595.

No Consistório de 5 de junho de 1596, Clemente VIII fez dele um cardeal do título dos Santos Nereu e Aquiles: tratou da reconciliação de Henrique IV da França (que tinha abjurado o calvinismo) com a Igreja (contra o parecer da Congregação do Santo Ofício) e supervisionou a devolução do ducado de Ferrara para os Estados Pontifícios e também foi nomeado cardeal bibliotecário da Biblioteca Vaticana.

Participou dos conclaves de 1605 (que elegeriam os papas Leão XI e Paulo V), e seu nome também foi mencionado como papabile, mas sua eleição foi prejudicada pela Espanha (Baronio foi pró-francês e tinha publicado o Tractatus de Monarchia Siciliae contra o domínio espanhol no sul da Itália).

Ele morreu em 1607 em sua cela em Santa Maria, em Vallicella, onde foi sepultado.

Em 12 de janeiro de 1745 o Papa Bento XIV o proclamou Venerável.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre César Barônio

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Salvatore Aurigemma, Per Cesare Baronio scritti vari nel terzo centenario della sua morte
  • Francesco Ruffini, Perche Cesare Baronio non fu Papa, contributo alla storia della monarchia sicula e del Jus esclusivae, Perugia, Stab. Tip. Vincenzo Bartelli & c., 1910.
  • Giuseppe De Libero, Cesare Baronio, padre della storia ecclesiastica, con prefazione di Pietro Fedele, Alba, Pia Societa San Paolo, 1939.
  • Angelo Giuseppe Roncalli, Il cardinale Cesare Baronio. Nel terzo centenario della sua morte, Monza 1908 (III ed. Edizioni di Storia e letteratura, Roma, 1961).
  • Hubert Jedin, Il cardinale Cesare Baronio, l'inizio della storiografia ecclesiastica cattolica nel sedicesimo secolo, Brescia, Morcelliana, 1982.
  • Baronio storico e la Controriforma. Atti del Convegno Internazionale di Studi, Sora, 6-10 de outubro de 1979, a cura di Romeo De Maio, Luigi Gulia, Aldo Mazzacane, Sora, Centro di Studi Sorani «Vincenzo Patriarca», 1982 (Fonti e Studi baroniani, 1).
  • Baronio e l'arte. Atti del Convegno Internazionale di Studi, Sora, 10-13 de outubro de 1984, a cura di Romeo De Maio, Agostino Borromeo, Luigi Gulia, Georg Lutz, Aldo Mazzacane, Sora, Centro di Studi Sorani «Vincenzo Patriarca», 1985 (Fonti e Studi baroniani, 2).
  • Gennaro Toscano, Baronio e le immagini, s. l. [Sora], Centro di Studi Sorani «Vincenzo Patriarca», 1985, extraído de: Baronio e l'Arte. Atti del Convegno Internazionale di Studi, Sora, 10-13 de outubro de 1984, a cura di Romeo De Maio, Agostino Borromeo, Luigi Gulia, Georg Lutz, Aldo Mazzacane, Sora, Centro di Studi Sorani «Vincenzo Patriarca», 1985, pp. 412–423.
  • Stefano Zen, Bellarmino e Baronio, in Bellarmino e la Controriforma. Atti del Simposio Internazionale di Studi, Sora, 15-18 de outubro de 1986, a cura di Romeo De Maio, Agostino Borromeo, Luigi Gulia, Georg Lutz, Aldo Mazzacane, Sora, Centro di Studi Sorani «Vincenzo Patriarca», 1990 (Fonti e Studi baroniani, 3), pp. 277–321.
  • Stefano Zen, Baronio storico. Controriforma e crisi del metodo umanistico, Napoli, Vivarium, 1994 (La Ricerca Umanistica, 2).
  • Giuseppe Antonio Guazzelli, Cesare Baronio e il Martyrologium Romanum: problemi interpretativi e linee evolutive di un rapporto diacronico, in Nunc alia tempora, alii mores. Storici e storia in età postridentina. Atti del Convegno Internazionale. Torino, 24-27 de setembro 2003, a cura di Massimo Firpo, Firenze, Olschki, 2005, pp. 47–89.
  • Giuseppe Finocchiaro, Cesare Baronio e la tipografia dell'Oratorio. Impresa e ideologia, Firenze, Olschki, 2005 (Storia della tipografia e del commercio libraio, 6).
  • Stefano Zen, Cesare Baronio e i suoi libri, in I libri di Cesare Baronio in Vallicelliana, a cura di Giuseppe Finocchiaro, Roma, Biblioteca Vallicelliana e Amici delle Biblioteche, 2008, pp. 11–50.
  • Baronio e le sue fonti. Atti del Convegno Internazionale di Studi, Sora, 10-13 de outubro de 2007, a cura di Luigi Gulia, Sora, Centro di Studi Sorani «Vincenzo Patriarca», Sora 2009, LVIII+966 p, con 245 ill. b/nero e a colori (Fonti e studi baroniani, 4).
  • Cesare Baronio tra santità e scrittura storica. Atti del Colloquio Internazionale, Roma, 25-27 giugno 2007, a cura di Francesco Scorza Barcellona, Raimondo Michetti e Giuseppe Antonio Guazzelli, in corso di stampa.
  • I libri di Cesare Baronio in Vallicelliana, a cura di Giuseppe Finocchiaro, Roma, Biblioteca Vallicelliana, 2008 (fonti e studi Vallicellani, 1)
  • Edoardo Aldo Cerrato, Il Venerabile Cardinale Cesare Baronio, Editrice Velar, Gorle (Bergamo), 2010.

Vide também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Giovanni Francesco Morosini
Brasão cardinalício
Cardeal-presbítero de
São Nereu e Santo Aquiles

1596-1607
Sucedido por
Innocenzo del Bufalo-Cancellieri
Precedido por
Marco Antonio Colonna
Coat of arms of the Vatican City.svg
Bibliotecário da Biblioteca Vaticana

1597-1607
Sucedido por
Ludovico de Torres