Códice Bruce

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


O Códice Bruce (também chamado de Codex Brucianus) é um manuscrito gnóstico de propriedade do Museu Britânico. Em 1769, James Bruce (Lorde James Bruce of Kinnaird) adquiriu o códice no Alto Egito por volta de 1769. Ele foi transferido para o museu juntamente com outros textos orientais em 1842 e reside atualmente na Biblioteca Bodleiana (Bruce 96) desde 1848.[1]

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

James Bruce, primeiro proprietário do Códice Bruce

O Códice de Bruce estava encadernado numa ordem aleatória quando estava no Museu Britânico, com algumas páginas de ponta-cabeça, pois ninguém envolvido entendia cóptico. Ele foi editado em 1893 por Carl Schmidt, que também o traduziu para o alemão. Desde então, ele foi reencadernado numa ordem determinada por ele[a][1] .

Schmidt encontrou dois textos no códice, ambos gnósticos, e concluiu que o primeiro (em dois livros) era idêntico aos Livros de Jeu mencionados em Pistis Sophia;[2] o segundo não tinha nenhum título. Ele associou dois pequenos fragmentos (um hino e uma passagem em prosa sobre o progresso da alma através dos "Arcontes do Meio") com o Segundo livro de Jeu, que está incompleto[2] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ Violet Macdermot o traduziu para o inglês como "The Books of Jeu and the Untitled Text in the Bruce Codex" em 1978.

Referências

  1. a b Secret books (em inglês). J. R. Ritman Library. Página visitada em 30/08/2010.
  2. a b Bruce Codex (em inglês). Gnostic Society. Página visitada em 30/08/2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]