Cícero Lins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Cícero Rosa Lins, mais conhecido por Cícero, (Rio de Janeiro, RJ, 7 de abril de 1986) é um compositor brasileiro,

Uma dos nomes mais interessantes da chamada Retomada da MPB dessa década, Cícero lançou em 2011 seu primeiro cd, Canções de Apartamento, gravando e tocando todos os instrumentos em seu apartamento e o disponibilizando para download gratuito em seu site e em sua página no Facebook.

Composto por 10 canções com atmosfera caseira, o disco teve enorme repercussão na rede ao misturar inúmeras referências melódicas, harmonicas e literárias em 10 canções confessionais.

Formado em Direito, Cícero conseguiu grande visibilidade em pouco tempo por ter seu trabalho visto como um pensamento amplo sobre a música e poesia brasileira. Ao dialogar com os conceitos de arte pós-contemporânea, Cícero estabeleceu links entre as mais diversas obras e castas da música e poesia brasileira em um tratado sobre o entendimento de referências em nosso tempo, encerrando a obra com a síntese do pensamento do disco: "Não vai sobrar nada pra ser, mas quem se importa? é sexta-feira!"

O disco ganhou projeção rápida na rede, se tornando viral, com auxílio do download gratuito e do clipe de "Tempo de Pipa", que bateu a marca de 1 milhão de visualizações.

Ao lado de Michel Teló, foi o maior vencedor do Prêmio Multishow de Música Brasileira de 2012, nas categorias Música Compartilhada (pelo seu disco) e Versão do Ano (pela sua versão de Conversa de Botas Batidas, do Los Hermanos).[1]

Cícero foi elogiado por artistas como Marisa Monte, Maria Gadú, Lenine, Paulinho Moska e Marcelo Camelo. Além de ser indicado como melhor disco de MPB no Primeiro Prêmio MPBfm Contigo! de música brasileira e de ter figurado em quase todas as listas de melhores discos de 2011.

Gravado novamente de forma caseira, Cícero lança em 2013 seu segundo disco: Sábado, continuação do disco anterior, desta vez com as ilustres e discretas participações de Marcelo Camelo, SILVA e Mahmundi. O segundo disco do músico carioca foi em aparente sentido contrário ao primeiro em termos estéticos com composições e arranjos menos assertivos e lírica fragmentada. A crítica especializada se dividiu e o disco não teve a mesma aprovação do primeiro, sendo considerado "um passo a frente" para alguns ou "um passo para trás" para outros.

As opiniões dos recentes fãs também se dividiram.

Em Canções de Apartamento a tônica estética foi o uso do violão em canções referenciais em contraponto a guitarras distorcidas e refrões de forte apelo, em Sábado a principal mudança sonora foi a incorporação de Sub graves na construção das melodias, a retirada dos agudos e a fragmentação textual, se afastando do formato de canção e se aproximando do pensamento minimalista na confecção dos arranjos.

Outro aspecto importante na recente obra do músico é o uso cromático do som. No seu primeiro disco o som é "colorido" como a capa, tantos no tema das letras quando na equalização do som, em Sábado o disco é monocromático, Azul-final-de-tarde segundo o próprio, aliando ao conteúdo das letras uma atmosfera "pesada".

Dialogando mais profundamente com os conceitos de arte pós-contemporânea em Sábado, Cícero vem construindo com sua obra um tratado sobre a década de 10, não só em relação às composições, mas também sobre aspectos mercadológicos, sendo o primeiro artista brasileiro a ser distribuido por uma gravadora (DECK) e também ter os discos legalmente disponibilizado para download gratuito em seu site.

Os discos são autofinanciados, de baixo custo, auto produzidos e ao se responsabilizar por todos os aspectos da confecção das canções, Cícero vem sendo entendido como um Artesão.

Sobre Sábado:

"Uno de los cantautores pop más celebrados y sorprendentes de la música brasileña actual entrega un nuevo disco repleto de influencias y aciertos." (Zona de Obras, Espanha, setembro 2013) http://www.zonadeobras.com/descargas/2013/09/24/sabado-cicero-201379/

"O novo disco faz parte de um diálogo da vida urbana com questões pessoais. Para fugir dos fantasmas do segundo disco, Cícero partiu do mesmo lugar, dessa vez porém chegou mais longe." (Jornal O Globo, agosto 2013) http://oglobo.globo.com/cultura/um-outro-dia-para-cicero-9748778

"São menos de 30 minutos embalados por uma MPB moderna com leves traços de indie rock e tímidas guitarras sujas, gravados em diversas casas por onde o músico passou nos últimos meses (Rolling Stone, setembro 2013) http://rollingstone.uol.com.br/guia/cd/sabado/

Discografia[editar | editar código-fonte]

Canções de Apartamento (2011)

Sábado (2013)

Referências

  1. Pedro Sobrinho / Na Mira (09). Cícero Lins: álbum de estreia faz sucesso na internet (em português). Na Mira. Página visitada em 25 de novembro de 2012.